Manifestações Clínicas dos Transtornos de Ansiedade

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a ansiedade afeta 9,3% da população brasileira.

A ansiedade é uma sensação considerada normal nos seres humanos, porém, quando começa a afetar seu funcionamento de vida diária passa a ser visto como patologia. 

Procure ajuda profissional caso identifique-se com os sintomas, pois a ansiedade pode acarretar outros transtornos mentais.

Transtorno de ansiedade generalizada 

De acordo com o DSM IV, o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva persistente e de difícil controle, com duração de no mínimo seis meses. 

Ocorre por fatores genéticos relacionados a fatores externos. A ansiedade passa a predominar no dia a dia da pessoa, ou seja, ganha sua forma patológica de se manifestar. 

Ainda que consiga-se perceber que as preocupações e medos são maiores que o necessário, é difícil manter o controle dos pensamentos disfuncionais (assim chamados pelos profissionais)

Fobias específicas 

São medos persistentes, excessivos e irracionais de algum objeto, animais ou situação. Por exemplo: locais fechados, sangue, aranhas, multidões. É na infância que origina-se 90% desses medos provenientes de uma experiência traumática.

Transtorno ou síndrome do pânico 

É caracterizado por crises de ansiedade de intenso medo que dura de cinco a dez minutos, ocasionando diversos sintomas físicos, tais como taquicardia, tremores, sudorese, falta de ar, formigamento, náuseas, etc.

Sintomas comportamentais: agitação, dificuldade na fala, fuga; sintomas emocionais: nervosismo, impaciência, medo e frustração e sintomas cognitivos: baixa concentração, memória fraca, hipervigilância. 

O medo é sempre relacionado à morte e/ou perca de controle. A pessoa pode confundir estes sintomas de ansiedade com os sintomas de alguma patologia biológica grave e intensificar sua crença de que algo ruim está por acontecer. 

Transtorno de ansiedade de separação 

É caracterizado por um sofrimento profundo e exagerado após separação de entes queridos e até mesmo do lar. Afeta crianças, adolescentes e adultos quando os sintomas não foram percebidos e tratados na infância. 

Ocorre devido a uma predisposição da criança à ansiedade (fator genético) somado a estímulos ambientais, como por exemplo mudanças bruscas na vida da criança e vivência de ambientes conflituosos.

A importância da ajuda profissional

Sofrer de ansiedade passa a ser em determinado momento muito desgastante para alguém. Procure ajuda profissional e aprenda a controlar os sintomas e extinguir as crises. 

As manifestações apresentadas neste texto são tratadas com ajuda de psicólogos e/ou psiquiatras, podendo ou não necessitar de tratamento medicamentoso.

 

Últimos posts por Naiara Silva do Amaral (exibir todos)

Deixe seu comentário aqui

Assine nossa newsletter

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores conteúdos sobre bem-estar, saúde e qualidade de vida

Saúde mental, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

Através do nosso programa de saúde mental, as empresas reduzem perdas com afastamento do trabalho por demandas emocionais.

Fechar
Fechar