Quais as principais características de um agressor de cyberbullying?

cyberbullying

A maioria dos livros de prevenção ao bullying escolar têm foco nas vítimas e nos seus familiares, dando dicas de como se prevenir e perceber os sinais emocionais quando ocorre este tipo de ciberviolência. E como orientar os pais quando no caso o seu filho é o agressor (cyberbully)?

Principais características de um agressor de cyberbullying

Gostaria de citar os principais sinais emocionais apresentados por agressores de bullying virtual para orientar os familiares sobre como perceber e lidar melhor com este tipo de violência escolar.

Segue, os principais sinais emocionais emitidos pelo cyberbullyies:

  • Desrespeitam a hierarquia familiar;
  • Manipulam pessoas para se livrar das confusões em que se encontram;
  • Portam-se com arrogância e como se nada de errado estivesse acontecendo; ;
  • Mudam rapidamente de tela ou fecham programas quando alguém chega perto;
  • Usam computadores até altas horas da noite;
  • Ficam triste de forma exageradamente incomum quando não podem usar o computador;
  • Usam múltiplas contas de internet ou uma conta que não é sua;
  • Riem de forma excessiva quando usam o computador e não querem compartilhar o motivo do humor;
  • Evitam discutir sobre o que está fazendo na internet, mostrando-se defensivo nessas horas;
  • Ficam nervosos ao usar a internet;
  • Apresentam comportamentos hostis e agressivos em relação aos pais e outros familiares;
  • Apresentam com alguma frequência, consumo abusivo de álcool e cigarros.

Mas e o que os pais podem fazer para enfrentar o problema em casa?

É muito importante que os pais estejam sempre atentos ao uso que seu filho faz das tecnologias digitais e usar filtros de controle parental para saber o uso que seu filho faz da internet e estabelecer um diálogo franco sobre este assunto.

Caso seja necessário, deve-se procurar ajuda profissional como, por exemplo, um psicólogo para tratar o problema, pois quando este tipo de agressão não é cessada torna se importante buscar ajuda de profissionais especializados para ajudar o jovem e seus familiares a lidarem com este problema.

É importante que se perceba o problema, pois o filho agressor também sofre e pode adoecer emocionalmente, assim como, pode vir a ter problemas jurídicos no futuro e pode envolver-se em gangues ou fazer uso abusivo de drogas ilícitas.

Um dos fatores-chave para prevenir o problema está na existência de um diálogo franco e aberto, entre pais e filhos, sobre como se portar de forma ética e saudável na internet, estabelecendo regras familiares para o uso seguro desta.  

Um problema comum refere-se ao fato de que muitos pais se sentem intimidados pelo fato de seus filhos saberem muito mais sobre ciberespaço do que eles.

Mas é importante ressaltar que muitas das regras que visam proteger os filhos em ambientes presenciais servem também para os ambientes virtuais.

E mesmo que não seja tão fácil estabelecer limites e regras para o uso da internet que sejam ideais, torna-se importante estabelecer com a ajuda de um psicólogo medidas pragmáticas para se prevenir este tipo de ciberviolência e assim reduzir os danos.

Autora:

Ana Maria Moraes de Albuquerque Lima é psicóloga formada pela UnB e pedagoga formada pela Universidade Católica de Brasília. Mestre em Educação pela Pontifícia Católica de São Paulo.

Autora dos livros Cyberbullying e outros riscos online: despertando a atenção de pais e professores publicado pela editora Wak e do e-book Família Conectada: promovendo o uso seguro da internet disponível no site https://familiaconectadahoje.wordpress.com/.  Realiza orientação psicológica online no portal Psicologia Viva  na prevenção do cyberbullying e outros riscos online.

Referências

ALBUQUERQUE-LIMA, A. MCyberbullying e outros riscos na internet: despertando a atenção de pais e professores. Editora Wak: Rio de Janeiro, 2011.

Ana Maria de Albuquerque

Deixe seu comentário aqui

Assine nossa newsletter

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores conteúdos sobre bem-estar, saúde e qualidade de vida

Saúde mental, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

Através do nosso programa de saúde mental, as empresas reduzem perdas com afastamento do trabalho por demandas emocionais.

Fechar
Fechar