Desenvolvimento pessoal

Cuida da sua vida!

“Cuida da sua vida!” é uma frase forte, sábia e simples. Sim! Simples assim.

Esta ordem: “vai cuidar da sua vida!” a princípio tem um tom agressivo e egoísta, vamos pensar o quanto ela pode ajudar em uma infinidade de situações que nos deparamos cotidianamente, repetidamente e não percebemos. 

A frase indica que nos ocuparmos cuidando da vida de outras pessoas em determinados contextos pode causar prejuízos emocionais, alimentar crenças disfuncionais, contribuir para manutenção de comportamentos inadequados.

Você pode pensar: “nossa! Estava querendo ajudar!”, “puxa! Queria dar uma força!”.

Tá! OK!

Quer ser legal? Bonzinho?

Fica a dica: participa de uma campanha, crie uma causa, busque colocar-se à disposição de quem precisa. Pergunte: “em que posso te ajudar? E faça… Seja amigo, prestativo, e se, somente se, for solicitado, dê sua opinião. Escute tudo com atenção e ofereça seu olhar, ponto de vista. Seu esforço está em construir alternativas, ampliar as formas de ver o fato, junto ao seu amigo familiar ou quem estiver te pedindo ajuda.

Percebe que dessa forma além de atender um pedido genuíno, você está cuidando de sua vida, pois está envolvendo-se com uma boa causa. Dedicando-se a desenvolver seu senso de cidadão, comunidade, sentido de vida. Trasborde solidariedade, generosidade, envolva outras pessoas em sua causa com sua paixão, cada ação pode mudar o mundo.

Muda você, muda o mundo.

Só da quem tem para dar.

Quando você é um bom amigo, olha nos olhos, escuta sinceramente, divide angústias e toca a bola para frente. Assim se fortalece o vínculo, tornando o problema inicial trazido pelo familiar ou amigo secundário o problema que quando sozinho estava mergulhado, limitado, após sua escuta, aquela famosa visão de fora, oferece outras alternativas, novas portas se abriram e o que passa para primeiro plano é a amizade de vocês.

Bem! Até aqui tudo bem!

Porém te convido a criar uma hipótese, quando recebe um alerta! Quem fala: Cuide da sua vida, está cuidando da própria vida, limitando sua intervenção. Entende que você não está cuidando da sua própria vida e não tem propriedade para cuidar da vida dela.

Entendeu?

Vamos pensar nas situações que ouviu essa indicativa “cuida da sua vida”!

  • Julgar – Você observa alguém tendo uma atitude no trabalho, sentada na praça, comendo em restaurante ou até mesmo uma foto postada na rede social e começa a tecer seu julgamento: “que pessoa sem noção, como ele tem coragem de fazer aquilo, ou usar essa calça”… bla, bla, bla. Lembre-se: seu olhar, seu julgamento, diz mais de você do que do outro, seus pensamentos, sua fala, traduzem a sua perspectiva e seu julgamento.

Sua percepção das pessoas e do mundo é negativa?

Cuidado! Algo pode estar precisando de atenção, pode estar projetando sua escuridão através de seus julgamentos. O que acha de cuidar de sua vida e passar a oferecer luz?

  • Sobrecarga – Sobrecarregada(o). Quem não se sente assim nesse mundo globalizado e cheio de exigências? Uns se sentem mais, outras menos, mas a maioria, em algum momento, se queixa.

Quem não chora não mama. Diante do choro, você se sensibiliza. Não sabe falar não? Assume responsabilidades que não são suas… “quero”, “preciso” ajudar.

Verdade? Será? Cuida da sua Vida!!! Ajuda o outro e sobrecarga você? Estresse, cansaço, sentimentos mistos, que chato fazer algo que não estava em meus planos ou na minha rotina e que não  fazem parte do meu interesse.

“Se tivesse ficado quieta. Porque ofereci ajuda agora tô atribulada, se tivesse dito não, será que ela continuaria me amando? ou ficaria chateada comigo?”. Pois sim, antes de ficar pegando tarefas que não são suas pare e pense: cada um carrega a sua cruz  – você tem a sua. A outra pessoa precisa construir sua autonomia, independência, viver suas lutas, crescer e se fortalecer, se a tarefa é dela, pronto está posto.

Cuida da sua vida e se conseguir dar conta das suas coisas, sinta-se feliz. 

Da próxima vez que se sentir tentado a pegar responsabilidades que não são suas, procure tentar fazer as seguintes perguntas:

a) Por que não consigo dizer não? 

b) Será que preciso agradar sempre?

  • Valorize-se – Esse é o pior na minha concepção, zóião… “ai, eu queria tanto um tapete desse, esse vestido ficaria lindo em mim”.

Ok! Tudo bem!

Cuidado com o que deseja, nem sempre a grama do vizinho é tão verde quanto parece. Olhe com carinho para tudo que você tem e seja grato – desfrute!

Se joga!

Diga: CUIDA DA SUA VIDA!!!

Todos querem dar OPINIÃO.

Mas quer dar um MILHÃO?

Sempre tem alguém por perto, alguém viajando na maionese, pirando na batatinha, oferecendo críticas, gratuitamente, doando observações superficiais, negativas e inadequadas. Não segura, se joga, de limites, imponha-se assertivamente.

Fuja do: “já que você vai até tal lugar, poderia aproveitar e levar tal coisa pra mim?”

Nananinanão! 

Existem outras formas de demonstra e obter amor. Quer se sentir uma pessoa mais interessante, amada, realizada e relaxada? Estou me sentindo usada ou abusada?

Não se culpe, fique atento ao grau de ansiedade gerado por esse pensamento, natural diante da convivência. Se suas escolhas provocam expectativa e exigências além de suas capacidades ou tolerância, se sente-se invadido, desrespeitado ou preocupa-se exageradamente com seu desempenho perante outras pessoas, flexibilize, cuida, cuida mesmo da sua vida, ela é valiosa e merece toda atenção e cuidado.

Se você se identificou com esse texto e precisa de ajuda ou conhece alguém que precisa de ajuda para cuidar da própria vida, pode contar com a ajuda de um profissional, psicólogo. Eu dei o meu recado: CUIDE DE SUA VIDA e se precisar de ajuda, pode contar comigo.

Te desejo paz e até mais!

Ingrid Ribeiro Borelli

Ingrid Ribeiro Borelli
Últimos posts por Ingrid Ribeiro Borelli (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar