Saúde

A importância do acompanhamento psicológico ao paciente com câncer

Geralmente quando o paciente recebe o diagnóstico de câncer, a primeira coisa que vem à mente é: “vou morrer”, pois mesmo com a tecnologia e conhecimento que temos a palavra “câncer” ainda é vista como doença fatal, que gera sofrimento, dor, mutilação e morte.

E esse pensamento pode gerar diversos sentimentos e comportamentos, tais como tristeza profunda, ansiedade frente ao desconhecido, isolamento, revolta, medo, etc.

Após receber a notícia de que se tem um tipo de câncer, é normal que algum impacto emocional surja; a ajuda de um psicólogo nesse momento é importante pois tudo o que ocorre em nosso corpo, pode afetar nosso estado emocional, e tudo que afeta nossas emoções, podem também afetar nosso corpo.

Vale salientar, que além do peso do diagnóstico, a vivência do tratamento, que muitas vezes é longo, as perdas vividas neste momento e os diversos sintomas podem acarretar muitos sentimentos e pensamentos acerca da incerteza do futuro e da qualidade de vida.

Algumas pesquisas descrevem que a ansiedade e a depressão estão entre os problemas psicológicos mais comuns entre os pacientes com câncer. Contudo, as reações expressas pelo paciente frente ao adoecimento e tratamento são individuais, variando de pessoas para pessoa.

Por que procurar um psicólogo?

A partir do diagnóstico, o paciente vê sua vida tomando outro rumo, pois a doença pode gerar mudanças importantes na sua rotina diária, familiar, profissional e social. O paciente pode se sentir com baixa auto estima, com perda do controle sobre sua vida, sentir medo do tratamento, da morte, de ser dependente, de ser abandonado, pode sentir raiva, culpa e até isolar-se.

Com o apoio psicológico, o profissional, junto com o paciente, buscará manter o bem estar emocional, bem como identificar e compreender os fatores psicológicos que estão interferindo em sua saúde.

O psicólogo buscará prevenir e reduzir os sintomas emocionais e físicos causados pelo câncer e seu tratamento, auxiliando o paciente na busca de um significado de todo em meio ao processo que ele está vivendo.

O psicólogo realizará acolhimento e escuta, sem julgar ou criticar o paciente. E também poderá auxiliar os familiares do paciente nesse processo, pois a família também pode passar por momentos de grande angústia.

Estudos apontam que os pacientes que tiveram acompanhamento psicológico durante o tratamento do câncer tiveram melhora no seu estado geral de saúde bem como melhora na qualidade de vida, na tolerância aos efeitos adversos do tratamento, como a quimioterapia, radioterapia e cirurgia, e também melhora na comunicação com os familiares e equipe de saúde (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, etc.).

Os paciente também tiveram influência positiva no ajuste emocional e alívio de alguns sintomas físicos, como náusea e fadiga, e que houveram menores intercorrências clínicas durante o tratamento, e consequentemente maior tempo de vida.

Onde encontrar um psicólogo?

O psicólogo que trabalha com pacientes com câncer trabalham tanto em hospitais como em clínicas ou consultórios particulares. O atendimento pode ser individual ou em grupo, online ou presencial, e não há melhor nem pior psicólogo ou tratamento, mas sim o que melhor o paciente se adapta, pois o objetivo do psicólogo é o mesmo, que é o de buscar melhorar, modificar e amenizar aquilo que causa sofrimento e que impeça o paciente de lidar melhor com as dificuldades, visando melhor qualidade de vida, mesmo quando parece impossível ter.

Para concluir, não existe momento certo para buscar acompanhamento psicológico, que inclusive pode se iniciar assim que a pessoa recebe o diagnóstico.

Ingrid Bertollini Lamy
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar