Desenvolvimento pessoal

A depressão na adolescência

A depressão na adolescência

A adolescência é uma fase importante do ciclo vital humano, considerada um período de crise, pois ocorrem diversas mudanças físicas e psicológicas que geram diversos conflitos para o jovem e sua família.

Em relação às mudanças físicas, estas são ocasionadas pela ação dos hormônios que o preparam para a vida adulta e início da sexualidade. Já em relação às mudanças psicológicas, ocorrem por ser uma fase de transição, ou seja, o jovem não se sente mais criança e aos poucos vai se tornando mais independente dos pais, porém ainda não se sente adulto e completamente independe.

Sob um enfoque psicanalítico, a adolescência é entendida como uma fase de crise em que o jovem deve elaborar diversos lutos, luto pela perda do corpo infantil, que se modifica, e luto pela perda da dependência dos pais, que existe na infância. 

Diante de tais características, desta fase do desenvolvimento, a adolescência é uma fase em que o jovem está vulnerável para a ocorrência de depressão.

O que é depressão? 

A depressão é um grave problema de saúde mundial, é classificada na psiquiatria como um transtorno de humor e afeta pessoas de diversas idades. 

Os principais sintomas são: 

  • Apatia;
  • Tristeza;
  • Agitação;
  • Ideias agressivas;
  • Queixas somáticas;
  • Alterações de apetite;
  • Alterações de sono.

Como a depressão se manifesta na adolescência? 

Diante das grandes mudanças que ocorrem com o jovem na adolescência, identificar os sintomas depressivos é um desafio, pois diversos comportamentos como irritação, brigas com os país, isolamento, são comportamentos típicos dessa fase e até mesmo esperado por quem convive com adolescentes, sendo importante saber distingui-los de sintomas que podem estar associado com a depressão. 

Portanto, é importante que familiares, professores e pessoas que convivem com adolescentes, estejam atentos a alguns comportamentos que podem estar associados com a depressão:

  • Isolamento excessivo: O jovem se fecha no quarto, se isola da família e amigos e evita qualquer tipo de contato social.
  • Falta de vontade de realizar atividades que antes eram consideradas prazerosas: O adolescente para de realizar atividades que fazia com frequência, e que lhe proporcionava prazer, como sair com amigos, praticar esportes, etc.
  • Sentimentos e falas negativas: É preciso conversar  com o adolescente, e ouvi-lo, pois, através disso é possível identificar pedidos de ajuda.
  • Queda repentina no rendimento escolar: Mudanças no rendimento escolar, podem estar associadas com dificuldade de estudar e falta de concentração.
  • Perda ou aumento repentino no apetite: Mudanças no padrão alimentar podem ser indicativos de pressão.
  • Agressividade: Briga com amigos, familiares e comportamento agressivo são sinais de alerta.
  • Alterações no sono: Insônia ou excesso de sono podem identificar que algo não vai bem.
  • Ideação suicida: Ameaças de suicídio, ou falas que demonstram desesperança.

Depressão e suicido na adolescência

O suicídio pode ser definido como o ato do sujeito de tirar a própria vida, sendo considerado um problema de saúde pública a nível mundial, segundo a Organização Pan Americana de saúde (OPAS) e a Organização Mundial da saúde (OMS) em dados coletados em 2018, a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. 

A existência da depressão é fator agravante para a ocorrência de suicídio. Falar de suicídio ainda é um tabu na nossa sociedade, porém, falar sobre o assunto também é uma forma de prevenção. Nesse sentido é importante estar atento para os sinais de que os jovens dão, e os possíveis pedidos de ajuda, converse e procure sempre uma ajuda profissional.

Como ajudar o jovem ao identificar os sinais de depressão?

Tais sinais podem ser observados por pais, educadores e pessoas que convivem com adolescentes. 

É importante que os pais tenham uma relação de confiança com o filho e escutem suas dificuldades, procurar ajuda pode ser difícil, pois os jovens normalmente têm dificuldades de conversar com os pais e depressão ainda é uma doença cercada de muitos preconceitos.

Educadores também podem perceber tais sinais do aluno em ambiente escolar, e devem procurar e orientar os pais. 

O tratamento

O tratamento padrão é o uso de uso de medicamentos associados à psicoterapia, dependendo das particularidades de cada caso. 

Para o tratamento medicamentoso, o especialista a ser procurado é o psiquiatra, que é o profissional adequado para medicar e tratar transtornos mentais. 

A importância da psicoterapia 

A psicoterapia realizada por um psicólogo também é extremamente indicada, em alguns casos é possível tratar a depressão somente com psicoterapia, sem o uso de medicamentos, porém, somente um profissional pode avaliar qual a melhor forma de tratamento.

Algumas informações sobre a psicoterapia

  • O adolescente não deve ser obrigado a fazer psicoterapia: É importante que o psicólogo esclareça para os pais que o jovem não deve ser obrigado a iniciar a psicoterapia sob ameaça ou pressão dos pais. É necessário que o psicólogo converse com o adolescente e explique a importância do tratamento e os benefícios deste para a saúde mental do adolescente. Somente quando o adolescente compreende a importância da psicoterapia ele de fato entra em processo terapêutico.
  • Parceria entre adolescente, psicólogo e família: Para que o tratamento seja eficaz, é importante que seja feita uma aliança entre paciente, família e psicólogo, em que haja respeito e conversa entre todos.
  • Clareza no processo terapêutico e sigilo: É importante que o psicólogo mantenha um diálogo aberto com paciente e pais, por exemplo, antes do tratamento é feita uma entrevista com pais e paciente, e se durante o processo terapêutico em algum momento o psicólogo precisar falar com os pais ou os pais quiserem  conversar com o psicólogo, o adolescente deve ser comunicado. Ou seja, nada deve ser feito “escondido” do adolescente. Tudo o que é conversado entre adolescente e psicólogo é mantido em sigilo.
  • Atendimento presencial ou online: Além do atendimento tradicional presencial, já é possível que o jovem seja atendido online, nesses casos é importante que haja privacidade em casa para que o jovem converse com o psicólogo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

OPAS BRASIL. Suicídio é grave problema de saúde pública e sua prevenção deve ser prioridade. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5674:suicidio-e-grave-problema-de-saude-publica-e-sua-prevencao-deve-ser-prioridade-afirma-opas-oms&Itemid=839>Acesso em: 28 DE Março de 2020.

Brunna Hernandes
Últimos posts por Brunna Hernandes (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar