Saúde

O que é doença mental?

Dá-se o nome de doença mental a transtornos mentais que vão se instalando gradativamente, transtornos como: sugestibilidade, ou seja  facilidade em se deixar influenciar por opiniões de outros, paralisia, anorexia, esgotamento nervoso, perturbações gastrointestinais, cefaleias, impotência diante do esforço, desespero em face do obstáculo, perturbações da emotividade, tristeza, inquietude, ansiedade, crises de angústia, síndrome maníaca e depressiva, agitação motora, humor eufórico ou colérico (sabe aquele tipo de pensamento muito rápido, porém der repente você sente que as ideias fugiram?), etc.

E a Depressão? A depressão apresenta-se inicialmente como uma inércia motora e vem se agravando com demonstrações de humor triste, ou seja, a pessoa não vê graça em nada, e este comportamento muitas vezes vem acompanhado de hiperatividade psíquica.

Porém, para se chegar a um diagnóstico e entrar com tratamento, precisamos avaliar os sintomas e verificar o grau em que se apresenta o transtorno.

A doença e a evolução

Diante de um doente certificado profundamente (grau bastante aumentado da patologia), tem-se a impressão primeira de um déficit global. Sabe quando a pessoa fica insatisfeita com tudo e se irrita facilmente tanto no trabalho quanto em casa? Para estes casos dizemos que a consciência do indivíduo está desorientada, fragmentada; logo depois podem aparecer reações emocionais como: Vontade de chorar, tristeza, isolamento, enfim, nota-se neste indivíduo uma queda de energia psicológica que caracteriza a doença.

O indivíduo passa a não acreditar na realidade que o cerca, pois para ele é uma conduta difícil. O que vem a ser uma conduta difícil? O indivíduo passa a ter sentimentos de menos valia, sente-se incapaz, inferior, culpado (auto estima em baixa).

Consequências

O desenvolvimento da patologia mental, quando não tratado, traz ao indivíduo prejuízos significativos, como:  perda de emprego, ruptura nos relacionamentos e solidão.

O indivíduo passa a viver em uma atmosfera caótica, o que lhe trará um total desconforto. Sabe quando parece que você se perdeu em uma mata fechada? E você não sabe para que lado seguir? É quando aparecem os medos, insegurança, e junto a tudo isto vem o desejo de que tudo seja apenas um pesadelo, e que ao acordar você estará LIVRE!

Mas só que não, né?

Você sabia que não precisa chegar nesse estágio? E isto só depende de você, pois você é seu guia e protetor, então quando começar a sentir-se desconfortável, corra a seu favor, existem meios para que possamos manter a sanidade mental.

Dicas para que você não se permita chegar a um estado avançado de doença mental

  1. Procure compartilhar suas emoções;
  2. Procure acompanhamento psicológico;
  3. Faça sessões de psicoterapia;
  4. Pratique esporte;
  5. Faça Relaxamento, treine a respiração, isso ajuda a diminuir a Ansiedade;
  6. Aprenda o autoconhecimento, pois esta é uma das ferramentas mais indicada para promover seu bem-estar;
  7. Tenha Pensamentos positivos;
  8. Tente dormir bem;

Aqui vou indicar duas técnicas para você relaxar e dormir bem.

Técnica 1

Experimente, por volta de 20 ou 21hs, tomar um chá relaxante, que não contenha cafeína.

Trabalhe sua respiração, relaxe, ao deitar pense apenas em coisas boas, visualize belas paisagens e deixe o sono chegar.

Técnica 2

Sente-se em posição confortável, lugar silencioso, deixe as costas retas, jogue os ombros para trás, sinta seu corpo relaxado e agora comece a prestar atenção em sua respiração, inspire pelo nariz, faça essa inspiração bem longa, sinta chegar o ar no abdômen, segure-o por um segundo e expire pela boca lentamente, enquanto expira, conte até sete, no primeiro dia, repita essa respiração por três ou quatro vezes, com intervalos de cinco minutos. Nos dias seguintes vá aumentando aos poucos.

Essa técnica irá ajuda-lo não só a nível emocional, mas também no aspecto físico, o que irá diminuir muito sua ansiedade.

Repita essa técnica quantas vezes achar necessário, e lembre-se de seguir as instruções, caso faça manobras contrarias, deixará de obter o resultado desejado.

Psicólogo ou psiquiatra, qual a diferença entre os dois?

Sabe aquelas pessoas que quando alguém diz “Você precisa procurar um Psicólogo”, a pessoa responde” Eu não sou louco(a), quem vai a psicólogo é louco”.

Então eu pergunto, O que é para você ser louco? É uma doença contagiante? Por que as pessoas têm medo deste termo?

Vamos esclarecer.

Quando estamos em uma fase inicial da doença mental, apresentando quadros como ansiedade, ou quando sentimos desconfortos como: angústia, tristeza, irritabilidade, estas patologias em nível inicial, somente o tratamento com o psicólogo é suficiente, porém quando o quadro começa a se agravar, somente a intervenção do psicólogo já não é suficiente, e neste momento é que recomenda-se a intervenção também de um psiquiatra, pois este ira prescrever medicamentos, o que não é permitido ao psicólogo. Esta é a diferença.

Quando procurar um psicólogo?

Sabe quando você se percebe com dificuldade para dormir, ou começa a comer compulsivamente, ou se pega com irritabilidades repentinas muitas vezes por coisas bobas? Ou então sentimentos de angústia, vontade de chorar e outros desconfortos emocionais? Atente-se a estes sintomas, para saber quando procurar um psicólogo.

Como procurar um psicólogo?

Têm pessoas que dizem “não vou procurar psicólogo, pois já procurei e não adiantou”.

Pois bem! Sabe quando você vai comprar um sapato? Você sabe que quer um sapato confortável, porem você entra na loja, escolhe o sapato, pede seu número, mas quando calça o sapato você percebe que esta desconfortável, e o lojista diz “ah, não se preocupe, ele vai lacear” e você leva o sapato, só que você usa, usa, e o sapato continua incomodando, e por fim você o abandona!

Então saiba: para que você não abandone a terapia, vá procurando um terapeuta, até que encontre um que realmente te faça sentir bem, confortável, é seu direito. Você pode trocar de terapeuta quantas vezes achar necessário, pois o importante é sua saúde mental.

 

Referência:

Doença mental e Psicologia Michel Foucault

Últimos posts por Vera Lucia Martins de Oliveira (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar