Desenvolvimento pessoal

Lidando com pensamentos obsessivos no TOC utilizando a Terapia cognitivo comportamental

Primeiramente, é necessário deixar claro que pensamentos obsessivos podem aparecer para qualquer pessoa, em diversos momentos. Portanto, só o fato de você ter pensamentos obsessivos não quer dizer que tenha TOC.

Normalmente eles — os pensamento obsessivos — aparecem de forma mais simples, como pensar em pular de um local alto, pensar que vai bater o carro, imaginar-se beijando algum amigo, etc. O problema é se esses pensamentos forem constantes e prejudicarem a forma de vida da pessoa.

O que é TOC?

O TOC ou Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma condição que faz com que o individuo sofra com pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos, sentindo a necessidade de repeti-los diversas vezes para se sentir satisfeito, como por exemplo: lavar as mãos diversas vezes com medo de se contaminar, ou pegar alguma doença, ou ir diversas vezes verificar se trancou a porta por medo de ter deixado aberta e ser assaltado.

O problema é que essa satisfação é momentânea e depois de um tempo a necessidade de realizar esse comportamento compulsivo reaparece.

Existem diversos tipos de comportamentos compulsivos, como por exemplo deixar certos objetos alinhados, ou seja, talheres, copos, livros, canetas, escovar os dentes 20 vezes do lado direito, 20 vezes do lado esquerdo, entre outros.

Esses e outros comportamentos causam muito estresse na vida da pessoa, pois atrapalham o desempenho profissional, social, afetivo, o que geram sentimentos de tristeza, agonia e frustração.

Eles são automáticos, ou seja podem aparecer em qualquer hora sem que o individuo tenha consciência.

Como diagnosticar o TOC?

Para saber a causa que leva a pessoa a desenvolver o TOC é necessário estudar diversos aspectos da vida, como o social, familiar, cultural e comportamental.

Uma das formas de descobrir se a pessoa possui esse transtorno é através de avaliação psicológica. Será necessário que o psicólogo faça uma análise do histórico de vida do paciente, buscando estudar as áreas de sua vida através de uma entrevista, podendo assim diagnosticar o TOC.

Mantenha sua agenda sempre cheia!

Existe a necessidade de tomar algum remédio?

Os remédios podem ajudar com diversos transtornos, mas com o TOC normalmente não existe essa necessidade, pois através da terapia se conseguem muitos resultados positivos no tratamento deste transtorno.

O que é a terapia cognitivo comportamental (TCC)?

Muito se fala sobre os comportamentos repetitivos do TOC, mas algo muito importante de se saber é que esses comportamentos compulsivos são acompanhados de pensamentos obsessivos e que causam muito desconforto.

É aí que entra a Terapia Cognitivo-comportamental, ou mais popularmente conhecida como TCC.

Essa é uma abordagem da psicologia que busca analisar os pensamentos, sentimentos e comportamentos do individuo.

Um dos focos de estudo da TCC são os pensamentos disfuncionais ou (PD), que são pensamentos distorcidos em relação a realidade, ou seja, pensamentos que não têm fundamentos, como por exemplo acreditar que se não lavar as mãos 10 vezes vai trazer doenças para o individuo e seus familiares, ou que se deixar o chinelo virado vai causar a morte de um familiar.

A TCC possuí diversas técnicas e ferramentas que podem ajudá-lo a lidar melhor com esses pensamentos e comportamentos disfuncionais, trazendo um alívio e auxiliando para que você possa viver de uma forma mais equilibrada.

Como a TCC pode ajudá-lo(a)?

Uma coisa muito importante para se entender é que a ideia da TCC é fazer com que o individuo se torne o próprio psicólogo de si, e uma das formas para se fazer isso é através do modelo cognitivo, que é composto de uma situação que gera um pensamento, e este então gera uma reação.

Pode parecer complicado de primeiro momento, mas é algo que com a prática e acompanhamento do psicólogo cada vez vai se tornando mais fácil. Em seguida vou demonstrar com alguns exemplos e vai ficar mais fácil de entender como é possível trabalhar para auxiliar você a melhorar esses pensamentos que geram o TOC.

Trabalhando com os pensamentos do TOC

Primeiramente, é necessário saber qual a situação que desencadeia o TOC, por exemplo:

Situação:

  • Lavar as mãos uma vez.

Então, o pensamento do individuo pode ser

  • “Minha mão ainda esta suja”,
  • “Vou trazer bactérias para dentro de casa e contaminar meus familiares”,
  • Etc.

Sua reação pode ser:

  • Emoção: Ansiedade,
  • Reação física: Agitação, respiração acelerada,
  • Comportamento: Lavar as mãos novamente.

Como se pode observar, o que desencadeia o pensamento obsessivo é a forma como o individuo interpreta uma situação. Algo simples como lavar as mãos acaba tornando-se um transtorno por causa dos pensamentos disfuncionais e obsessivos e isso desencadeia uma série de sensações e reações  desagradáveis que o levam a um ciclo vicioso praticamente sem fim.

Encontre um psicólogo

Como fazer para trabalhar esses pensamentos de uma forma melhor?

Agora que já entendemos o que causa os pensamentos obsessivos no TOC, é necessário fazer uma avaliação desses pensamentos e uma reestruturação.

Após analisar quais os pensamentos disfuncionais (PD) podemos utilizar uma outra ferramenta muito importante da TCC que é o questionamento socrático. Através dela são feitos diversos questionamentos importantes para testar a real validade dos pensamentos disfuncionais, como por exemplo:

  • “Quais evidências apóiam essa idéia?” 
  • O individuo pode responder algo como: 
  • “Existem muitas bactérias e vírus no mundo.”
  • “Quais as evidências contra essa idéia?”
  • Ele pode responder:
  • “Meus familiares não lavam as mãos tantas vezes que nem eu e mesmo assim estão todos saudáveis.”

Este é apenas um exemplo dentre as diversas técnicas que a TCC possuí para poder ajudar a reorganizar os pensamentos, sentimentos e comportamentos. Para cada caso específico existem soluções que podem ser encontradas através desta abordagem.

Conclusão

É importante trabalhar de uma forma que se consiga ressignificar os pensamentos disfuncionais, trazendo para a realidade e avaliando os pensamentos e interpretar de forma diferente outras situações, para que aos poucos o comportamento possa ir deixando de estar associado à compulsão.

Quanto mais consciente o individuo for sobre quais pensamentos são funcionais e quais não são, será mais fácil de trabalhar essas questões e torná-las mais “saudáveis”.

Por isso é muito importante procurar auxilio na psicoterapia, para que seja possível trabalhar em cima destas e de outras questões que podem surgir no dia a dia.

Psicólogo Victor Luiz Konecsni Gonçalves

CRP: 06/163802

Entre em contato e agende uma sessão pelo link: https://www.psicologiaviva.com.br/psicologos/victorpsicologo/

Referências:

  1. A terapia cognitivo-comportamental no transtorno obsessivo-compulsivo. Scielo, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462008000600003. Acesso em 07 abr. 2021.
  2. SANTANA, Maria Eduarda de Lima. Intervenções clinicas da terapia cognitivo comportamental no tratamento do transtorno obsessivo compulsivo. Monografias Brasil escola, 2021. Disponível em: https://monografias.brasilescola.uol.com.br/psicologia/intervencoes-clinicas-terapia-cognitivo-comportamental-no-tratamento.htm. Acesso em: 07 abr. 2021.
VICTOR LUIZ KONECSNI GONCALVES
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar