Psicologia geral

Estratégias para lidar com a Ansiedade no contexto do Coronavírus 

Quer conhecer estratégias para lidar com a Ansiedade no contexto do Coronavírus? Então vamos iniciar conversando um pouco mais sobre nossa realidade atual.

Quem poderia imaginar que estaríamos passando por isso agora? O ser humano, apesar de ser uma espécie em evolução em termos de pesquisa e ciência, está sujeito a passar por situações inesperadas, desconfortáveis e dolorosas.

Isso faz parte da história do homem na terra. A situação de epidemia do coronavírus é um exemplo de como o homem precisa em meio ao caos tirar forças do seu íntimo para lidar com situações estressantes, desenvolver e aprimorar capacidades e habilidades de resiliência para saber driblar as adversidades que surgem na vida. Através desse texto, eu gostaria de ajudar você a compreender um pouco mais sobre essa situação em termos psicológicos, e contribuir para que você desenvolva estratégias para lidar melhor com isso.

Os fatores que contribuem para aumentar o estresse nesse contexto 

É natural que em situações semelhantes a esta que estamos vivendo, em meio às urgências e ao confinamento, ao fator da diminuição das atividades laborais (de trabalho) – o trabalho saudável dignifica e incentiva o homem e a diminuição repentina das suas atividades podem gerar desconforto – a diminuição do lazer ao ar livre e da interação social e do contato com o mundo, podem trazer efeitos de:

  • Estresse excessivo,
  • Tristeza,
  • Reflexões profundas,
  • Impaciência,
  • Questionamento,
  • Indignação.

E tudo isso pode contribuir para agravar os sintomas de ansiedade, de preocupação excessiva, enxaqueca, dores musculares, taquicardia (coração acelerado), sudorese (mãos frias), respiração ofegante, dentre outros.

Inclusive, ultimamente tenho ouvido muitos relatos de pessoas que estão tão preocupadas com o que está acontecendo, que parecem estar em estado de alerta e estresse o tempo inteiro, o que as leva a procurar o hospital por conta da ansiedade. Entretanto, precisamos tentar manter a calma nesta situação, de forma que possamos estar bem para passar por isso. Desta forma, a seguir, temos algumas dicas. 

O que fazer para se sentir melhor emocionalmente diante do contexto de coronavírus

Dica 01

Procure alguém de confiança, alguém que você sabe que vai lhe acolher, para falar sobre o assunto. Exponha o que você está sentindo, fale sobre isso, compartilhe pensamentos e experiências com esta pessoa, isso pode ajudar a aliviar a tensão. (Lembre-se de evitar contato, se essa pessoa não for do seu convívio familiar, fale com ela por vídeo chamada ou ligação para evitar aglomeração).

Dica 02

Faça a respiração diafragmática, respire corretamente, procure relaxar, meditar (se você já fazia isso antes). Procure descobrir atividades que te relaxam, mesmo que pareçam ser coisas “simples”, como ver vídeos, assistir filmes, cozinhar, conversar, pintar, dentre outras, realize-as.

Dica 03

Reflita sobre o que você pode fazer e o que você não pode diante da situação. Quais atitudes estão ao seu alcance? (certamente cuidar-se, lavar as mãos, evitar aglomerações, cobrir o rosto ao tossir ou espirrar, usar álcool gel, ficar em casa o máximo de tempo que puder, seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde). 

Se precisar sair para trabalhar, cuide-se, leve álcool gel, lave sempre as mãos, evite aglomerações, tente manter distância de outras pessoas; se existir a possibilidade de trabalhar em casa, readapte a sua rotina, separe um local para trabalhar em casa e horários determinados.  

Dica 04

Quando iniciar a semana, escreva em uma agenda ou num bloco de notas impresso ou do seu celular, tarefas que você gostaria de realizar cada dia. Faça uma programação incluindo o que você precisa fazer, como por exemplo, limpar, organizar a sua casa, seu guarda-roupa, arrumar seus livros, suas maquiagens ou outros objetos, estudar, ler, assistir um filme, jogar, aprender algo novo, falar ao telefone com um amigo, reservar um tempo para cuidar de si, da pele, das unhas, do cabelo; reservar um tempo para relaxar; dentre outras várias atividades que você pode desenvolver.

Esforce-se para cumpri-las, isso vai fazer com que você foque sua concentração e distraia a sua mente, além de transmitir a sensação de dever cumprido. 

Dica 05

Aproveite esse tempo para conversar com pessoas que você gostaria de ter mais tempo para conversar, alguém da sua família ou online com algum amigo, primo, etc. Se convive com crianças em casa, aproveite para brincar com elas. 

Dica 06

Evite consumir informações negativas em excesso de TV, jornais, aplicativos de mensagem, dentre outros. Principalmente informações de fontes inseguras. Informações negativas em excesso podem fazer mal a saúde mental; se quer ficar por dentro das notícias, escolha um horário para vê-las, mas evite estar em contato o tempo inteiro com o assunto que vai te trazer muita preocupação. 

Dica 07

Se já realizava atividades físicas anteriormente ao isolamento social, realize atividades físicas leves em casa, isso pode ajudar a relaxar. 

Dica 08

Evite estimular atitudes negativas, como consumo de álcool, cigarro, dormir o dia todo, ficar no ócio, descuidar-se. Isso pode gerar mais estresse e sentimentos negativos. Continue tentando manter uma boa rotina de sono e alimentação, descanse, se hidrate, cuide da sua pele, do seu corpo, cuide da sua mente, tente ter mais paciência com as pessoas em casa, evite discussões desnecessárias, desenvolva a empatia, coloque-se no lugar da outra pessoa que também está passando pela mesma situação que você.

Dica 09

Aproveite esse tempo para refletir sobre sua vida, sobre seu trabalho, sobre seus estudos, sobre seus objetivos e sonhos; trace metas, caminhos que possam te levar a ficar melhor consigo mesmo, pense estratégias em longo prazo para conseguir atingir seus objetivos de vida. 

Dica 10

Se perceber que precisa de ajuda profissional, não sinta vergonha, e não hesite em buscar ajuda. Só você sabe o que se passa dentro de você! O que importa é que você fique bem! Um profissional de Psiquiatria ou Psicologia está preparado e capacitado para te ajudar e nada substitui um acompanhamento profissional.

Caso você esteja em situação de vulnerabilidade social e/ou violência doméstica, procure uma rede sócio assistencial na sua cidade, como o Centro de Assistência Psicossocial (CRAS), por exemplo. 

Esta é uma nova realidade que estamos vivendo, à qual estamos nos adaptando aos poucos e tudo que precisamos no momento é compreensão, paciência, união, empatia, respeito e consciência! Vamos juntos sair desta situação! Estou à disposição para tirar qualquer dúvida sobre com funciona o atendimento psicológico.

Um abraço! Bianca Saionara Lima Pessôa – Psicóloga CRP-03/17433, especialista em Psicoterapia Clínica; Pós-graduanda em Psicopedagogia e Mestranda em Educação Científica, Inclusão e Diversidades. Atende Presencialmente e Online (Psicologia Viva- Agende a sua consulta!), particular e por convênios. (75) 98846-7596, Feira de Santana, Bahia. 

O processo de terapia, além de tudo é um processo de autoconhecimento e reencontro consigo mesmo, onde eu procuro desenvolver da melhor forma possível caminhos para que os meus pacientes sintam-se acolhidos, assim construindo ou reconstruindo trajetórias que visem a busca da qualidade de vida, saúde mental e bem- estar com respeito a dignidade e singularidade do ser humano. É através da escuta qualificada, observações, avaliação e atividades que eu, enquanto profissional, busco aprimorar habilidades e mediar caminhos para que o próprio paciente consiga desenvolver autonomia e bem-estar!

Bianca Saionara Lima Pessoa
Últimos posts por Bianca Saionara Lima Pessoa (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar