Desenvolvimento pessoal

A necessidade de achar que está sempre certo(a) e suas consequências

Já parou pra pensar que neste exato momento cada pessoa no mundo está direcionando seu olhar para objetos, lugares e pessoas completamente diferentes? E mesmo que alguém olhe pro mesmo objeto que você, a percepção dessa pessoa sobre esse objeto também vai ser totalmente diferente?

Pessoas diferentes, percepções diferentes

Somos seres únicos, cada um de nós tem uma história, um contexto social, corpos diferentes, fomos criados por pessoas diferentes e dentro de uma cultura familiar diferente. Tudo isso influencia a forma como percebemos o mundo. 

Atualmente é bem comum vermos na internet pessoas ofendendo as outras (familiares brigando em grupos de WhatsApp) por causa de política, de religião, pela orientação sexual. 

O debate de ideias sempre será algo saudável, agora controlar e querer submeter o outro ao que achamos sobre determinados assuntos é desrespeitoso. Desde que não haja agravos, o outro sempre poderá ser exatamente do jeito que é. 

Somos nós que  temos que refletir se faz sentido ter pessoas que pensam tão diferente de nós na nossa rotina ou não. Às vezes queremos que o outro mude e pense como nós, mas não analisamos o quanto isso pode estar sendo uma atitude invasiva. O contrário também acontece, anulamos nossas percepções pra caber na visão de mundo de alguém com receio de sermos rejeitados.

Como as ideias contrárias às nossas nos afeta?

Em tempos de rede sociais em que muitas pessoas se acham no direito de fazer comentários desrespeitosos, compartilhar notícias falsas e entrar em discussões calorosas sobre política e religião, é  importante entender como ideias divergentes nos afeta. 

Muitas pessoas ao entrar em contato com conteúdos que diferem da forma como elas pensam, reagem disfuncionalmente. Esse é o retrato de pessoas  com o ego muito grande e uma compreensão muito pequena, especialistas em desestabilizar a harmonia do entorno. 

Em alguns casos, essas atitudes são capazes de afetar nossa saúde física e emocional. Além disso, muitas pessoas com esse perfil, alteram o convívio do entorno onde se vive, tornando o ambiente pesado e de difícil diálogo.

A tecnologia nos colocou em contato direto com diferentes pessoas, mas para que esse contato seja saudável, precisamos ser preparados para nos conectarmos com os outros, para sermos empáticos, respeitosos e inteligentes emocionalmente na hora de criar contextos equilibrados. 

O mundo não é simples assim. As pessoas constroem suas visões de mundo na beleza e expressão da pluralidade, nas diversas opiniões, nas diferentes perspectivas de pensamento diante das quais é importante para aprendermos, crescermos e avançarmos.

Se você se considera uma pessoa com esse perfil, que tem uma sofrível necessidade de ter sempre razão, saiba que é possível pedir ajuda e ser uma pessoa mais flexível e, consequentemente, leve e feliz. 

Segue algumas reflexões: 

  1. Você fala ou age como se o outro fosse um inimigo?
  2. Você age como se fosse derrotar ou destruir quem pensa diferente de você?
  3. Você tem uma visão dualista de certo ou errado? Ou o mundo é mais complexo do que você pensa?

E para você que tem encontrado pessoas que não respeitam sua visão de mundo e transformam diálogos em um guerra de opiniões, aqui vai algumas dicas para te ajudar a lidar com isso:

  1. Dê uma pausa nas redes sociais e em grupos de Whatsapp;
  2. Se conecte às redes de apoio que exercitem um olhar mais profundo;
  3. Respire e não tente não entrar em uma competição de opiniões. 

E para finalizar: você tem respeitado a visão de mundo do outro? Você tem respeitado a sua visão de mundo? 

Boas reflexões! 

 

Psicóloga Késia Carvalho  – CRP: 09/12252

https://www.psicologiaviva.com.br/psicologos/kesiacarvalho/

 

Kesia Carvalho
Últimos posts por Kesia Carvalho (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar