Saúde

A importância do atendimento psicológico aos profissionais essenciais em época de pandemia pelo COVID-19

Pânico, medo, mortes, luto, incertezas quanto ao futuro, essas são as palavras que ouvimos de forma recorrente atualmente.

A pandemia causada pelo SARS-CoV-2, Corona vírus, COVID-19, foi uma das piores — e porque não dizer a pior — crise sanitária que ocorreu na humanidade, que afetou não só o campo da saúde da população, mas o setor econômico, da educação e no meio social, acarretando vários problemas à saúde emocional das pessoas e não somente aos que já apresentavam algum transtorno de saúde mental — o que nesse caso pode ter causado um maior agravamento — mas quanto à população de forma geral.

Ao longo da história já ocorreram outras calamidades similares a esta, porém, talvez, não em proporção mundial, em escala internacional. Isso se deve também ao fato de não existirem, anteriormente à globalização e com ela a internet, mídias sociais, a imprensa na modalidade virtual, a acessibilidade para viajar de um continente a outro, dentre outros.

Vale ressaltar também aqui no Brasil as acirradas divergências no campo político, a “ruídos na comunicação” que ajudam a agravar ainda mais esse período que o país está enfrentando. 

 📌 Nesse momento de caos, surgiu também a iminência de atendimento psicológico em casos emergenciais, mas como fazer atendimento em momento de isolamento? como diferenciar um transtorno de saúde mental de algo pontual surgido pelo medo de uma doença desconhecida, letal e sem precedentes? 

  • Eis que surgem nesse contexto a convocação de profissionais da saúde, incluindo os psicólogos pelo Ministério da Saúde no Brasil, para atendimento presencial na linha de frente do COVID-19 e atendimento on-line por psicólogos, bem como em outros campos da saúde, como na medicina e também no campo da educação, dentre outros.
  • As plataformas on-line oferecidas pelo governo federal, bem como outras plataformas em saúde mental, tais como a Psicologia Viva dentre outras. No caso da Psicologia viva com o cadastro no E-Psi dos Conselhos Regionais e Federal de Psicologia auxiliam nesse processo rumo a uma melhor qualidade de vida nesse momento de calamidade publica. 
  • O psicólogo é o profissional capacitado para acolher e acompanhar pacientes que já apresentavam algum transtorno psíquico antes da pandemia e que durante esse período tiveram um agravamento desses transtornos, e diferenciar das que adoeceram durante a pandemia, pois como fechar um diagnóstico clínico por exemplo de pessoas que lavam as mãos o tempo todo, que entram em pânico quando assistem aos noticiários sobre mortes por Covid ou que se isolam do mundo, como Transtorno Obsessivo Compulsivo, Transtorno do Pânico, Ansiedade Generalizada, Depressão, Fobia Social, se o momento é propício para tais sentimentos e atitudes? O psicólogo poderá fazer uma análise da situação, uma avaliação e acompanhamento desses indivíduos para fazer a distinção de transtornos em si, ou como algo pontual proveniente dessa situação atual, além de realizar as avaliações e intervenções necessárias.

 📌 Mas como o atendimento seja ele presencial ou na modalidade on-line contribui de forma efetiva para os profissionais considerados essenciais neste momento de pandemia? 

  • Nesse momento de caos, é imprescindível o atendimento por parte dos psicólogos a esses profissionais da linha de frente, pois mesmo que esses tenham uma rede de apoio fortalecida, tais como família, amigos, religião, crença, fé, pode chegar um momento em que esses precisem de um acompanhamento não somente devido a uma exaustão física, causada pelo trabalho neste momento caótico, como também pela exaustão mental causada pelo medo de contrair, transmitir e falecer devido à doença, ou então falecimento de algum ente querido. Esse caos ocasionado pela pandemia não poderá causar apenas doenças físicas, tais como a infecção pelo vírus e outras enfermidades, mas problemas relacionados ao emocional, inclusive até doenças psicossomáticas.

📌 Como manter o bem-estar físico e emocional em tempos de pandemia e isolamento social? 

Citamos abaixo algumas dicas:       

  • Abstendo-se de notícias nefastas, retendo somente o que for bom e absorvendo somente o que julgar necessário para se manter bem informado.
  • Mantendo hábitos saudáveis como boa alimentação, exercícios físicos, boas leituras, meditação.
  • Mantendo o contato diário com familiares e amigos ainda que de forma on-line.
  • Mantendo o foco diário nas metas de curto, médio e longo prazo, organizando os horários (para os que se mantém em home office), parando de hora em hora pelo menos de 5 a 10 min para quem está em home office ou não, para respirar, alongar, relaxar, ouvir música, dentre outros.
  • Exercitar a fé, a esperança e a resiliência.

📍 Como ter resiliência em momento de pandemia?

A palavra resiliência tem sua origem na física, e significa a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. A resiliência vem do latim resilire que significa “voltar atrás”, e no senti literal significa “saltar de novo”.

No contexto atual, geral e na psicologia é empregado como a forma que o indivíduo consegue lidar com as adversidades, a forma como o indivíduo consegue enfrentar as dificuldades impostas a estes.

Para exercitar a resiliência e se tornar uma pessoa resiliente frente a situações adversas e nesse momento de pandemia pelo COVID-19, é necessário ter em mente que esse momento tem um ciclo, como tudo na vida tem o seu ciclo, a sua fase inicial e final, e que mesmo que essa situação não tenha um fim imediato, terá uma nova formatação, seja com as vacinas, com novos hábitos, etc. 

Esse é um momento de cuidados, sim, mas sem excessos para não comprometer a saúde física e emocional.

📍 Como lidar com o luto durante esse período de pandemia?

Devemos ter em mente que, como descrito no tópico anterior, tudo na vida tem o seu ciclo, desde a fase inicial até o final, o ser humano naturalmente nasce, cresce, se reproduz ou não, e morre. Há ainda os que acreditam numa vida após a morte, onde a alma permanece viva após o falecimento, porém a nossa vida física, aqui no Planeta Terra certamente é finita e, queiramos ou não, é uma verdade imutável, senão a única certeza plena dessa nossa existência nesse globo terrestre. 

O processo de luto certamente não é uma tarefa fácil e muito árdua para se enfrentar sozinho(a), e a psicoterapia é muito importante nesse processo, sendo válidas todas as abordagens terapêuticas da psicologia, tais como as abordagens humanistas (tais como a Gestalt-terapia), comportamentais, psicanalítica,  junguiana, a Terapia Cognitivo-Comportamental, etc., sendo na modalidade presencial ou on-line, pois a eficácia é a mesma.

📌A psicoterapia pós pandemia? Será que é necessário dar continuidade a terapia após a quarentena?

Sim, é muito importante dar sequência ao processo terapêutico, pois independentemente de pandemia causada por vírus, nós em determinado momento na vida, enfrentaremos perdas, lutos, dificuldades, adversidades, sejam através de enfermidades ou outros acontecimentos, pois os infortúnios também fazem parte da nossa existência e devemos aprender a lidar, a administrar bem a perda, a doença, a morte, o luto que são fatos imutáveis na vida.

E o processo terapêutico pode auxiliar o indivíduo não somente nesses momentos de lutas e adversidades, mas no autoconhecimento, para uma melhor qualidade de vida.

Portanto, vale ressaltar a importância do psicólogo de qualquer linha teórica, frente a todos os profissionais envolvidos direta ou indiretamente da linha de frente do combate ao Covid, ainda que esses não sintam a necessidade imediata desse auxílio, por estarem aparentemente bem (pois como passar por essa situação e estar 100% bem?!) na saúde física e emocional, espiritual, finanças, família, sem nenhuma enfermidade e/ou falecimento pelo Covid no seio familiar e social, ainda assim é imprescindível o acompanhamento por parte do psicólogo para uma melhor resiliência frente aos acontecimentos que possam estar acontecendo ou vir a acontecer, bem como para uma melhor qualidade de vida no âmbito biopsicossocial e espiritual.

Referências bibliográficas:

  1. https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/ministerio-da-saude-amplia-apoio-psicologico-a-profissionais-de-servicos-essenciais
  2. https://www.gov.br/mec/pt-br/assuntos/noticias/saude-amplia-apoio-psicologico-e-passa-a-atender-profissionais-da-educacao-e-outros-servicos-essenciais
  3. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-166X2020000100501
  4. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-47142020000300509&script=sci_arttext
  5. https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-4-de-18-de-maio-de-2020-257673355
  6. http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/3427-saude-mental-e-a-pandemia-de-covid-19
  7. https://portal.fiocruz.br/noticia/pesquisa-analisa-o-impacto-da-pandemia-na-saude-mental-de-trabalhadores-essenciais
  8. http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/3427-saude-mental-e-a-pandemia-de-covid-19
Priscila Porto
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar