DestaquePsicologia organizacional

O que é flexibilidade no trabalho e como implementar na sua empresa

Ter flexibilidade no trabalho é o sonho de todo profissional. Mas esse desejo não pode se tornar o pesadelo do empregador. Na verdade, é fundamental que seja vantajoso para ambos. 

Uma maneira de conciliar expectativas é promover liberdade e autonomia aos colaboradores, de modo que consigam organizar suas demandas sem prejudicar os processos. 

Neste artigo, abordaremos alguns benefícios da flexibilidade no trabalho, formas de implementá-la e apresentaremos exemplos práticos que trazem resultados positivos. Boa leitura!

O que é flexibilidade no trabalho?

Trata-se de organizar a própria rotina produtiva e gerenciar o tempo, conciliando vida pessoal e profissional. Nesse sentido, representa um novo modelo de gerenciar pessoas, baseado na liberdade e autonomia. 

Desse modo, espera-se que o colaborador execute tarefas conforme as demandas, considerando que cada pessoa tem seu próprio ritmo. Empresas que adotam a estratégia encontram uma alternativa diferente dos modelos tradicionais de trabalho, ou seja, rotinas rígidas, sem espaço para negociação de prazos e responsabilidades. 

Quais os benefícios da flexibilidade no trabalho?

Implementar flexibilidade nas empresas exige tempo e organização. No entanto, os benefícios são muitos. A seguir, conheça os principais. 

Fortalecimento da marca empregadora 

Oferecer liberdade e autonomia denota preocupação com o bem-estar dos colaboradores. Assim, o empregador se compromete a proporcionar equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Como resultado, a organização eleva a imagem no mercado e fortalece a reputação da marca. Consequentemente, profissionais qualificados terão interesse em conquistar uma vaga na empresa. 

Melhora a experiência do colaborador

A flexibilidade qualifica o employee experience, pois a companhia consegue atrair maior número de candidatos, além de aumentar a retenção de talentos. Afinal, o colaborador se sente mais satisfeito e motivado, pois consegue conciliar responsabilidades profissionais e questões pessoais. 

Maior produtividade

A produtividade é maior nas empresas que adotam a flexibilidade no trabalho. É o que demonstra uma pesquisa realizada pelo International Workplace Group (IWG). 

O estudo ouviu mais de 15 mil líderes empresariais de 100 países. Para 85% deles, a produtividade aumentou graças à flexibilidade. Outros 65% afirmaram que organizações flexíveis são muito mais produtivas. 

Redução de custos e despesas

Colaboradores trabalhando remotamente ou em home office diminuem despesas com material de escritório, energia elétrica, telefone, locomoção e alimentação. 

Melhor qualidade do clima organizacional

A possibilidade de equilibrar vida pessoal e profissional, com autonomia para definir a jornada de trabalho e as próprias demandas, tem impacto positivo no clima organizacional.

A satisfação dos colaboradores aumenta e a produtividade alta confere sensação de dever cumprido. Sendo assim, todos saem ganhando e contribuem para resultados positivos. 

Uso estratégico da infraestrutura

Flexibilizar horários e jornadas conforme a necessidade do colaborador permite rotatividade na escala de trabalho. Essa condição diminui a necessidade de espaço físico para abrigar as equipes.

Vale a pena implementar a flexibilidade no trabalho?

A resposta para essa questão depende de dois fatores: é necessário analisar as atividades do negócio e o perfil dos colaboradores

Para exemplificar, pense em empresas que prestam serviços durante 24 horas, como suporte técnico ao cliente, e precisam de profissionais disponíveis nesse período. Portanto, flexibilizar horários de jornada seria benéfico.

Por outro lado, uma agência bancária tem horário de expediente reduzido. Nesse caso, permitir que os colaboradores façam seus horários conforme desejarem inviabiliza o atendimento. 

Além disso, outro fator determinante é o perfil. Algumas pessoas são mais produtivas no horário matutino, enquanto outras trabalham melhor durante a tarde. Logo, são características a considerar antes de adotar o modelo flexível. 

Nesse sentido, ao decidir se a flexibilidade no trabalho será benéfica, considere o perfil comportamental de cada colaborador. Ainda, veja se a organização tem infraestrutura adequada e demandas suficientes para operar nesse modelo. 

Exemplos de flexibilidade no trabalho

Agora, confira exemplos para aplicar na empresa e contemplar os profissionais do futuro com a flexibilidade no trabalho. 

Home office

Impulsionado pela pandemia, o home office deixou de ser necessidade de isolamento social para se tornar uma forma de flexibilizar a rotina de trabalho.

O trabalho remoto permite realizar atividades à distância e pela internet, em casa ou em espaços compartilhados, como coworkings. 

Além da liberdade de horários, o home office extingue o deslocamento, tornando o profissional mais produtivo e motivado. A empresa também tem benefícios, como a redução de custos operacionais. 

Contudo, o home office traz alguns desafios para manter o colaborador engajado durante o trabalho remoto

Ambiente de trabalho acolhedor

O ambiente de trabalho não precisa ser sério e formal. Portanto, flexibilize o expediente, permitindo que o colaborador trabalhe de outros locais, além da própria sala. Nesse caso, ele pode levar seu notebook para trabalhar onde se sinta mais confortável e motivado, por exemplo, perto das janelas, ao ar livre ou em uma cafeteria próxima. 

A ideia é tornar a rotina menos engessada, priorizando o bem-estar das pessoas e dando liberdade para ficarem mais à vontade. 

Delegar tarefas conforme o perfil do colaborador

Conhecer o perfil comportamental dos colaboradores permite atribuir demandas específicas e relacionadas às habilidades de cada um. Assim, o profissional não fica limitado a uma função e pode experimentar outras atividades.

Com esse intercâmbio, o funcionário trabalha onde se sente mais produtivo, executando outras tarefas ou descobrindo habilidades que até então desconhecia. 

Flexibilização da carga horária

Permitir que o colaborador defina seus próprios horários, com entrada e saída diferenciada, pode parecer caótico, a princípio. No entanto, a gestão do tempo tem foco nas entregas, independente do horário em que são realizadas.

Deste modo, o colaborador rende mais, sem senti-ser sobrecarregado ou que está desperdiçando tempo, pois já cumpriu todas as tarefas.

Gestão horizontal

Substituir a hierarquia vertical por uma relação horizontal entre lideranças e liderados é altamente benéfico. Nesse caso, colaboradores de diferentes níveis participam das tomadas de decisão, com espaço para opinar e sugerir. 

Essa integração entre setores e hierarquias aumenta a sensação de pertencimento. Como resultado, os profissionais trabalham mais satisfeitos e empenhados em atingir metas. 

Conclusão

Percebeu como é possível implementar flexibilidade no trabalho? Com estratégias simples de executar, as lideranças conseguem ver quando, onde e como determinada tarefa será realizada. 

Enquanto isso, o colaborador pode conciliar assuntos pessoais e profissionais, sem prejuízo a nenhuma dessas áreas. O resultado será maior produtividade, engajamento e satisfação para todos. 

E então, sua empresa já adotou a flexibilidade no trabalho?

Este post foi escrito pela equipe do RH Portal.

Rh Portal
Últimos posts por Rh Portal (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar