DestaquePsicologia organizacional

Como a escuta psicanalítica do sujeito pode ajudar empresas? 

A importância da palavra para a psicanálise

A psicanálise é uma prática clínica que se realiza através da palavra. Palavra esta que, inicialmente, nem sempre obtém um significado ligado a uma experiência subjetiva. Palavra que fornece, sem querer ou planejar, em detalhes, conteúdos que estão presentes no inconsciente — por meio dos atos falhos, chistes, esquecimentos, ambiguidades, sonhos, contradições entre outros.

A partir da palavra o sofrimento e as angústias aparecem, e é também a partir dela que eles podem ter lugar de escuta e compreensão.

Sabemos que a psicanálise é uma teoria que acompanha as modificações consequentes da atualidade. Ainda que se tenha uma base para realização de uma análise, torna-se necessário repensar nossa maneira de acolher e escutar os sintomas da nossa época, bem como os novos “settings” que se apresentam como realidade a nós.

As empresas e o trabalho analítico

As empresas são algumas das organizações e instituições que demandam uma maneira singular de realizar um tratamento analítico.

Quais são os benefícios de uma escuta Psicanalítica no ambiente empresarial? Alguns deles são:

Espaço que propicia uma escuta singular:

“Toda arte se caracteriza por um certo modo de organização em torno de um vazio” (LACAN). O diferencial de um artista está ligado à maneira pela qual este se relaciona e enxerga o mundo. A partir disso, sua prática se dá em reproduzir aos outros aquilo que lhe é contemplado, da forma como lhe é concebido. Da mesma maneira, cada um tem sua própria maneira de conduzir sua narrativa a partir de sua história, seus desejos e valores. Na psicanálise, a escuta está direcionada a cada um. 

Não há tempos e objetivos pré-determinados:

“Aprende-se em psicanálise que, muitas vezes, é preciso tempo para que as pessoas entendam o que elas estão dizendo”, (LACAN). Não só dizendo, mas também agindo por meio de repetições e sintomas. Nessa modalidade clínica, o tratamento ocorre a partir das questões que o próprio paciente traz, no tempo e forma que lhe são possíveis. O objetivo do analista é o da construção e descontrução de sua palavra, para que hajam ali outros possíveis significados, elaborações que o permitam agir mediante a queixa. 

Tem como objetivo levar o sujeito à capacidade de agir e aproveitar a existência:

“A angústia surge no momento em que o sujeito está suspenso entre um tempo em que ele não sabe mais onde está, em direção a um tempo onde ele será alguma coisa na qual jamais se poderá reencontrar” (LACAN). Como saber transformador, a psicanálise promove a libertação de alguém de seus sintomas, inibições, entre outros. Visa devolver ao paciente capacidade de mudança, bem como despertar seu interesse pela vida e ajustar suas relações com as pessoas que lhe são importantes.

A presença da escuta nas empresas é uma maneira de oferecer aos funcionários e cooperados, maneira de acolhimento e movimentação frente aos seu sofrimento.

A psicanálise pode ensinar o sujeito a poupar despesas psíquicas, podendo este se livrar posteriormente do excesso do mal-estar psíquico que restringe sua capacidade emocional, racional, laboral, psíquica.

Tratando de seu mal-estar, além de melhorias em sua atuação dentro da empresa, o sujeito passa a ter um cuidado com sua saúde mental, distanciando-se de transtornos como ansiedade, depressão e burnout, assim como outras manifestações de estresse e frustrações que comumente são observadas nas empresas.

Ana Paula Fischer Lage
Últimos posts por Ana Paula Fischer Lage (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar