Saúde

Movimente-se e sorria: a atividade física contra a depressão

Os sintomas da depressão

Como você já deve ter ouvido falar, a depressão é uma das doenças mais comuns na atualidade. Dentre os seus principais sintomas podemos citar:

  • Tristeza;
  • Crises de choro;
  • Angústia;
  • Pessimismo;
  • Isolamento;
  • Desesperança;
  • Baixa capacidade de sentir prazer;
  • Sentimento de culpa;
  • Alterações no sono;
  • Dentre outros.

Todo mundo tem um conhecido, parente, colega de trabalho, que se encontra em um quadro depressivo, onde o indivíduo acaba por se envolver em um círculo vicioso de comportamentos nocivos à saúde que levam a um mal-estar físico, a um mal-estar emocional e vice-versa.

Sabemos que o tratamento da depressão inclui acompanhamento psicológico, médico, uso de medicamentos, suporte familiar, exercícios físicos e outros aliados.

A atividade física e a depressão

Mas como atividade física pode ajudar o indivíduo com depressão se ele mal consegue sair da cama?

Vamos lá… primeiramente, devemos ressaltar que pessoas que são fisicamente ativas têm uma tendência a ter uma boa saúde mental, devido a liberação da famosa endorfina, neurotransmissor que proporciona prazer e bem-estar, além de combater e controlar a dor. Ou seja, praticar atividade física pode prevenir o surgimento da depressão.

Porém, quando o indivíduo já se encontra em depressão, começar a praticar alguma atividade pode ser mais difícil do que o normal. Por isso é tão importante uma rede de apoio, que mostre a importância da colaboração da própria pessoa para sua melhora.

O importante é fazer algo, começar, seja saindo no fim da tarde na varanda para olhar o sol se pondo, caminhar até a esquina para jogar o lixo fora, ir até a praça, etc. Ou seja, acostumar o corpo a movimentar-se e consequentemente ao longo do tempo o bem estar poderá aumentar. A prática regular de exercícios pode levar a uma melhora da autoimagem e autoestima.

O exercício físico é um complemento terapêutico. É de suma importância que o paciente não se dê alta e abandone o tratamento por já se considerar bem.

A autossabotagem

E quando o indivíduo resolve se autossabotar e tem comportamentos nocivos à saúde?

A presença da depressão pode levar a comportamentos autodestrutivos como tabagismo, alcoolismo, uso de drogas ilícitas, assim como ter esses comportamentos podem levar a depressão.

Esses comportamentos poderão deixar sequelas físicas e emocionais que devem ser colocadas em pauta no tratamento. Misturar remédio com bebida, por exemplo, pode trazer grandes prejuízos. Encontrar o motivo desses comportamentos pode ser a chave da questão para conseguir freá-los.

Comer bem, para treinar bem e ficar bem

Não podemos esquecer que exercícios físicos devem estar aliados a uma boa alimentação. Nutrir o corpo para que funcione bem, para tenha energia.

O sobrepeso e a obesidade, bem como os transtornos alimentares tais como a bulimia e a anorexia, comumente estão ligados à depressão. Modificar hábitos alimentares não é fácil, porém necessário. Nosso corpo precisa de cuidado em todas as áreas, um desarranjo em uma delas, prejudicará outras.

É importante lembrar que devemos procurar profissionais qualificados a fim de auxiliar-nos. Nutricionistas, médicos, psicólogos, educadores físicos, são pessoas que estudaram para isso.

Fazer dietas mirabolantes, exercícios que exigem demais do corpo, tomar os famosos “tarja preta” por conta própria, não ajudam em nada, pelo contrário só contribuem para um estilo de vida cada vez mais desordenado.

Etiquetas

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Dicas super importantes, que devemos ter cuidado com esse mal do século, por que essa doença pode pegar todo mundo em toda a esfera social.

    Dicas simples ajudam e muito!!!!

    parabens pelo post, espero que alce muitas pessoas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar