Saúde

A Terapia, o psicólogo e o psiquiatra, qual a diferença?

Hoje ao buscar ajuda relacionada aos nossos sentimentos e emoções ou outras questões relacionadas à nossa saúde mental, nos deparamos com uma variedade de opções, temos por exemplo os médicos psiquiatras, os psicólogos, terapeutas holísticos, psicanalistas, entre muitos outros profissionais. Você, que busca ajuda “psi” talvez possa até ficar um pouco perdido diante dessa variedade. Então aqui busco trazer alguns esclarecimentos sobre os profissionais que trabalham com a saúde mental.

O Terapeuta

Quando falamos sobre um profissional que cuida da saúde mental, logo vem em mente o terapeuta. A terapia é o tratamento que busca amenizar ou acabar com os efeitos de uma doença (física, psíquica, motora, etc.). Podemos pensar em vários profissionais que oferecem o tratamento terapêutico, como alguns exemplos temos:

  • O Psicoterapeuta que tem como objetivo o cuidado dos problemas relacionados à saúde mental, como a ansiedade, a depressão, o stress e problemas nos relacionamentos, entre outros. É comum que psicólogos, psiquiatras e psicanalistas ofereçam o serviço psicoterapêutico, contudo, outras profissões, que se especializem ou se capacitem na atuação psicoterápica através de cursos específicos, podem ofertar esse serviço. É necessário ter cuidado ao escolher seu psicoterapeuta já que nem todo profissional está vinculado a um concelho que regulamente, fiscalize e oriente seu exercício, garantindo a ética e o reconhecimento cientifico da atuação do mesmo.

  • O Fisioterapeuta atua no tratamento e prevenção de doenças e lesões, decorrentes de fraturas, má-formação ou vícios de postura. Usa várias técnicas como massagens e exercícios que restaurem a capacidade física e funcionais dos pacientes.

  • As terapias holísticas têm como foco o ser humano como um todo, analisa os pontos espirituais, físicos, mentais e energéticos. Os terapeutas holísticos utilizam técnicas como acupuntura, reiki, terapia com cristais, massoterapia, entre outras em busca do alivio de sintomas, da prevenção de doenças e também da cura.

Dentro das terapias voltadas para o cuidado com a saúde mental, alguns profissionais de diversas áreas se especializam em determinado tema e ofertam o serviço terapêutico relacionado à sua especialização. Após o término da faculdade existe a opção de complementar seu conhecimento e qualificação profissional através de cursos de especialização. A especialização ou pós-graduação são cursos onde o foco é a aquisição de habilidades técnicas específicas sobre determinado tema. Existem especializações em inúmeras profissões, para psicologia, como exemplo, temos a psicopedagogia, a neuropsicologia, a psicologia organizacional, entre outros.

Um ponto importante é o fato de que, mesmo que um curso de especialização capacite para a atuação e para entender determinado assunto, existem limites para a atuação. Pensando na psicopedagogia, por exemplo, um profissional que faça graduação (faculdade) em pedagogia ou letras e faça especialização (pós graduação) em psicopedagogia pode atuar como psicopedagogo na clínica, mas não são todas as ferramentas da psicologia que poderão usar dentro do atendimento clínico, como por exemplo os testes psicológicos, que são restritos ao uso do psicólogo.

Então é importante, ao buscar ajuda profissional, estar atento não só à especialização do profissional, mas também aos limites legais, éticos e técnicos da atuação desse que vai te acompanhar.

Diferente da especialização temos também a capacitação profissional, os cursos livres ou profissionalizantes. Estes, muitas vezes não exigem a formação na faculdade (graduação) e possibilitam o aprendizado de uma técnica especifica para atuar em determinada área. Como exemplo temos os cursos de reiki, constelação familiar, massoterapia, meditação, acupuntura, etc. Qualquer pessoa pode fazer um curso e aprender sobre determinado assunto, seja ele para o uso particular ou profissional, desde que esteja dentro dos limites éticos, técnicos, profissionais e legais.

O Médico Psiquiatra

O psiquiatra é um profissional que cursou faculdade de medicina e, através da residência médica ou do curso de pós-graduação, especializa-se em psiquiatria. O médico psiquiatra está apto a fazer o diagnóstico de transtornos mentais, solicitar exames e prescrever medicamentos que possam ajudar o paciente a lidar com seus transtornos mentais ou problemas relacionados aos sentimentos e emoções que estejam causando sofrimento.

O acompanhamento psiquiátrico normalmente é feito pelo menos uma vez por mês, podendo variar de acordo com o caso do paciente. Como o psiquiatra conduz a consulta, vai depender muito do profissional; alguns fazem uma consulta de curto tempo, e existem psiquiatras que o tempo da consulta é um pouco maior, para compreender melhor a história do paciente e buscar uma hipótese diagnostica ou um diagnóstico mais preciso do caso.

Os médicos psiquiatras podem pedir exames e indicar o acompanhamento com o psicólogo ou outros profissionais caso veja a necessidade. Além disso o médico psiquiatra é o único profissional dos citados aqui que, por ser médico, pode receitar medicações que vão ajudar o paciente em relação a seus sintomas. Normalmente o acompanhamento com o psiquiatra é feito uma vez ao mês, para que este possa acompanhar seu caso, exames, e regular a medicação caso seja necessário.

O Psicólogo Clínico

O psicólogo clínico é um profissional graduado em psicologia e que se apropria de uma abordagem teórica, reconhecida pela ciência, para realizar seus atendimento. Exemplos de abordagens são: a Cognitivo-comportamental, a Sistêmica, a Humanista, a Existencial, a Psicanalise, etc. Este profissional tem uma forma de entender os processos mentais, considerando as dimensões biológicas, psicológicas e sociais de cada sujeito e, a partir daí, intervir auxiliando o paciente de modo a ajudá-lo a refletir e identificar a origem de seu sofrimento e trabalhar as possibilidades de melhora. Assim, o psicólogo é capaz de diagnosticar, prevenir e tratar distúrbios de personalidade ou emocionais.

A profissão de psicologia clínica é regulamentada pelo Concelho Federal de Psicologia (CFP) que também fiscaliza e orienta a atuação do profissional psicólogo. Para atuar, o psicólogo precisa estar devidamente inscrito no Conselho Regional de Psicologia (CRP) que faz parte do sistema de concelhos que garante os princípios éticos da profissão e contribui para o desenvolvimento da psicologia como ciência e profissão, e como já citado é responsável pela regulamentação, fiscalização e orientação dos profissionais psicólogos. Desde que o psicólogo esteja formado em psicologia e inscrito no cadastro de psicólogos do CRP de sua região ele está apto a exercer a profissão.

Normalmente o atendimento psicológico é realizado uma vez por semana e, dependendo do paciente, a duração total do tratamento pode levar meses ou anos. As sessões levam cerca de 50 minutos (podendo ser mais ou menos de acordo com cada profissional) e nesse tempo o psicólogo escuta seu paciente na busca de juntos compreenderem as questões que podem ter contribuído para o seu adoecimento psíquico.

O profissional lança mão de técnicas que facilitam o trabalho clínico e também pode utilizar-se de testes que contribuem para a análise da personalidade e o levantamento do diagnóstico, além de estratégias para o tratamento do mesmo.

O trabalho multidisciplinar

É possível que pacientes necessitem de um trabalho em conjunto para tratar suas questões. Uma criança, por exemplo, que é levada ao pediatra com queixas de atraso na fala e na socialização pode ser encaminhada para o psicólogo e o terapeuta ocupacional e ainda o fonoaudiólogo para que a equipe multidisciplinar possa cuidar dessa criança e ajuda-la em relação às questões apresentadas.

O encaminhamento pode partir de um médico, independente da especialização, como a clínica médica, pediatria, neurologista entre outros, ou de outros profissionais. Um fisioterapeuta, por exemplo, pode notar durante suas sessões que questões emocionais podem estar relacionadas aos problemas físicos ou funcionais de seu paciente e diante disso pode indicar que ele busque um psicólogo.

Dentro do cuidado à saúde mental, os profissionais também podem indicar técnicas específicas para o cuidado da saúde do paciente. Por exemplo, um psicólogo pode indicar que seu paciente utilize da meditação para ajudar no controle da ansiedade. Ou um médico pode indicar que seu paciente com problemas de tensão muscular faça acupuntura para aliviar esse sintoma, encaminhando assim esse paciente para um profissional capacitado na aplicação da técnica.

E dentre todas essas opções como saber o que buscar na hora do cuidado à saúde mental?

Conhecendo um pouco mais sobre os profissionais que trabalham com a atenção à saúde mental é possível que fique um pouco mais claro qual o acompanhamento será necessário para você, e se há necessidade de que esse acompanhamento seja feito por mais de um profissional.

Em casos onde você não faça ideia por onde começar, a porta de entrada para o cuidado à saúde mental pode ser a clínica médica, mas não é regra que primeiro deve-se procurar o médico. Dependendo do problema, você pode ir direto ao psicólogo que fará uma entrevista buscando compreender melhor sua queixa para a partir daí te ajudar com o problema que te leva a buscar a psicologia e te orientar, caso necessite, procurar outros profissionais.

Aline Christina de Almeida Novaes

Referências

  1. Concelho Federal de Psicologia, SAF SUL (Setor de Administração Federal Sul), Quadra 2, Bloco B, Edifício Via Office, Térreo, Sala 104 – Brasília – DF – CEP: 70070-600. Disponível em: <https://site.cfp.org.br/> Acesso em: 29 de novembro de 2021.
  2. Especialização: Tire todas as suas dúvidas sobre esse tema! públicado em 24 de abril de 2014, Disponível em: <https://guiadoestudante.abril.com.br/pos-graduacao/entenda-o-que-e-um-curso-de-especializacao/> acesso em: 30 de novembro de 2021
  3. O que é a Terapia Holística?, Significados,  disponível em: <https://www.significados.com.br/terapia-holistica/> acesso em: 29 de novembro de 2021
  4. Ratzke, O. Psiquiatria atual. Concelho Federal de Medicina, publicado em 01 de abril de 2005. Disponível em <https://portal.cfm.org.br/artigos/psiquiatria-atual/> acesso: 01 de dezembro de 2021
Aline Christina de Almeida Novaes
Últimos posts por Aline Christina de Almeida Novaes (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar