Desenvolvimento pessoal

Psicoterapia: o que é, para que serve, a quem se destina, como funciona?

Algumas palavras entram no nosso vocabulário e passam a fazer parte do nosso cotidiano sem que prestemos suficiente atenção ao que de fato significam. Psicoterapia é uma dessas palavras. Este texto tem por objetivo explanar o que é psicoterapia, quais seus objetivos, como é seu funcionamento e quais pessoas este tratamento pode beneficiar.

O que é psicoterapia?

A palavra psicoterapia tem origem grega. Psykhé significa mente, já Therapeia significa ato de curar ou ato de reestabelecer algo que foi perdido. Então, de modo geral, a psicoterapia é um tratamento que busca curar as doenças da mente, os transtornos psicológicos e reestabelecer a saúde mental das pessoas

Terapia é a parte da medicina que se dedica aos cuidados oferecidos aos doentes e à escolha do tratamento necessário. A psicologia incorporou este termo ao seu repertório de conceitos, adicionando o prefixo “psico”. Portanto, psicoterapia é um método de tratamento psicológico que se dedica a oferecer cuidado para as pessoas, casais, famílias ou grupos que estão em sofrimento emocional. 

Há vários tipos de psicoterapia e o psicólogo escolhe o método psicoterápico de acordo com a linha teórica que segue em sua prática profissional. Mas, você que busca pelos serviços do psicólogo, não precisa se preocupar com isso.

As linhas teóricas têm suas particularidades, semelhanças ou diferenças entre si, no entanto, todas elas são capazes de cuidar das pessoas e todas trabalham com vistas a alcançar cura ou alívio para o sofrimento que motivou a busca pelo tratamento psicológico.

Psicoterapia fenomenológico-existencial

No meu caso, escolhi a abordagem existencial e o método fenomenológico para embasar minha prática clínica. Pelo fato de ter direcionado meus estudos de modo mais aprofundado nesta linha teórica e neste método, darei continuidade a este texto tendo esta perspectiva como fio condutor das informações que irei descrever.

A Psicoterapia Fenomenológico-Existencial é a terapia acerca da qual o psicólogo conduz o paciente a refletir sobre suas atitudes, sua fala, suas crenças e sua maneira de se relacionar com os acontecimentos da vida e com as pessoas. O que difere o diálogo no contexto da psicoterapia das outras conversas que temos nos mais variados ambientes sociais, é a atitude empática, a escuta compreensiva e livre de julgamentos por parte do psicólogo.

O psicólogo trabalha para que o paciente entre em contato com suas angústias e sofrimentos, ajudando-o a compreender o sentido e significado dos seus sentimentos e das suas vivências. Uma vez alcançada a compreensão, o objetivo é encontrar formas de amenizar e/ou lidar com o sofrimento.

É importante esclarecer ainda que a psicoterapia é um tratamento que acontece com a colaboração de ambos: psicólogo e paciente. É um trabalho que precisa da participação de todos os envolvidos, onde cada qual tem seu papel e importância no desenvolvimento de todo o processo psicoterápico.

Objetivos da psicoterapia: pra que serve?

O processo terapêutico tem por objetivo ampliar o campo perceptivo do paciente, contribuindo para que ele adquira uma visão de mundo mais abrangente.

A mudança no campo perceptivo, ou seja, na capacidade de perceber e compreender o que acontece ao seu redor, em seu cotidiano, nas suas relações, é necessário para que a pessoa possa ressignificar os fatos que estão lhe causando sofrimento, podendo assim abrir-se para novas possibilidades existenciais.

A psicoterapia poderá contribuir para que a pessoa consiga encontrar maneiras de relacionar-se consigo e com o mundo de forma mais agradável, saudável e menos sofrida. Também levará a pessoa a um maior conhecimento de si, tornando-a capaz de perceber as suas qualidades, seu potencial individual e suas formas de viver diante desse mundo, valorizando assim sua existência.

Visa ainda promover o crescimento pessoal e cura de determinados sintomas. Através da condução do tratamento adequado, é possível restabelecer a saúde emocional do paciente e promover seu bem-estar. 

No caso de pessoas diagnosticadas com algum tipo de transtorno mental, tais como:

  • Ansiedade,
  • Depressão,
  • Transtorno alimentar,
  • Síndrome do pânico,
  • Estresse,
  • Fobias,
  • Transtorno bipolar,
  • Transtorno obsessivo-compulsivo e outros.

Além dos objetivos da psicoterapia narrados acima, também fará parte do tratamento psicológico o trabalho psicoeducativo. Esta intervenção tem como propósito informar o paciente e, caso seja necessário, também seu(s) cuidador(es), a respeito de sua doença e as opções de tratamentos.

De modo geral, lidamos melhor com as situações que conhecemos, então, este é o objetivo da psicoeducação: oferecer ao paciente de forma didática e ao alcance de sua compreensão, informações sobre sua doença e sobre as opções de tratamento para que ele mesmo, com o apoio e orientação do psicólogo, construa “ferramentas” mais eficazes para lidar com sua doença, para que se comprometa com o(s) tratamento(s), para que a duração e intensidade das crises diminuam, para que se evite grande número de internações hospitalares e para prevenção da ocorrência de novos episódios. 

Quais pessoas podem realizar psicoterapia?

Em curtas palavras, podemos dizer que não há contraindicação para realização da psicoterapia. Psicólogos e clínicas de psicologia oferecem ludoterapia (para crianças), psicoterapia individual para adolescentes, jovens, adultos e idosos, psicoterapia para casais, famílias e grupos. 

Há um ponto que não posso deixar de mencionar: infelizmente, de modo equivocado, ainda hoje circula a ideia de que psicoterapia se destina apenas à portadores de doenças mentais ou pior, apenas para “loucos” – termo usado em tom pejorativo.

Psicólogos e vários profissionais de saúde vêm trabalhando para corrigir esta ideia errônea que só atrapalha e gera preconceitos em relação ao tratamento. Qualquer pessoa, portadora ou não de transtorno mental ou de comportamento, pode precisar ou desejar realizar psicoterapia. Isto porque a psicoterapia pode ter caráter preventivo, de diagnóstico ou curativo. 

 A psicologia é a ciência que se ocupa em estudar os fenômenos, estados e processos mentais; o comportamento humano e suas relações com o meio social. Então, todas as queixas relacionadas ao funcionamento da mente, ao comportamento humano e às formas de relação do ser humano com o mundo, com as pessoas e consigo mesmo podem ser questões a serem abordadas e tratadas na psicoterapia.

Como funciona a psicoterapia?

É comum que a psicoterapia comece com uma Entrevista Inicial. Esta Entrevista tem por objetivo que o paciente apresente ao psicólogo sua queixa, ou seja, quais situações, sintomas ou questões motivaram a busca pelo tratamento psicológico. Além disso, também também há o espaço para o fechamento do contrato de prestação de serviços. 

Nesse contrato é combinado entre as partes e de acordo com a avaliação do profissional:

  • A quantidade de consultas que serão necessárias por semana;
  • O tempo de duração de cada encontro;
  • O estabelecimento do(s) dia(s) e horário(s) das consultas;
  • A forma de atendimento (presencial ou on-line);
  • As regras em relação a faltas, atrasos e remarcações;
  • O valor e forma de pagamento e esclarecimento quanto ao sigilo profissional. 

O mais comum é que as consultas aconteçam semanalmente e possuam duração de 50 minutos, mas há outras configurações possíveis, a depender da necessidade de cada caso.

Dado início à psicoterapia, esta poderá manter a mesma configuração do início ao fim do tratamento ou apresentar modificações durante seu acontecimento, sempre em comum acordo entre as partes e conforme necessidade de cada paciente.

O tempo de duração do tratamento está sujeito a vários fatores, tais como: quadro clínico do paciente e as demandas eleitas como queixas a serem tratadas, comprometimento com o tratamento, assiduidade nas consultas. Sem esquecer que cada pessoa é única, então, o tempo de progresso é particular. 

Para finalizar, é importante esclarecer que a qualquer momento o paciente poderá questionar eventuais dúvidas a respeito do contrato e do tratamento diretamente com seu psicólogo. Este, por sua vez, deverá prestar os serviços cumprindo o Código de Ética Profissional e todas as demais legislações, resoluções e normativas pertinentes. 

Espero ter contribuído para esclarecer o que é psicoterapia e seu importante papel no resgate ou na manutenção da saúde mental das pessoas. Cuide sempre de sua saúde física e mental!

Elen Passos da Silva

CRP 06/70758

 

Referências bibliográficas:

ANGERAMI, Valdemar Augusto. Psicoterapia e fenômeno humano. In: ANGERAMI, Valdemar Augusto (org.). Psicoterapia Fenomenológico-Existencial. Belo Horizonte: Ed. Artesã, 2017. p. 319-357.

ANGERAMI, Valdemar Augusto. Psicoterapia, detalhes e nuances. In: ANGERAMI, Valdemar Augusto (org.). Psicoterapia Fenomenológico-Existencial. Belo Horizonte: Ed. Artesã, 2017. p. 55-85.

CORDIOLI, Aristides Volpato e GIGLIO, Larriany. Como atuam as psicoterapias: os agentes de mudança e as principais estratégias e intervenções psicoterápicas. In: CORDIOLI, Aristides Volpato (org.). Psicoterapias: abordagens atuais. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2008. p. 42-57.

CORDIOLI, Aristides Volpato; ISOLAN, Luciano e PHEULA, Gabriel. Fatores comuns e mudança em psicoterapia. In: CORDIOLI, Aristides Volpato (org.). Psicoterapias: abordagens atuais. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2008. p. 58-73.

TERAPIA. In: MICHAELIS, Dicionário Online de Português-Brasileiro. Melhoramentos, 2020. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/terapia/. Acesso em: 28/06/2020.

Elen Passos da Silva
Últimos posts por Elen Passos da Silva (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Poxa, como podemos aproveitar a tecnologia para evoluir para o bem. Eu, um ignorante nessa área, esperei quase 30 anos para entender e respeitar essa ciência e os profissionais dessa área. Comecei minhas sessões há 7 semanas. Cruzou em meu caminho a profissional Elen Passos da Silva. O que dizer: coincidência ou energia? Foi empatia à primeira vista. Se tenho que escrever mais, é só para agradecer à plataforma psicologia viva, a Elen e a mim, que como foi dito anteriormente no texto do blog, há um compartilhamento para o positivismo no tratamento.
    Enfim…obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar