Saúde

Ansiedade: um crescente mal que assola o mundo atual

Conheça um pouco mais sobre a ansiedade

O mundo moderno traz consigo muitos desafios que exigem cada vez mais das pessoas. E é nesse contexto de muitos desafios, cobranças e mudanças repentinas de cenários que surge a ansiedade, que com o passar do tempo pode ir se agravando e transformar-se em um transtorno que afeta o bem-estar físico, mental e também social.

A ansiedade é considerada o mal do século, pois aflige pessoas em diferentes faixas etárias e se manifesta independente da posição social ou cultural, afligindo a sociedade de modo geral.

O fato de tudo ocorrer numa velocidade espantosa, graças, em parte, ao aparato tecnológico que desfrutamos, que levam as pessoas a estarem sempre com pressa, tudo é “pra ontem”, “pra já”, a correria não cessa, é uma aceleração constante, são preocupações com a vida, família, economia, segurança, bens, procura por status, as perdas, o estresse do dia a dia, todo esse acúmulo de situações estressantes podem levar cada vez mais pessoas a desenvolverem o transtorno de ansiedade.

No Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pessoas com o transtorno de ansiedade tem crescido e gira em torno de 18,6 milhões de brasileiros, sofrendo com este mal.

Mas o que é a ansiedade?

A ansiedade e o medo geralmente andam juntos e são reações naturais e normais diante de situações novas ou de perigo e ameaça.

Até certo ponto o medo e a ansiedade são normais e fazem parte da vida, pois são essenciais para a sobrevivência e nos processos de adaptação a situações novas. 

Um exemplo, quando se tem metas a atingir no trabalho, quando há mudanças para uma nova cidade, quando se chega a um lugar novo em que não se conhece ninguém, antes de uma prova, antes de uma viagem, diante de uma entrevista de emprego, diante de decisões difíceis do dia a dia, ou todas as vezes que se enfrenta uma situação nova, alheia ao seu controle. 

O medo é uma resposta emocional que tem por característica geral a preservação da vida, e geralmente se manifesta diante do perigo possível ou real. Já a ansiedade, trata-se da antecipação de uma ameaça futura.

                                     

Como identificar e diferenciar se o medo ou a ansiedade são normais?

Se a ansiedade e o medo forem excessivos, ocorrendo reações físicas persistentes por um longo período de tempo, é sinal que precisam de atenção. A ansiedade se torna patológica quando provocado por estresse, e por serem persistentes os seus sintomas por mais de seis meses.

Pessoas com transtorno de ansiedade geralmente superestimam o perigo nas situações que temem ou evitam, como por exemplo, pessoas que têm medo de viajar de avião, não o fazem com receio de que irá acontecer alguma situação catastrófica com elas; ou, as pessoas que não se sentem bem no meio social, não querem falar em público ou expor suas ideias, por medo de serem julgadas e/ou ridicularizadas, etc.

Segundo o DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais), a ansiedade é um transtorno que apresenta características de medo, e excessivas perturbações na mente, que são refletidos por meio do comportamento.

Quais são estas perturbações excessivas, como é possível ver no comportamento os sintomas de ansiedade? Vamos destacar seus sinais e sintomas para que você consiga entender melhor.

Sinais que merecem sua atenção

Os sintomas da ansiedade podem apresentar-se tanto no corpo quanto na mente. A lista a seguir demonstram as muitas formas de manifestação do transtorno de ansiedade:

  • Nervoso constante – as pessoas costumam se queixar de uma sensação de frio na barriga, ou gastura no estômago, ou como alguns falam: borboletas incomodando o tempo todo.
  • Irritabilidade – Não tem paciência para nada, vive o tempo todo tendo mudanças repentinas no humor sem explicação aparente, não consegue lidar com pessoas que não acompanham o seu ritmo (ou que pensam que não acompanham).
  • Medos irracionais – Como medo do fracasso, pânico de ficar sozinho ou não ser aceito, medo de contaminações, de julgamentos, etc.
  • Inquietação constante – Não consegue se concentrar em tarefas simples do dia a dia, por isso sente uma fadiga intensa, não conseguem ficar quietos, e isso vem acompanhado por uma angústia, pois nunca conseguem concluir atividades.
  • Sintomas físicos – Cansaço sem razão justificável, dores musculares, tremores no corpo, sensação de falta de ar, coração acelerado, desconforto abdominal, vontade intensa de urinar, rubor, mãos trêmulas e frias, sensação de sufocamento, vertigens, podendo chegar a afetar até mesmo a imunidade, etc.
  • Alteração do sono – dificuldade para dormir, pois não consegue desligar, são incapazes de se permitirem relaxar, seus pensamentos não param.
  • Ruminação ou busca de solução na comida – Em geral costumam “assaltar” a geladeira, e quando vem a inquietação ou preocupações, acaba recorrendo a doces ou qualquer tipo de alimento que encontra para aliviar a tensão, não mastiga corretamente o alimento e com isso acabam ingerindo uma grande quantidade de comida em pouco tempo. Devido a este comportamento acabam adquirindo problemas com sobrepeso.
  • Ver perigo em tudo – temor catastrófico achando que o pior sempre vai acontecer. Não viaja de avião porque pode cair. Não faz exames porque tem medo de descobrir uma doença grave, não faz uma cirurgia que precisa porque acha que vai morrer, não fala em público, porque as pessoas vão julgá-lo. Todas as situações são as piores possíveis. É muito comum que pessoas com transtorno de ansiedade sintam raiva de outra pessoa sem que ela tenha feito nada, porque seu cérebro a convenceu que ali há algo errado.
  • Preocupação excessiva – Preocupa-se com o futuro o tempo todo. O pensamento não para.
  • Melancolia e/ou tristeza – Para a pessoa que sofrem com o transtorno da ansiedade é comum terem estados de tristeza, visto que os pensamentos intrusos vêm e invadem a mente, não permitindo que possa se sentir realizado ou ter prazer em qualquer coisa que faça, nada o alegra, nada traz paz, nada o faz feliz, nada está bom.  
  • Perfeccionismo – Insiste em estabelecer sempre padrões muito altos e busca incessantemente o alcance deles e por terem padrões altíssimos e impossíveis de serem alcançados acabam sofrendo mais ainda.

Através desta lista é possível ter uma ideia do sofrimento das pessoas que sofrem com este transtorno.

Como tratar?

O tratamento para ansiedade pode ser realizado por meio de psicoterapia, e em alguns casos o tratamento pode ser medicamentoso, para alívio de alguns sintomas.

O tratamento através da psicoterapia pode auxiliar na identificação dos pensamentos disfuncionais fazendo com que a pessoa aprenda a lidar melhor com os sintomas.

Além de propiciar ao paciente a oportunidade de compreender a relação entre os seus pensamentos e como eles interferem nos seus sentimentos e no seu comportamento diário, e ainda pode ajudar a pessoa a desenvolver um repertório de habilidades que vão permitir viver de forma saudável e mais leve, sem a tensão constante que este transtorno traz.

Infelizmente muitas pessoas preferem viver com a ansiedade, sendo condenadas a uma vida de infelicidade, pois os sintomas ao longo do tempo podem se tornar debilitantes, podendo levar a pessoa ao alcoolismo, ou ao uso de drogas, à depressão e à incapacidade funcional.

Reconhecer que precisa de tratamento é a atitude mais acertada para aqueles que sofrem sob a tirania da ansiedade.

Lembre-se que quando não tratado, o transtorno de Ansiedade tende a se intensificar e trazer muitos prejuízos não só ao indivíduo como a outras pessoas ao seu redor.

Regiane Bezerra Simões Cruz
Últimos posts por Regiane Bezerra Simões Cruz (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar