Desenvolvimento pessoal

Angústia: Por que sentimos?

A angústia é a disposição fundamental que nos coloca perante o nada. Martin Heidegger

O significado

A redução de tempo, carência, falta ou sentimento que se liga a uma sensação interna de desespero e grande aflição, ou inquietação em relação a algo. 

Alguns filósofos a definem:

  • Segundo Heidegger (1889-1976), é o estado existencial de insegurança do homem diante do nada, sua consciência da inevitável ameaça da morte.
  • Para Sartre (1905-1980), é a consciência da responsabilidade do homem que decorre de sua infinita liberdade, o que o faz o único autor dos valores presentes em sua vida.
  • Kierkegaard (1813-1855), que foi quem introduziu o tema ao debate filosófico, é o estado de inquietude do ser humano, causada pela presença do pecado, vinculada à sua total liberdade.

Portanto, a definição seria qualquer coisa carregada de angústia e ansiedade que leva à dor física, preocupação e agonia. Pois somos mortais e únicos dotados de capacidade de pensar sobre o sentido da vida e nossa própria existência.

Percorremos no sentido de encontrar um objeto para a angústia, chegando perto e quase no fundo da alma, essa sensação é intensa diante de nossa própria existência e ao fazer determinadas escolhas podemos nos deparar com nossas frustrações, nosso medo e a dor de existir.

Embora a angústia possa ser vista por algumas pessoas como algo ruim e difícil de lidar, sendo esse sentimento que faz parte da condição humana e que nos coloca realmente presente diante do que estamos vivendo no momento. As frustrações e desilusões fazem parte de nossa vida e precisamos aprender a desenvolver situações difíceis para que possamos ter capacidade de lidar com a vida.  

Alguns pensamentos começam a aparecer: mas por que aparecem se está tudo bem? Nenhum problema familiar, financeiro, nenhum doente ou outra coisa que me levasse a sentir essa angústia.

Mas me perco nos meus pensamentos e é quando percebo uma melancolia, meus olhos estão perdidos e meus pensamentos fragmentados e solitário. A tristeza me paralisa e estou em uma areia movediça em que atolamos sem disposição para o esforço de sair. A capacidade de pensar depende da capacidade de tolerar a angústia, o julgamento que nos leva à previsão de acontecimentos dolorosos. A importância que dou para esse pensamento que me leva a uma angústia como se fosse um sinal que tento evitar, e a possibilidade de pensar me faz evitar a parte hostil, a tentativa danosa de tentar prevenir.

Por que acontece?

Pode acontecer por conta de alguns pensamentos negativos que podem ser confundidos com a depressão e que perturbam nosso dia a dia, como insônia, falta de apetite dificuldades de concentração e cansaço constante.

Ao vivenciar uma dor nos afundamos em um sentimento de angústia e, muitas vezes, ficamos parados evitando nosso crescimento. Mas posso mudar meus pensamentos e se concentrar no crescimento, por meio de algumas atitudes, além aprender como essa situação pode me levar ao crescimento e que estímulos nos leva a seguir em frente.  

A angústia pode estar relacionada com o medo de algo que não consigo definir, meus pensamentos deixam minha mente angustiada e acabo precipitando eventos irracionais que me levam a pensar no perigo que pode surgir no futuro, então surge o vazio e fico paralisado(a), incomodado(a) e assustado(a).

O sentimento de angústia pode ser percebido como um estado de depressão, intensificando ainda mais a dor sentida e pode aumentar o risco de se desenvolver, essa angústia nos coloca diante de nossa própria existência e medo, então surge o reconhecimento da liberdade de nossas escolhas. 

Alguns sintomas como:

  • Inquietação,
  • Sensação de vazio,
  • Aperto no peito,
  • Sufocamento

Esses ou outros sintomas similares podem ser confundido com ansiedade, pânico, depressão e problemas cardíacos. A angústia é uma manifestação emocional e perturbadora que incomoda.  

Como superar a angústia

Buscar conhecer a si mesmo, descobrir o que faz você feliz, nomear a importância de cada emoção e como lidar com cada uma das emoções que se apresenta no nosso dia a dia e que vem atropelando tudo, deixando-nos sem rumo e com aquele aperto no coração que precisamos tirar, ou falta de sentido que envolve o campo existencial como um todo.   

Por isso, é importante conhecer o que está acontecendo conosco, aceitar-nos como estamos e juntar força para fazer acontecer nossas decisões, olhando a realidade para descobrir a origem do problema e desenvolver a paciência. 

A angústia pode significar uma ação com a realidade a nossa frente e evitar a situação pode não resolver, pois quando evitamos essa angústia estamos nos evitando, colocar para fora o que sentimos pode ser um meio de compreender melhor o que está acontecendo.

A liberdade é escolher mesmo sem saber se nossa escolha será boa ou não, essa liberdade pode gerar o sentimento de angústia. Então não esqueça que a felicidade só depende de você, então pratique

  • Atenção plena: Focando no momento presente e pouco conflito com o passado ou com o futuro.
  • Seja gentil consigo mesmo: Quando algo de ruim acontecer não repreenda a si mesmo, é hora de mostrar-se alguma bondade.
  • Permita que as emoções negativas deslizem e não busque essas emoções com frequência. 
  • Alivie sua angústia: Crie um tempo para suas reflexões e se desconecte com o mundo externo.
  • Alimente-se bem: Tente relaxar e ter uma boa noite de sono. 

“A escolha é possível, em certo sentido, porém o que não é possível é não escolher. Eu posso sempre escolher, mas devo estar ciente de que, se não escolher, assim mesmo estarei escolhendo”. Jean-Paul Sartre.

Será que essa angústia pode ser transformada em algo bom ou positivo? Quando encontramos significados para viver ou estamos vinculados com outras pessoas podemos ser capazes de desenvolver a empatia e aprendemos a expandir a consciência individual para a coletiva. 

Dessa forma que não percorremos o perigo de conhecer o vazio existencial, este sim, dispositivo da angústia. Procure questionar ou investigar a si mesmo, tente se descobrir com atitudes cotidianas, pense “o que posso fazer para melhorar o ambiente, o relacionamento, o trabalho?”, “como estou me sentindo em eventos antigos ou novos?”. 

Por isso, caso você se sinta angustiado, saiba que esse é um mecanismo humano que indica que algo precisa mudar. Não se preocupe, você não está sozinho.

E caso não consiga fazer isso sozinho, procure ajuda. Faça terapia!

Referências:

  1. https://www.dicio.com.br. acesso em 15 /03/2021
  2. https://michaelis.uol.com.br  acesso 29/03/2021
  3. https://www.ex-isto.com/2017/07/angustia-existencial.html  acesso 30/03/21
  4. SARTRE, Jean-Paul. O Existencialismo é um Humanismo. Petrópolis: Vozes, 2014.
Kelly S Bittencourt Vieira
Últimos posts por Kelly S Bittencourt Vieira (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar