Saúde

O que é Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e como tratá-lo?

O que é o Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade?

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade tem como características pessoas que são muito desatentas ou muito agitadas e demonstram dificuldades como:

  • Baixo desempenho escolar,
  • Dificuldades para se relacionar com colegas,
  • Problemas para respeitar regras,
  • Lentidão,
  • Dificuldades para relevar alguns estímulos,
  • Dificuldades de organizar e planejar tarefas,
  • Dificuldade de se manter atento durante uma atividade mental que dure algum tempo,
  • Dificuldade de inibir comportamentos que podem ser prejudiciais de alguma forma,
  • Dificuldades na aprendizagem da lectoescrita e da matemática.

Como ajudar alguém com esse transtorno?

Para poder ajudar  um indivíduo com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é necessário que os responsáveis coloquem limites, porém, sem ser muito autoritarismo, criar uma rotina bem estruturada e ajudar na autonomia desse indivíduo, como motivações importantes para auxiliar a pessoa com esse transtorno.

Crianças que possuem Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade têm muita dificuldade em concentração e atenção, porém não existem alterações em um nível cognitivo que venha a ocasionar comorbidades como deficiência intelectual, autismo, síndromes de down e outras Síndromes neurológicas.

Esse transtorno interfere negativamente na vida social, nas relações interpessoais, pois se a criança for hiperativa ou desatenta ela apresenta um nível de agitação ou desatenção que causa uma impressão negativa em outras pessoas, além de outras dificuldades, como por exemplo o cumprimento de regras, onde por conta dessa condição o indivíduo apresenta também essa dificuldade.  

Quem pode perceber o o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade?

Um profissional que pode alertar os pais sobre estar atento para esse transtorno são os professores, que têm contato com a criança por um tempo considerável e podem observar a agitação excessiva ou a desatenção também excessiva, que reverbera em outras dificuldades como na aprendizagem, nas relações sociais com outras crianças, com a família, com os professores, enfim, com pessoas do convívio social do aprendente e consequentemente reverbera negativamente nele mesmo, pois ele se observa, se percebe e se compara com outras crianças e vê que há algo diferente.

O pediatra pode observar alguma alteração relacionada à falta de atenção e incentivar os pais a procurarem outro profissional especialista que realize uma investigação mais aprofundada, realizando exames no sentido de descobrir se de fato ocorre o Transtorno e Déficit de atenção e hiperatividade ou não.

Do ponto de vista Psicológico, a intervenção com esse profissional é importante pois auxilia no manejo das emoções, sobre como a criança lida com as emoções diante desse transtorno. A potencialização das habilidades e qualidades é necessária para prevenção da saúde mental e da autoestima da criança. Outro ponto a ser trabalhado é o manejo das relações interpessoais e intrapessoais de forma a ajudar com que a criança saiba lidar com esse transtorno diante das outras pessoas.

Outro profissional que auxilia de forma enfática é o especialista em psicopedagogia, que foca em questões como

  • Controle e manejo da agitação,
  • Falta de atenção e concentração,
  • Auxilia no manejo da sinestesia e espacialidade para hiperativos,
  • Foca em atividades que deixam os desatentos mais ativos e atentos.

Isso consequentemente ocasiona uma melhora em outras áreas da aprendizagem, como aquisição da leitura e escrita, matemática, demais áreas que demandem atenção e concentração como áreas que tenha mais leitura com história, geografia, português, em que o psicopedagogo auxilia também no planejamento e organização de tarefas escolares, tarefas do dia a dia, além de ajudar na autonomia da criança diante das dificuldades apresentadas pelo transtorno.

Assim, o indivíduo pode aos poucos ir se estruturando e conseguindo obter um nível atencional e cognitivo adequado para obter evolução e sucesso nas aprendizagens, utilizando para isso planejamento em inscrito da rotina, atividades, jogos de estratégia, que estimulem a concentração e atenção desejados.

Outro profissional importante para o auxílio da evolução da criança que possui o Transtorno e Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é o Psiquiatra pois realiza exames que comprovam esse transtorno, e uma vez comprovado o transtorno, o médico psiquiatra passa remédio para controle do TDAH, de acordo com o modo do transtorno que pode se manifestar no Hiperativo ou Desatento.

Outro profissional que pode contribuir para desenvolvimento da criança é o psicomotricista que pode auxiliar os hiperativos no controle psicomotor, aliando a isso jogos e atividades que desenvolvam o controle do corpo cinestésico, além de indicar também esportes para que aliado a tudo isso ocorra um controle e diminuição da agitação.

Como os pais podem ajudar os filhos com TDAH?

Um indicador de que a criança esteja precisando passar por uma investigação pode partir dos pais, pois estes podem observar alguns sinais que estejam destoando como o excesso de agitação ou o excesso de desatenção, a falta de organização das atividades diárias, a carência de desenvolvimento social com outras pessoas e a falta de desenvolvimento sócio emocional para lidar com essas características que estão acontecendo com a criança.

Os pais podem observar e procurar ajuda profissional já citadas acima

Crianças que apresentam características de Dislexia, Autismo, Síndrome de Down, Transtorno Opositor Disruptivo (TOD),Transtorno do Processamento Auditivo podem apresentar como comorbidade o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), e não para que as características dos sintomas tanto das Síndromes e Transtornos como da comorbidade podem ser diminuídas se forem avaliadas, passarem por intervenção precoce e assim ocorrer a neuroplasticidade dos neurônios e consequentemente ocasionar a evolução do indivíduo como um todo.

Por fim, para que ocorra a evolução do sujeito é necessário esse trabalho multiprofissional que englobe a família, a escola, o psicólogo, o psicomotricista, o psiquiatra, o psicopedagogo, o neuropediatra, o pediatra e o próprio sujeito entender que precisa de tratamento, e assim aderir ao mesmo e ao longo do tempo ir controlando, diminuindo e sabendo lidar com as características do Transtorno e Déficit de Atenção e Hiperatividade.

A equipe também precisa estar sempre dialogando entre si e tentando buscar sempre as melhores alternativas, atividades, jogos, relatórios para que as atividades tenham os mesmos objetivos e os resultados sejam satisfatórios e a evolução da criança seja satisfatória pois esse transtorno acompanha a pessoa por todas fases da vida, além de que outros obstáculos podem ocorrer. Portanto, é de extrema necessidade essa rede de profissionais e uma rede de apoio tanto de amigos quanto da família.

Psicóloga Sara Santos Borges

Especialista em Psicopedagogia

Sara Santos Borges
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar