Desenvolvimento pessoal

Como a criatividade pode ser aliada do meu bem-estar?

Você sabia que a criatividade é uma competência inerente ao ser humano?

Ela faz parte inclusive da nossa própria história e sobrevivência, já que outrora nossos nativos precursores utilizaram e muito esta habilidade para resolver suas iniciais dificuldades no mundo. Quer seja para fazer uma vestimenta, abrigo, fogo, linguagem, artes etc.

O seu significado vai muito além da definição do dicionário. 

Nós nascemos criativos e desaprendemos a ser criativos com o tempo, e depois acreditamos em vários mitos que vão nos distanciando desta habilidade. Nascemos “fora da caixa” e quando nos tornamos adultos nos colocam em “caixas” e depois ainda nos confundem pedindo para sairmos de novo de dentro das nossas “caixas”. 

A criatividade é simplesmente uma arte de resolver problemas. E estou falando de qualquer tipo de problema, quer sejam elas teóricas ou práticas. Saber ser criativo já é algo nosso. Só precisamos saber utilizá-la ao nosso favor e no nosso dia a dia.

Não estou falando aqui das famosas “gambiarras” já que esta é uma forma de resolver situações através de atos inseguros ou de risco para si e para outros, mas me refiro ao uso dos elementos ou ideias para se chegar à solução de um problema que se apresente para você.

Criatividade é para todos

A criatividade é para todos e todas. Qualquer faixa etária, cultura ou credo.

Você sabia que nosso cérebro é dividido em duas grandes vertentes, o direito e esquerdo? O esquerdo é responsável por nossas habilidades cognitivas e intelectuais enquanto o lado direito está responsável por grande parte do nosso sistema de emoções e também da nossa querida criatividade.

A criatividade, como diz o empreendedor e professor de criatividade Murilo Gun em seu curso de Reaprendizagem Criativa, poderia se chamar facilmente de “Combinatividade”. No curso ele relata que soluções não são criadas, elas são combinadas para um fim específico, um resultado ou uma resolução. Ou seja, eu combino coisas já existentes de forma diferente para atingir um resultado e resolver o que preciso.

Pense sempre em possibilidades! Esteja aberto a novas formas de fazer as coisas, de pensar, inclusive.

Use a sua imaginação para resolver problemas! A criatividade é a sua ferramenta! Importantíssimo você acreditar que é criativo. Este é o primeiro passo.

Mitos

Primeiro, antes de tudo, convido você a repensar alguns mitos que muitos acreditam ser verdade e que não passam de uma lenda urbana e que você precisa esquecer:

  • Mito do artista: Acreditar que esta competência só é válida para humoristas, atores, cantores, pintores, publicitários, quem trabalha com marketing e outros artistas.
  • Mito do Dom: Acreditar que esta competência não pode ser desenvolvida, mas que é um dom extraordinário dado a poucas pessoas.
  • Mito do Acaso: Acredita-se que as pessoas por passe de mágica adquirem esta competência devido as circunstâncias, de forma espontânea ou que surge do nada.
  • Mito da Criação: Acreditar que para ser criativo é necessário criar algo do zero, original, inédito.

Você pode me perguntar: Certo! e como eu posso desenvolver a minha criatividade?

Criatividade é uma capacidade inata, mas precisa ser desenvolvida através de estudo e treino. Permita-se ler mais sobre diversos tipos de assunto e temas, mesmo que não seja do seu total interesse, isto ajuda a criar um repertório para pôr em prática no dia a dia, além de ajudar você por meio de combinações a resolver o seu problema.

Você precisa treinar sua capacidade de ser criativo. Desenvolver a criatividade é um processo.

Bloqueio

Fique atento também aos fatores bloqueadores de criatividade, que são lições erradas que aprendemos ao longo da vida e que precisamos também desaprender. São estes:

  • Bloqueio do Gabarito: Contentar-se com a primeira resposta correta, ver a escola como ensino e não como um caminho para a aprendizagem, só se contentar em saber responder certo sem se preocupar se as perguntas estão realmente certas.
  • Bloqueio do Sucesso: Preocupar-se demais em não ser um fracasso, não arriscar para não fracassar, medo de errar.
  • Bloqueio do Especialista: Só saber de uma coisa, não ter uma visão generalista, perder a curiosidade por elementos fora do seu campo de atuação ou especialidade, o erro comum de focar apenas na Inteligência e julgamentos negligenciando o olhar como de uma criança, com a mente aberta.
  • Bloqueio do Adulto: Perda da capacidade de reaprendizagem, de brincar e de pensar como um comediante, por exemplo.
  • Bloqueio do Ocupado: Só tem tempo para captação de conteúdo, mas negligencia a etapa da criação, só é aplicado a múltiplas tarefas, sobrecarregado, culto, que não se permite ociosidade e distração.
  • Bloqueio da Tradição: Apego aos padrões antigos, clássicos e velhos adquiridos, não desenvolve o pensamento crítico, não se permite quebrar tradições.
  • Bloqueio da Lógica: Acreditar que as soluções sempre precisam fazer sentido ou lógica, não se permitir captar insights, ideias, sentimentos e intuição.
  • Bloqueio do Implícito: Recorrer sempre aos padrões pessoais para resolução de lacunas de um problema, não se permitir imaginar e investigar o problema para a solução, aceitar subentendidos ou o implícito. 

Permita-se desaprender para aprender

Quando nos permitimos mais nas possibilidades de resolução de problemas, mais conseguiremos desenvolver nossas habilidades criativas. E cada vez que resolvemos um “problema” simples do nosso dia a dia nos sentimos muito bem ao fazê-lo! Isso nos proporciona bem-estar e satisfação que contribuem para alavancar sentimentos positivos ao nosso redor. 

Desafie seu cérebro, conteste! Pare para pensar! Pense criativamente! Pare de apenas acessar padrões. Exercite sua flexibilidade cognitiva de tudo que já aprendeu até hoje! Permita-se combinar elementos ou formas de resolução. 

Toda vez que você abre uma nova porta de conhecimento, você descobre o quanto que você não sabe, quanto mais aprende mais precisa aprender, saber disso te coloca em vantagem neste mundo onde todos acham que sabem de alguma coisa. Utilize as ferramentas de conectividade para ampliar seus horizontes, a internet está aí para te ajudar por exemplo. 

Permita-se pensar como uma criança. Retire os excessos que foram colocados em você aos longos dos anos. Desaprender é tão importante quanto aprender. Desaprender é mais difícil do que aprender. Pense que a escola está dentro do processo de educação, mas ela sempre incluirá família, amigos e sociedade para então, formar um viés de pensamento que realmente faça sentido para você e sua vida. 

Você pode fazer a diferença em sua vida quando se permitir pensar e estudar mais sobre este tema proposto.

Quer saber mais sobre como tornar a habilidade da criatividade mais presente em sua, proporcionando a você muito bem-estar? Entre em contato comigo!

Terei o prazer em atendê-lo e em ajudar você neste processo de entendimento e praticidade para a sua vida.

Juliane Figueiredo

Psicóloga CRP 0215884

Referência:

  1. Curso Reaprendizagem Criativa: https://www.keeplearning.school/
Juliane F da S Figueiredo
Últimos posts por Juliane F da S Figueiredo (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar