Desenvolvimento pessoal

Perceba se você está vivendo bullying na vida adulta e se livre o quanto antes

O bullying é um assunto que está sempre em alta e trazendo graves consequências para as vítimas. Tais consequências podem ter sérias complicações na vida, não sendo fáceis de resolver quando causam muita dor e sofrimento para quem vive tal situação. Considerado um poderoso controle social, este processo acontece em uma esfera coletiva, como um fenômeno social.

Diariamente percebemos que acontece no meio escolar com crianças e adolescentes, mas também tem acontecido na fase adulta, através de comentários, difamações e calúnias. É uma forma de humilhação, de ameaças, utilizada para assustar e intimidar as vítimas, podendo ser apresentada através de brincadeiras e palavras pesadas. Este comportamento intimida as pessoas agredidas e transforma suas vidas em um verdadeiro caos, prejudicando suas relações interpessoais.

Atualmente tem acontecido o cyberbullyng que são colocações maldosas através do uso da internet, que é considerado um meio de divulgação mais rápida. Basta alguns minutos para que a disseminação aconteça podendo denegrir a imagem de qualquer ser humano, principalmente os famosos. O bullying pode acontecer diante dos nossos olhos e atingir pessoas que nos são importantes, fique por dentro de maiores informações e se previna. 

O bullying na vida adulta

O bullying na idade adulta acontece de diversas formas e muitas vezes vêm representado através de assédio moral. O agressor sempre domina a vítima através do seu poder e demonstra um maior grau de liderança e autoridade. Sem se preocupar com o que a vítima sente, age de forma agressiva e enxerga sua atitude como qualidade, mantendo opiniões positivas sobre si mesmo. Sente satisfação em controlar, em dominar e muitas vezes não percebe que pode causar danos à vítima.

Esta situação pode acontecer com ambos os sexos, sem distinções, todos podem passar por tal constrangimento. Possivelmente a vítima que é assediada pode se sentir culpada e ter baixa autoestima como consequência do fato, além de sentir medo e vergonha. Pode ficar mais vulnerável, sentir-se pressionada, tendência a se isolar e pode desenvolver um repudio grande e pavor pelo agressor.

Assédio moral é considerado uma violência psicológica, quando acontece nas organizações, prejudica o ambiente de trabalho e degenera o bem-estar dos colaboradores. Este comportamento hostil é uma agressividade no trabalho, permeado de insinuações, provocações, pressões psicológicas; trata-se de uma conduta abusiva e inadequada. É um fenômeno repetitivo por parte do agressor, chega discretamente e por este motivo, a vítima demora a perceber achando apenas que faz parte do modelo adotado pela empresa.

Prejuízos que o assédio moral pode causar

Vários estudos comprovam as consequências do assédio na vida das pessoas, por exemplo, no núcleo familiar, no desempenho profissional e na vida afetiva. Estes problemas no ambiente de trabalho podem desencadear doenças emocionais, psicossomáticas e também doenças físicas, desestabilizando as vítimas. Muitas vezes cedem às pressões e corrompem seus princípios por medo do desemprego e o contrário também ocorre, acabam pedindo demissão por não suportar.

Os danos emocionais com desgastes mentais e físicos nem sempre são mensuráveis, o colaborador pode desenvolver depressão, medo excessivo e até ideação suicida. Muitos se sentem pressionados a cumprir metas sempre crescentes, passam por vigilância constante e cobranças excessivas. Vivem sob pressão, situações de estresse e vivem diversos sentimentos, entre eles, frustrações, tristezas, desânimo e baixa autoestima.

O agressor aplica o assédio moral através de um comportamento que se repete e utiliza muitas vezes da sua autoridade para exercer a violência. A vítima atemorizada não consegue reagir em sua defesa e mesmo que possa tentar, suas reações são inferiores e o ciclo vai se repetindo. Mesmo pessoas mais fortalecidas psicologicamente podem acabar se submetendo diante da desmedida pressão, acabam esgotadas, sem criatividade e se tornam inferiores.

Prejuízos às organizações

Além de todos os citados acima, o assédio moral também traz prejuízos para as empresas, organizações e instituições causando maiores problemas. Perceba algumas das consequências causadas por este fenômeno:

  • Os colaboradores adoecem e são afastados das atividades;
  • Aumento de acidentes no trabalho;
  • Absenteísmo;
  • Baixa produtividade;
  • Aumento da demanda judicial por danos morais;
  • Aumento dos custos judiciais;
  • Benefícios para a previdência;
  • Custos médicos para o tratamento dos funcionários;
  • Exposição negativa da instituição poderá acontecer nas mídias ocasionando o desinteresse de possíveis funcionários, para a formação de novo quadro.

Tal situação reduz os lucros da empresa o que se torna, em longo prazo, um grande transtorno. Uma vez comprovado o assédio moral, as vítimas procuram ajuda da justiça para se defenderem e isto vem aumentando a demanda judicial.

Afinal, como combater o assédio moral na empresa? 

Conclui-se que os trabalhadores submetidos às técnicas de uma gestão organizacional recheada de assédio moral sempre viverão prejuízos por danos morais. Como prevenção podemos contar com o poder judiciário, a Lei é o primeiro passo quando se tem provas desta violência, pois se trata de um crime. Órgãos públicos e privados podem colaborar com manifestações explicativas, assim como uma atuação efetiva de sindicatos dos trabalhadores. Órgãos competentes podem legitimar estratégias para a diminuição do problema através de recursos judiciários e extrajudiciários que sejam eficazes.

Empresas devem promover um ambiente de trabalho saudável, proporcionar bem-estar a todos sem exceções; contar com o trabalho do Psicólogo Organizacional tem sido muito eficaz. Portanto, as Instituições que buscam um bom desenvolvimento precisam adotar uma cultura com total desaprovação de atitudes abusivas adotando intervenções explícitas. O Código de Ética implementado nas Organizações pode ser uma excelente medida preventiva contra comportamentos assediados, protegendo desta forma seus colaboradores e seus próprios interesses.

Indivíduos que percebem que estão vivendo o assédio moral de fato precisam buscar ajuda profissional para amenizar os problemas vivenciados. Se informar sobre o assunto, sobre a cultura da empresa, buscar esclarecimentos sobre estas condutas violentas pode auxiliar na prevenção deste fenômeno. Repensar as qualidades das relações estabelecidas no ambiente do trabalho, analisar e ter suas conclusões sobre os conflitos experimentados, tomando atitudes adequadas para soluções assertivas.

Por fim, se você vive algo parecido e já está sofrendo consequências emocionais, busque ajuda com um bom psicólogo, não permita que a situação se agrave.

Renata Cristina Barbosa Castro

Referências

  1. Bandeira, C. de M.Hutz, C. S. AS IMPLICAÇÕES DO BULLYING NA AUTO-ESTIMA DE ADOLESCENTES  Psicologia Escolar e Educacional Jun 2010, Volume 14 Nº 1 Páginas 131 – 138
  2. Gomes, M. A.; Medeiros, L. F. R. ASSÉDIO MORAL ORGANIZACIONAL: UMA PERVERSA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL R. Laborativa, v. 5, n. 2, p. 66-87, out./2016.
Renata Cristina Barbosa Castro
Últimos posts por Renata Cristina Barbosa Castro (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar