Desenvolvimento pessoal

Home office, mães e autoestima 

Antes de pensarmos em como as pessoas vêm lidando com o chamado ‘’Novo Normal’’, é importante saber como as mães vêm lidando com elas mesmas e seus desafios internos durante a pandemia.

Como tem sido lidar com a autoestima? Tem tirado um tempo para si? Tem tido vontade e tempo para cuidar da sua aparência, da sua saúde física e emocional? Você tem se escutado? Você está feliz no seu trabalho? No seu relacionamento (caso tenha um companheiro(a))? Como está lidando com o estresse no dia a dia? 

Durante os atendimentos que realizo, tenho observado algumas mães com a aparência de cansaço e com queixas de não ter tempo para si no dia a dia. Afinal, marido e filhos, todos em casa 24 horas, muitas vezes, em apartamentos pequenos, tem sido um desafio e tanto! 

Sugestão: Pensando no atual contexto em que todos vivemos e nos relatos que tenho recebido de alguns pacientes, decidi compartilhar algumas sugestões/dicas sobre como organizar a rotina, considerando as “multitarefas”: home office, estudo, cuidados com a rotina e organização do ambiente doméstico, cuidados com filhos e, principalmente, cuidados consigo mesma.

#1 – Planejar bem os dias e sempre tentar tirar no mínimo 30 minutos para você mesma

Como exemplo:

  • Fazer uma caminhada ao ar livre,
  • Meditação ou exercício físico,
  • Tomar um banho mais demorado e cuidar da pele, dos cabelos, das unhas,
  • Ler um capítulo de um livro de que gosta ou ouvir música.

Ou seja, coisas que lhe proporcionarão momentos de prazer e a possibilidade de estar mais conectada consigo mesma. 

Caso tenha um companheiro(a), é fundamental conversar para combinarem sobre divisão de tarefas, como por exemplo, combinar para ficar responsável pelas crianças por 1 hora e vice versa? São pequenas negociações que podem melhorar o ambiente e o convívio familiar, dia após dia. 

#2 – Reservar um espaço na casa para você

É necessário separar uma parte da casa para ter seu escritório, de preferência um lugar com maior tranquilidade para trabalhar, assim como as crianças também para estudar e ter aulas on-line.

#3 – Estabelecer regras e combinados também com as crianças

Por exemplo: “quando a porta estiver fechada, estou em reunião, não posso ser interrompida”, “busque ajuda do papai ou outro adulto que estiver na casa e assim que mamãe terminar a reunião, ficará novamente com você”. 

É importante que as crianças aprendam sobre a colaboração, assim, de acordo com cada faixa etária, é possível estabelecer tarefas que deverão ser realizadas por cada membro da família, como exemplo:

  • Arrumar a cama,
  • Guardar brinquedos,
  • Tirar o lixo,
  • Limpar as louças do almoço,
  • Colocar a mesa ou preparar o próprio lanche (quando já tem idade suficiente).

Envolva as crianças na rotina do dia a dia, é fundamental que se sintam responsáveis e que façam parte da rotina de organização da casa. 

# 4 – Separar um horário para brincar, conversar e relaxar junto com os filhos

O convívio com crianças e adolescentes da mesma faixa etária está bastante restrito, muitas vezes limitando-se ao “contato virtual”. É possível criar dia da leitura, dia da fantasia, dia da culinária, festa do pijama, piquenique no quintal ou na sala, noite de filmes e pipoca, jogos de tabuleiro em família, etc.

Tentar deixá-los envolvidos nas atividades recreativas, em uma parte do dia, permite que a criança/adolescente possa usar a criatividade e interagir naquele momento. Separe esse horário para estar de ‘’corpo e alma’’ com a criança/adolescente, esteja longe do celular e também das redes sociais e whatsapp.

Dedique esse tempo apenas ao seu filho. 

#5 – Não perder de vista os acontecimentos positivos

É necessário não somente acolher todas as inseguranças e medos que as crianças trazem devido ao momento que estamos vivendo, mas também falar de coisas positivas com os filhos e companheiro(a), uma vez que as notícias da mídia em geral nem sempre são positivas. Assim, o dia fica mais leve. 

Nesse momento tão delicado, é importante olhar para dentro de si, enfrentar conflitos internos, buscando se organizar intimamente, para assim conseguir organizar também tudo aquilo que é externo, incluindo sua rotina. 

Caso contrário, os conflitos não ditos e não resolvidos, as inseguranças, mágoas e marcas negativas do passado tendem a crescer internamente, podendo gerar um adoecimento psíquico a médio ou longo prazo, impedindo-lhe de viver com plenitude e minando sua capacidade de agir com resiliência. 

E lembre-se que ninguém é uma super-heroína. É fundamental reconhecermos nossos limites, para respeitá-los e superá-los, no dia a dia. 

A vida é um grande aprendizado e os obstáculos, quando bem superados, podem nos tornar mais fortes e felizes!

Um abraço carinhoso a todas as mamães,

Carolina Nonato Silva

Psicoterapeuta

Carolina Nonato Silva
Últimos posts por Carolina Nonato Silva (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar