Saúde

A importância da frustração no desenvolvimento infantil

Enquanto estamos seguros, satisfeitos, confortáveis nas experiências de prazer não ousamos novas soluções, é a necessidade que nos empurra para as descobertas. Sendo assim, a frustração é condição essencial para que o pensamento se desenvolva em níveis ainda melhores de adaptação e capacidade de enfrentamento, sendo essas, também sensações positivas de êxito 

A frustração no desenvolvimento infantil

Com crianças também ocorre o mesmo, elas desenvolverão capacidade de pensar se puderem perceber que suas ações geram consequências, e esse aprender através da experiência exige que a criança tenha vivências inteiras, com começo, meio e fim. 

Pais muito preocupados tendem a interromper esse processo sem perceber que promovem uma sensação de incompetência na criança. 

Como os pequenos poderão crescer se seus pais não percebem que eles podem lidar com as dificuldades cotidianas, que estão aptos a conter angústias e são capazes de buscar soluções? 

O benefício que a frustração pode produzir
 

A frustração de não ter sido o rei ou a rainha da festa da escola, por não ter feito o gol na partida de futebol, por não ter conseguido andar de bicicleta sem rodinha, por não ter ainda aprendido a escrever, ou ler, dentre tantas outras que fazem parte da vida, são lindas oportunidades de aprendizado, onde a criança ao ter contato com essas experiências frustrantes, cria uma força interna, uma “ferramentinha” fundamental em seu desenvolvimento, adquirindo a capacidade de ser tolerante, e ter força de enfrentar o mundo – não que a vida seja necessariamente uma “pedreira”, mas conseguirá enfrentar as frustrações normais da vida adulta com maturidade, tolerância e superação. 

As crianças que são privadas das frustrações 

As crianças extremamente poupadas de tudo são exatamente as que mais sofrem diante de situações em que são contrariadas. Quando ouvirem seu primeiro não, terão muito mais dificuldade de lidar com esse fato, pois não criaram, quando crianças, essa “ferramentinha” em seu coração, tão necessária para enfrentar corretamente os sentimentos. 

E isso acaba gerando uma quebra no desenvolvimento, com consequências tão importantes quanto as oriundas de negligências, como castigos físicos exagerados ou abandono afetivo. 

Como agir diante da frustração da criança?

Quando presenciar um momento de frustração da criança, como agir? Escute, escute, escute. Acolha e veja dentro de você como pode contar para seu pequeno o quanto aquele momento é importante para seu crescimento, e também parte fundamental da realidade da vida. 

Explique que o ganhar ou o perder, o fracasso e a vitória são parte do pacote da vida, e que esses momentos são fundamentais para que eles percebam o que podem melhorar, e que o desejo de ser melhor, de se superar, é o que move nosso coração, mesmo que naquele momento seja difícil de compreender. 

Deixe que ele(a) se sinta frustrado e triste, apenas acolha suas angústias, não tente acabar com aquele momento, conseguindo de outras formas, e não pelo esforço da criança, o que ele deseja, pois quando adulto, precisará dessa experiência para saber como agir em situações parecidas e que não haverá ninguém para fazer por ele. 

Aproveite muito esses momentos, acolhendo o sentimento, acalmando o coração do pequeno, mas utilizando esses sentimentos para que ele aprenda. Quando vivemos e aprendemos colados na realidade,  podemos olhar para o que passou e sentir no coração a imensa gratidão por mais essa oportunidade. E aí o que parecia tão ruim, acaba se mostrando maravilhoso, porque fez parte da caminhada. 

O cuidar dos pequenos vai além do amor, está também, em possibilitar que eles adquiram todas as ferramentinhas necessárias para a vida adulta, mesmo que algumas delas sejam conseguidas através de experiências difíceis. Os pais que mostram aos filhos a realidade da vida, de forma amorosa, possibilitam a esses um caminho mais seguro. 

Pais que protegem excessivamente os pequenos da realidade, entregam uma visão de mundo irreal, e que não poderá ser mantida em longo prazo. O adulto se sentirá enganado e despreparado para viver. 

Marilia Giacobbo Trevizan

Com bases de formação na Psicanálise, ao longo da prática entrelacei outras abordagens e terapias integrativas, utilizando técnicas e ferramentas da Psicologia Sistêmica (família), Psicoterapia Breve e Positiva. Como ferramentas complementares utilizo os preceitos da constelação familiar, mediação e experiência somática. A vida é um presente incrível, repleta de inúmeras emoções, é um pacote completo, incluindo também um número incontável de dor, dúvidas, incertezas, decepções e tristezas.
Marilia Giacobbo Trevizan
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar