ansiedade

Ansiedade generalizada: será que eu sofro com isso?

Ficar ansioso é algo normal quando temos que enfrentar uma situação nova ou inesperada. E quando perdemos o controle da ansiedade ela passa a afetar a nossa vida de forma negativa.

Existem vários transtornos de ansiedade, e a ansiedade generalizada tem afetado muitas pessoas atualmente.

Os prejuízos da ansiedade patológica

Quem sofre com ela, geralmente tem uma preocupação e ansiedade excessiva que foge do próprio controle. Quando falamos de ansiedade, o que muda de uma pessoa para outra é a maneira que lida com as preocupações, algumas conseguem ter um certo controle, porém têm outras que não conseguem, e isso acaba trazendo prejuízos emocionais e sociais. 

Quem sofre com a ansiedade generalizada, pode acontecer de imaginar os piores resultados de situações que precisa enfrentar, consequentemente acaba sofrendo de forma antecipada ou perde oportunidades por não conseguir fazer uma escolha.

Vamos imaginar uma situação: uma mulher precisa decidir aceitar ou não um emprego em outra cidade, que a permitirá ter uma renda maior. Porém ela não consegue tomar essa decisão e agir, fica angustiada pelas relações que construiu e teria que abrir mão, não consegue dormir a noite, não consegue concentrar-se em suas atividades diárias por conta dessa preocupação, tem dores de estômago e sente que tudo a deixa irritada.

Essa angústia sentida por ela nesse exemplo, é o que acontece em casos de ansiedade generalizada e em outros transtornos ansiosos também, existe o sentimento de medo diante de situações que não existe uma garantia de segurança, como:

  • Escolher uma faculdade,
  • Mudar de emprego,
  • Terminar um relacionamento amoroso ou não.

Outro ponto importante é o medo de frustrações, que faz o indivíduo evitar falar de seus sentimentos com medo de se decepcionar ou decepcionar o outro. Um exemplo disso é quando a pessoa se sente incomodada com as atitudes do outro, mas não diz por medo de despertar sentimentos ruins dentro de si ou no outro.

Ansiedade generalizada x Ansiedade não patológica

A ansiedade generalizada interfere de forma significativa na saúde emocional, relacionamento familiar e amoroso, desempenho no trabalho e em outras atividades. É caracterizada por uma preocupação excessiva que gera angústia, pois tem uma duração maior.

Vem acompanhada de pelo menos três dos seguintes sintomas, por pelo menos seis meses:

  • Inquietação,
  • Sensação de estar com os nervos à flor da pele,
  • Dificuldade de concentração ou sensação de branco na mente,
  • Irritabilidade,
  • Tensão muscular e dificuldade para dormir.

Também podem surgir sintomas somáticos, como

  • Suor,
  • Diarreia,
  • Náusea,
  • Dores de cabeça frequente,
  • Dores de estômago,
  • Síndrome do intestino irritável por conta do humor que fica prejudicado.

A ansiedade não patológica é aquela que a pessoa consegue ter controle dos pensamentos e preocupações, não permitindo que isso prejudique seus relacionamentos e desempenho nas atividades diárias, adiando essas preocupações para outro momento.

A pessoa consegue fazer escolhas e agir sem se deixar levar pelos pensamentos ruins e ansiedade. Quem sofre com ansiedade generalizada tem dificuldade de enxergar as possibilidades, ela fica focada em seus pensamentos negativos. Já aqueles que conseguem administrar melhor esses sentimentos conseguem olhar por uma outra perspectiva que não seja tão pessimista. Outro ponto importante, é que a ansiedade não patológica não gera sintomas físicos significativos.

A ansiedade é sentida e vivida de forma diferente por cada um, quando se perde o controle dela é preciso dar uma pausa, refletir sobre nosso modo de agir, sobre o momento que estamos vivendo e as circunstâncias que estão contribuindo nessa falta de controle. É preciso refletir sobre nossas relações, sobre como estamos agindo e reagindo diante das dificuldades, o que tem sido feito para melhorar nosso bem-estar, e pensar nas possibilidades e não somente na angústia.

Pensar em estratégias de enfrentamento, cultivar nossa  saúde mental com momentos que proporcionam alegria e força para crescer e encarar os desafios que a vida nos impõe.

Como lidar com a ansiedade generalizada

O tratamento dos transtornos de ansiedade é feito com o psicólogo e o psiquiatra. Nem todos os casos de ansiedade precisam ser tratados com psiquiatra e psicólogo, é preciso avaliar o nível dessa ansiedade, é possível conseguir amenizar essa ansiedade somente com a psicoterapia, mas é preciso conversar com um psicólogo para que seja feito o tratamento correto, e o encaminhamento para um psiquiatra só deve ser feito se for necessário.

Além disso, é importante procurar um médio clínico para descartar a possibilidade dos sintomas estarem relacionados com alguma doença. Escolher esse caminho de fazer psicoterapia é uma oportunidade de encontrar novas estratégias para lidar com a ansiedade.

Por isso, ao perceber que a ansiedade está gerando sofrimento não tente lidar com isso sozinho, é importante refletirmos sobre nosso modo de agir e encontrar possibilidades de mudança. Existem outros recursos que podem ajudar a amenizar a ansiedade e que podemos aliar com o tratamento psicológico, como:

  • A prática de exercícios físicos,
  • Meditação focada na respiração,
  • Organizar a rotina de acordo com o que é prioridade,
  • Explorar a criatividade descobrindo novas atividades que geram bem-estar,
  • Conversar sobre seus sentimentos com alguém de confiança.

Atualmente algumas pessoas se automedicam, porém existe outro caminho para lidar com os problemas emocionais.

O caminho da automedicação e da psicoterapia 

A medicação ajuda no alívio dos sintomas, ela age nas substâncias do cérebro que podem estar alteradas, regulando essas substâncias, e com isso a pessoa se sente melhor.

Mas quando se trata da forma que nos relacionamos e lidamos com os obstáculos da vida, o remédio não vai ser a solução. Por exemplo, quando não sabemos lidar com as opiniões negativas do outro sobre nós e ficamos tristes, o remédio não vai modificar esse sentimento. É nessa parte que o psicólogo tem um papel importante, de ajudar o paciente a encontrar outras maneiras de lidar com suas dificuldades, considerando sua história de vida e limitações.

As vezes sofremos com ansiedade generalizada, mas quando começamos a fazer psicoterapia, descobrimos que existem outras questões da nossa vida que precisamos lidar. Angústias relacionadas a autoestima, relacionamentos conflituosos, feridas do passado que ainda não se fecharam, perdas significativas, entre outras questões que são individuais de cada um.

Mexer com o lado mais escuro e triste da nossa vida, abre um horizonte de possibilidades de enfrentamento, crescimento e mudança. Podemos nos reconstruir e viver com mais qualidade de vida.

Elisa Regina Ribeiro
Últimos posts por Elisa Regina Ribeiro (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar