Família

Como auxiliar as crianças com as atividades escolares durante a quarentena

A realidade do nosso país está posta: enfrentamos uma pandemia, e por conta disso as aulas estão suspensas, seja no ensino público ou privado. Em contrapartida, o calendário acadêmico não foi suspenso, ou seja, os municípios precisam dar o número de horas-aulas que lhe é exigido.

Sendo assim, vários estados optaram pelo ensino online: enquanto muitas escolas particulares transmitem as aulas de forma online, muitas escolas públicas preparam as atividades, que precisam ser retiradas na escola pelo responsável, para que as crianças realizem em casa com apoio online do professor, seja por um grupo criado em rede social ou outros meios encontrados.

De qualquer forma, os pais precisaram ocupar esse espaço de mediação, que até então era ocupado pelo professor, gerando um misto de estresse e caos em muitos lares. Sendo assim, preparei algumas dicas para auxiliar você, pai, mãe ou responsável nesse período.

Prepare o ambiente

Prepare um espaço adequado, dentro de suas possibilidades, que seja livre de possíveis distrações, para a realização das atividades, por exemplo: coloque uma mesinha no quarto da criança ou em outro cômodo.

Lembre-se: a escola é pensada e preparada de forma a auxiliar o processo de aprendizagem. Pense que seu ambiente de trabalho (quando você fez/faz home-office) nunca é igual, o mesmo vale para as crianças. 

A idade da criança

Crianças de idades distintas exigem mediações distintas. Uma criança menor de 7 anos por exemplo, em fase de alfabetização, exige mais atenção e presença que uma criança de 10 anos. É necessário sim estar ao lado dela durante a atividade. Se possível, evite fazer outras atividades paralelas enquanto auxilia a criança, isso pode ser gerador de ansiedade para ambos e dificultar o processo de aprendizagem.

Quanto mais conturbado for o processo de educar, maior a probabilidade da criança internalizar a escola e o processo de adquirir conhecimento como algo ruim.

Meu filho não quer fazer as tarefas

Tenho recebido reclamações diárias dos pais dizendo que por n motivos as crianças não querem fazer as atividades. Gostaria de dizer que nas escolas isso também acontece sempre (risos), a diferença é como lidamos com isso: os professores sabem que não adianta “bater de frente”, é necessário sempre dialogar, propor outras alternativas, mas sempre deixar claro que isso é a responsabilidade da criança e será necessário fazer.

Por isso também, a importância da rotina no dia a dia da criança, criança com rotina estabelecida é bem menos resistente a realizar suas obrigações diárias.

Agora não é a hora

  • Agora não é a hora para cobrar que a criança aprenda conteúdos que já estão defasados há tanto tempo.
  • Agora não é a hora para exigir que seu filho saiba mais do que lhe é exigido.
  • Agora não é a hora de exigir um comportamento tranquilo e aplicado do seu filho, pois nem nós estamos conseguindo.

Mas, agora é a hora de estreitar o vinculo com a sua criança e, principalmente, ser o apoio que ela precisa nesse momento de angústia para todos.

Procure um profissional especializado caso necessite.

 

Sou Carla Trindade, psicóloga escolar e da infância. Atuo com clínica há quase 10 anos, atualmente priorizando o atendimento infantil e as demandas oriundas da escola no atendimento preferencial. Já aqui, na Psicologia Viva, trabalho com orientação de pais, orientação para problemas de aprendizagem, conflitos amorosos e familiares, TDAH/TOD (em adolescentes e adultos) e outras demandas que perpassam a infância e as famílias (em suas variadas formas de construção). Também atendo adultos com questões sobre: ansiedade, depressão e vitimas de violência.

Carla Trindade
Últimos posts por Carla Trindade (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar