Desenvolvimento pessoal

Autoconhecimento e saúde emocional

Autoconhecimento e saúde emocional

Para se ter saúde emocional é preciso ter autoconhecimento. Adquirimos o autoconhecimento através da terapia.

Para melhorar qualquer aspecto da sua vida é preciso desenvolver o autoconhecimento. Como exemplo desses, podemos citar:

  • O lado afetivo,
  • Profissional,
  • Transtornos de ansiedade,
  • Depressão,
  • Síndrome do pânico,
  • Transtornos de personalidade,
  • Parafilias.

É necessário tornar consciente comportamentos que muitas vezes preferimos ignorar do que tentar muda-los, porque há uma razão de nos comportamentos do jeito que nos comportamos. Porém, na maioria das vezes, não temos consciência que alguns comportamentos nos prejudicam mais do que nos ajudam.

É por isso que resolvi abordar este tema.

O que é autoconhecimento?

O autoconhecimento, de acordo com a Abordagem Analítico Comportamental (uma das correntes teóricas da psicologia), é ter consciência de comportamentos quanto ao controle ambiental, ser capaz de discriminar e descrever seus comportamentos. Saber a nível consciente o que controla seu comportamento e tudo o que está relacionado a ele.

A pessoa desenvolve o autoconhecimento expressando o conhecimento de seu próprio comportamento. 

Então, o que é conhecer a si mesmo? É saber discriminar seus próprios comportamentos, saber por que você está agindo de certa forma. Na terapia, o paciente aprende a se auto observar e se autodescrever, e assim desenvolve uma maturidade emocional, em que aprende a escolher qual comportamento ele quer ter.

O que é saúde emocional?

A saúde emocional é a harmonia entre ação, pensamento e sentimento. O ser humano tem várias áreas de relacionamento, como relação familiar, relação amorosa, relação espiritual, relação de trabalho, relação de amizade, e relação consigo mesmo.

Em cada área, o ser humano, para interagir com outro, precisa de várias ações, pensamentos e sentimentos. Os comportamentos acontecem na interação do organismo (ser humano) com o ambiente (relacionamentos).

Ou seja, para ter saúde emocional você precisa interagir com seus vários relacionamentos de uma forma que traga benefício para você e a outra pessoa.

Como promover o autoconhecimento?

Há uma diferença entre sentimento e sobre o que falamos que sentimentos. Os sentimentos vêm seguido de algo que aconteceu (por exemplo: “Descobri que perdi o emprego e fiquei triste, fiquei com raiva). Quando conversamos com um amigo sobre determinado assunto e ele não gosta do assunto, é “grosso” conosco, é esperado que em um próximo encontro não toquemos nesse assunto.

De forma simples, é aqui que adquirimos o autoconhecimento, ter em mente a consciência que se eu falar com meu amigo sobre aquele assunto, ele será grosso comigo e assim poderemos brigar, portanto eu evito esse assunto, ou até posso descobrir outras maneiras de abordar o conteúdo que traz desconforto para ele, e se necessário, abordar o assunto de outra forma, caso ele precise que eu o ajude.

Na psicologia, aprendemos que nós podemos ter consciência de nossos comportamentos, e mais, podemos aprender a controla-los.

O Autoconhecimento na terapia nos traz conhecimento de diversos sentimentos, tanto nossos quanto de outros. O saber descrever o próprio comportamento, é totalmente diferente de apenas se comportar de certa maneira.

O psicólogo funciona como um “guia” para ajudá-lo a ter consciência sobre vários comportamentos, principalmente aqueles ligados às áreas da sua vida que merecem mais atenção, e auxilia, e faz pensar em estratégias para adquirir comportamentos novos que trarão menos sofrimento.

A terapia tem um fim, e ela se encerra quando você conseguir fazer esse caminho sozinho. A finalidade de uma terapia é ajudá-lo a rever seus atuais comportamentos e praticar novos hábitos, e assim você verá mudança na sua vida e na vida das pessoas que te cercam.

Promovendo o autoconhecimento, adquire-se produtividade e autoestima

Você que está lendo esse artigo, já pensou como seria se você soubesse o porquê você se comporta da forma que se comporta?

Se trazemos a nível consciente nossos comportamentos que nos impedem de ter um bom relacionamento no trabalho, de ter uma rotina mais organizada, e assim mudarmos a ponto de ter um dia mais produtivo, de saber qual é o limite das “coisas” que eu consigo fazer em um dia, ou quais dias da semana é melhor fazer, como por exemplo: “eu não tenho tempo de ir à academia, mas eu sei que quando chego em casa eu assisto televisão por volta de 2 horas antes de jantar porque eu gosto de ver o jornal e me manter atualizado”.

Você pode encontrar uma academia com televisão, atualizar-se com o jornal e fazer atividade física ao mesmo tempo. Outro exemplo: como eu não gosto da minha aparência, me “acho gorda”, mas você não está ciente que está se alimentando mal.

Se você fizer uma rotina alimentar, poderá comer todos os alimentos com horários e quantidades adequadas.

Percebeu como se conhecer pode te trazer mais produtividade e autoestima, em somente dois exemplos? Agora imagine quantos comportamentos você pode se tornar consciente e mudar para ter uma qualidade de vida melhor e mais saudável. 

Como a terapia ajuda alguém a adquirir autoconhecimento e saúde emocional?

O Psicólogo auxilia e ajuda o indivíduo a analisar sua individualidade e a individualidade do outro. Ajuda para que o paciente torne seus comportamentos e ações consciente a um nível que ele repense se tal comportamento está lhe trazendo mais benefícios ou prejuízo, com a finalidade de mudar o comportamento que lhe traz sofrimento e sofrimento ao próximo.

O Psicólogo não faz julgamento de valor, nem traz preconceitos na terapia. É um momento em que o paciente pode falar o que deseja e o que não deseja, é ele quem conduz a sessão. Antes do psicólogo, basta você querer ajuda, esse é o primeiro passo. Quando você percebe que algo “não vai bem” na sua vida, ou você está passando por situações em que você se vê sem alternativas, ou simplesmente “não sabe o que fazer”, você já iniciou o processo do autoconhecimento.

E nós Psicólogos estamos aqui, estendemos nossas mãos, porque olhar para a dor “da alma” é um “dom”, é amor e acolhimento.

Então, você quer se aventurar no seu próprio conhecimento?

Referências:

  1. https://www.scielo.br/pdf/pusf/v10n1/v10n1a11#:~:text=Autoconhecimento%20%C3%A9%20um%20comportamento%20verbal,comportamento%20(Skinner%2C%201993).&text=Assim%2C%20o%20indiv%C3%ADduo%20emite%20comportamento,discriminativos%2C%20por%20receber%20um%20refor%C3%A7o.
  2. SKINNER, B. F. Ciência e comportamento humano. Tradução de Joao Carlos Todorov e Rodolfo Azzi. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
  3. Skinner, B. F. (1974/2006). Sobre o Behaviorismo. São Paulo: Cultrix.
Lais Dias Medeiros
Últimos posts por Lais Dias Medeiros (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar