Psicologia geral

Deficiência intelectual e múltipla: como o(a) psicólogo(a) pode ajudar?

As pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial que, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Os tipos mais conhecidos de deficiência são:

  • Auditiva,
  • Visual,
  • Física,
  • Intelectual, e,
  • Múltipla.

Nesse texto, o foco será na deficiência intelectual e na deficiência múltipla.

O que é a deficiência múltipla?

É a associação de duas ou mais deficiências no mesmo indivíduo, ocasionando atrasos no seu desenvolvimento global e na sua capacidade adaptativa.

Pode ser agravada por alguns aspectos, tais como a idade de aquisição, o grau das deficiências e a quantidade de associações que apresenta.

O que é a deficiência intelectual?

Reflete o funcionamento intelectual com limitações significativas em áreas importantes da vida, tais como comunicação, relacionamentos, estudo, trabalho, lazer, saúde e segurança.

Essas limitações surgem antes dos 18 anos de idade. Pode acompanhar transtornos mentais (depressão, bipolaridade, esquizofrenia), assim como pode ocorrer de modo independente. Além disso, a deficiência intelectual é sinal de mais de 2.000 condições, incluindo doenças genéticas raras. 

A deficiência intelectual (antigamente, denominada retardo mental) caracteriza-se pela capacidade significativamente reduzida de compreender informações novas ou complexas e de aprender e aplicar novas habilidades (inteligência prejudicada).

Essencialmente, essas alterações surgem durante o período de desenvolvimento das faculdades que determinam o nível global de inteligência, isto é, das funções cognitivas, de linguagem, habilidades motoras e capacidade social e que tem um efeito duradouro sobre o desenvolvimento.

A deficiência intelectual também pode ser definida como uma incapacidade caracterizada por limitações significativas tanto no funcionamento intelectual quanto no comportamento adaptativo, que é expressa em habilidades conceituais, sociais e práticas. Vale lembrar que essas limitações surgem antes dos 18 anos de idade.

A expressão correta é “pessoa com deficiência intelectual” 

Historicamente, a deficiência intelectual já recebeu outros nomes que hoje não são mais utilizados.

Vários nomes podem ser listados, tais como criança atrasada, criança excepcional, retardada mental, deficiente mental, criança com deficit intelectual e do desenvolvimento. 

Sobre ter relacionamentos e ter filhos


A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência) assegura que a pessoa com deficiência pode casar-se ou constituir união estável e exercer seus direitos sexuais e reprodutivos.

Além disso, é garantido por lei que a pessoa com deficiência pode exercer o seu direito de decidir sobre o número de filhos que deseja e deve ter acesso a informações adequadas sobre reprodução e planejamento familiar, podendo conservar a sua fertilidade, já que a esterilização compulsória/obrigatória está proibida.

As pessoas com deficiência também podem exercer o seu direito de ter convivência familiar e comunitária.  Também é possível exercer o direito à guarda, à tutela, à curatela e à adoção, como adotante ou adotando, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas.

6 dicas de orientações e ações facilitadoras

  1. Tente prestar atenção em como a pessoa está interagindo.
  2. Você deve agir naturalmente ao dirigir-se a uma pessoa com deficiência intelectual ou múltipla.
  3. Trate-a com respeito e consideração. Se for uma criança, trate-a como criança. Se for adolescente, trate-a como adolescente, e se for uma pessoa adulta, trate-a como tal. Não infantilize a pessoa com deficiência. Trate-a conforme a sua idade.
  4. Não a ignore. Cumprimente e despeça-se dela normalmente, como faria com qualquer pessoa.
  5. Não superproteja. Deixe que ela faça ou tente fazer sozinha tudo o que puder. Ajude apenas quando for realmente necessário ou quando a pessoa lhe solicitar.
  6. Não subestime sua inteligência. As pessoas com deficiência intelectual levam mais tempo para aprender, mas podem adquirir muitas habilidades intelectuais e sociais.

Como o(a) psicólogo(a) pode ajudar?

O(a) psicólogo(a) pode desenvolver ou ampliar a capacidade funcional e o desempenho dos indivíduos, tendo como objetivo desenvolver habilidades cognitivas, psicossociais, atitudinais, profissionais e artísticas.

O desenvolvimento dessas habilidades contribui para a conquista da autonomia e participação social. O trabalho deve ter uma abordagem interdisciplinar e o envolvimento direto de cuidadores e familiares nos processos de cuidado.

O(a) psicólogo(a) pode fazer estimulação precoce. Cada criança desenvolve habilidades no seu próprio ritmo. Todos nós temos necessidades específicas.

Para que a criança chegue a uma determinada fase do desenvolvimento, ela precisa ser estimulada. Estimular é ensinar, motivar, aproveitar objetos e situações no processo de construção do conhecimento. A avaliação psicológica contribui para a criação de um programa de apoio e de orientação para as famílias.

O(a) psicólogo(a) também pode fazer reabilitação domiciliar. Essa opção é indicada para pessoas que, estando em estabilidade clínica, necessitam de atenção à saúde em sua própria casa. A reabilitação domiciliar é uma oportunidade de tratamento e de prevenção de agravos.

Independentemente da idade, as pessoas com deficiência podem se beneficiar da psicoterapia. Afinal, as pessoas com deficiência podem ter suas dúvidas e angústias diante da vida em qualquer fase da mesma.

O tratamento psicoterapêutico é capaz de reduzir o sofrimento e de estimular a pessoa para que ela conquiste um novo nível de saúde e bem-estar. Dificuldades de relacionamento conjugal e familiar podem ser temas trabalhados na psicoterapia assim como dificuldades no ambiente de trabalho.

As sessões de psicoterapia pode ocorrer na casa da própria pessoa, no consultório do profissional ou via internet através de chamadas de vídeo. O atendimento telefônico também é viável.

Aproveite as boas oportunidades da vida

Ter algum tipo de deficiência pode trazer muito desconforto emocional para a própria pessoa e para a sua família.

No entanto, o sofrimento não é a única possibilidade nesses casos. Muitas pessoas com deficiência encaram as dificuldades da vida com otimismo e leveza. Essa forma de encarar a vida depende de como pensamos e agimos, ou seja, depende de como percebemos o mundo, as pessoas ao nosso redor e nós mesmos.    

                                                                                                      

Nós não precisamos tentar resolver todos os nossos problemas sozinhos. Existem diversas formas de obtermos apoio. Podemos contar com amigos, vizinhos e familiares. Entretanto, nem sempre o apoio de pessoas queridas é o suficiente.

Nesses momentos, vale a pena buscarmos apoio profissional. O(a) psicólogo(a) é um profissional capaz de entender o seu contexto, lhe orientar e lhe estimular a atingir os seus objetivos através das ferramentas descritas anteriormente nesse texto. Entre em contato caso você tenha ficado com alguma dúvida ou curiosidade.

Gabriela Ballardin Geara
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar