Saúde

Vamos conversar sobre a Fibromialgia?

O que é?

É uma síndrome que se manifesta através de dor no corpo todo, principalmente na musculatura, tendões e articulações. Associado ao quadro de dor, aparecem outros sintomas como:

  • Fadiga,
  • Alterações no sono,
  • Distúrbios intestinais,
  • Ansiedade e
  • Depressão.  

Muitas vezes, erroneamente, é encarada como um transtorno puramente psicológico e, assim, o acometido tem que enfrentar, além da doença, a descrença e desconfiança de familiares, amigos e das pessoas de seu convívio. Por esta razão, muitos preferem viver em silêncio com a doença, o que acaba retardando o tratamento e prejudicando a qualidade de vida.  

É importante tomar consciência de que a doença existe e, atualmente, é reconhecida como doença/dor crônica pela International Classification of Diseases da World Health Organization e está catalogada no CID-10 (Código Internacional de Doenças) como M 79.7. 

Frequência

A fibromialgia é um problema bastante comum, diagnosticado em, pelo menos, 5% dos pacientes que vão a um consultório médico comum e 10% a 15% dos pacientes que procuram um reumatologista. 

Em cada 10 pacientes diagnosticados, 7 a 9 são mulheres. Não se sabe ainda os motivos, mas sabe-se que ocorre em mulheres, tanto antes como depois da menopausa, o que afasta a hipótese hormonal. Parece, entretanto, que os critérios utilizados para diagnosticar incluem mais critérios ligados às mulheres.  

Idade 

A idade de aparecimento dos sintomas é, geralmente, entre os 30 a 60 anos. Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes. 

Diagnóstico

O diagnóstico da fibromialgia é clínico. Não há exames que a comprovem. O médico, porém, poderá pedir alguns exames de sangue para descartar outras doenças, como: hipotireoidismo, artrite reumatóide e doenças autoimunes.  

Muitas vezes a fibromialgia é confundida com tendinite, quando as dores acontecem na coluna cervical, ombros e joelhos.  

Sintomas

  • O sintoma mas comum é a dor generalizada pelo corpo, causada por ativação do sistema nervoso central. 
  • Sensibilidade ao toque. Um simples aperto de mão pode significar muita dor para a pessoa.  
  • Alteração do sono : qualidade do sono cai e a pessoa acorda cansada, como se não tivesse dormido bem; apineia; “síndrome das pernas inquietas”. 
  • Fadiga (cansaço): baixa tolerância ao exercício físico. 
  • Depressão em 50% dos casos. 
  • Alterações de memória e atenção. 
  • Dor abdominal e alteração do ritmo intestinal. 
  • Bexiga mais sensível. 
  • Sensação de amortecimento nas mãos e pés. 
  • Dores de cabeça frequentes. 
  • Sensibilidade a estímulos ambientais, tais como barulhos e cheiros fortes.  

Normalmente, o paciente tem dificuldade para definir quando e como começou a dor. É comum sentir mais dor no final do dia, mas pode ser no início da manhã também.  

A depressão é um sintoma comum, mas não é causa. Por muito tempo, pensou-se que a fibromialgia era uma “depressão mascarada” e que o paciente estava “somatizando”, ou seja, estava manifestando um problema psicológico através da dor. Hoje sabe-se que a dor da fibromialgia é real e cercada de mitos.

Os mitos

  • “A fibromialgia está na sua cabeça”. 
  • “A fibromialgia é um tipo de depressão”. 
  • “Você deve ter pontos sensíveis para ter fibromialgia”. 
  • “Não há tratamento para fibromialgia”.

Estes quatro mitos, e outros, apontados, originalmente, num artigo publicado no site webMD e citados no blog FIBRODOR demonstram a desinformação sobre o assunto e a necessidade de superaração destas crenças estigmatizantes.

Tratamento

O tratamento da fibromialgia deve ser multidisciplinar, incluindo medicamentos, atividade física, acompanhamento psicológico e massagens.  

A terapia é importante para o tratamento, pois com ela a pessoa acometida pela doença poderá reconhecer o que agrava seus sintomas, evitar pensamentos negativos, procurar praticar atividades físicas agradáveis, manter um diário de sintomas e dores, estabelecer limites e fortalecer o ego.  

Antinflamatórios e analgésicos auxiliam no controle da dor, mas é importante evitar a automedicação. 

Ansiolítico e antidepressivo podem ser necessários, após a avaliação de um psiquiatra. 

Infelizmente a fibromialgia não tem cura, mas, como vimos, algumas adaptações no estilo de vida e tratamento adequado podem aliviar os sintomas e oferecer mais qualidade de vida ao paciente.

Recomendações

  • Buscar apoio psicológico e uma rede de ajuda.
  • O uso de medicamentos, desde que prescritos pelo médico, auxiliam o controle da doença. 
  • Procurar reduzir o estresse. 
  • Praticar atividades físicas, com orientação e supervisão de um profissional. 
  • Estabelecer boa rotina de sono, com redução de estímulos (luz, barulho, colchão incômodo, etc). 
  • Procurar posições confortáveis para sentar e deitar-se. 
  • Seguir uma dieta balanceada, evitando alimentos ricos em gordura saturada, latícinios, álcool, café, chá e dando preferência aos alimentos que dão energia como: banana, milho, repolho, alface, gengibre, oleaginosas, peixes e frutas vermelhas.  

Referências Bibliográficas 

  1. Gonzales BID. Aspectos Psicológicos da Fibromialgia: Personalidade e História de Vida. Faculdade de Psicologia – Universidade de Lisboa. Dissertação de doutorado em psicologia clínica. 2013. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/11052/1/ulsd066203_td_Barbara_Gonzalez.pdf 
  2. Ministério da saúde (homepage na internet). “Fibromialgia: os desafios de uma doença invisível”. (Acesso em 16 Fev 2022). Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/materias-especiais/52386-fibromialgia-os-desafios-de-uma-doenca-invisivel 
  3. Alta Excelência Diagnóstica (homepage na internet). “Entenda quais são os sintomas de fibromialgia e o tratamento da doença”. (Acesso em 16 Fev 2022). Disponível em: https://altadiagnosticos.com.br/saude/fibromialgia                 
  4. Rede D’or São Luiz. “Fibromialgia”. (Acesso em 19 Fev 2022).  Disponível em: https://www.rededorsaoluiz.com.br/doencas/fibromialgia 
  5. Veja saúde. “Fibromialgia: o que é, sintomas, diagnósticos e tratamentos”. (Acesso em 19 Fev 2022). Disponível em: https://saude.abril.com.br/medicina/fibromialgia/ 
  6. Sociedade Brasileira de Reumatologia. “Fibromialgia – Definição, Sintomas e Porque Acontece”. (Acesso em 19 Fev 2022). Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/orientacoes-ao-paciente/fibromialgia-definicao-sintomas-e-porque-acontece/ 
ANA CRISTINA NOGUEIRA DA CUNHA GOMIDE
Últimos posts por ANA CRISTINA NOGUEIRA DA CUNHA GOMIDE (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar