Saúde

A relação do perdão com nosso corpo: 7 dicas para perdoar alguém

Estamos conectados mutuamente entre mente e corpo, segundo a Organização Mundial da Saúde, ‘’não é possível separá-las em dois blocos, já que as duas têm igual importância na vida dos indivíduos.’’ Um dos sistemas responsáveis pelo processamento das informações entre mente e corpo, é o sistema límbico, no qual possui uma função do controle emocional (relação entre nossas emoções e sentimentos).

De que forma isso ocorre?

O sistema límbico está diretamente ligado aos estímulos sensoriais do ambiente no qual o indivíduo se encontra, quando recebido esses estímulos e processados através do hipotálamo, este envia os estímulos para o restante dos órgãos do corpo, regulando o controle hormonal, buscando manter um equilíbrio no organismo.

As funções ligadas diretamente às emoções são:

  • Respiração,
  • Frequência cardíaca,
  • Pressão sanguínea,
  • Níveis de estresse,
  • Memória,
  • Equilíbrio hormonal,
  • Humor.

Qual a relação com o perdão?

Sabe-se que cada uma das nossas emoções possui algum tipo de reação no nosso corpo, quando estão alterados e não são processadas corretamente se manifestam de alguma forma, sendo ele por desconforto ou dores físicas, hoje chamados como somatização, no qual se caracteriza como sendo uma dor sem nenhuma alteração fisiológica.

Muitos pesquisadores estudaram a relação entre a somatização e o perdão, tendo uma influência muito forte no nosso bem-estar físico e mental.

O perdão em si, é um dos processos emocionais mais complexos existentes, pelo fato que desencadeia, emoções e sentimentos de uma forma muito intensa como a ira, o rancor, tristeza e paranoia. Existem determinados órgãos do corpo que estão relacionados ao movimento de perdoar como: garganta, sistema respiratório, o pescoço, os tornozelos, as costas.

O seu corpo fala do perdão da seguinte forma

  • Dor e irritação da garganta,
  • Relação entre palavras que não foram ditas,
  • Gripe frequente,
  • Lágrimas que não foram choradas,
  • Relação com orgulho ou raiva de algo ou alguém.
  • Dor no pescoço. Esta parte do corpo reflete e flexibilidade ou inflexibilidade de uma pessoa. Relação entre rancor que induz a uma forte afetando a musculatura do pescoço.
  • Tornozelos. Articulação que projeta a capacidade de avançar na vida. Quando você sente dor nos tornozelos quase sempre é porque está preso num sentimento negativo.
  • Dor nas costas. O rancor origina um peso emocional que se transforma em dor nas costas, na região da zona do meio.
  • Dor nos joelhos, resistência a ceder, orgulho. A pessoa acredita, de forma consciente ou inconsciente, que perdoar é um ato de submissão.
  • Dor nos dentes e na gengiva, relação entre sentimentos agressivos, dificuldade para expressar a raiva. O mais provável é que os dentes se rachem ou que as gengivas se inflamem. Se a ira é maior, os dentes tendem a perder a sua posição.

Dicas para o perdão

Segue abaixo algumas dicas para auxiliar nesse processo do perdão.

#1 – É necessário refletir, e principalmente estar disposto para tal atitude

Busque ficar sozinho, feche os olhos e respire fundo buscando relaxar a sua mente e o corpo. Pense e anote todos os pensamentos que estão vindos que te impedem de perdoar, criados por você. Analise se têm fundamento com a realidade e com a sua situação atual.

#2 – Permita-se sentir e avalie a dor que você sentindo por não perdoar

Tente esquecer por um momento toda as atitudes, palavras, magoas, traumas que te feriram, e pense primeiramente em você, e o quanto precisa se libertar. Por fim, questione-se: “alimentar esta dor e estes sentimentos negativos como a raiva e o rancor estão me fazendo bem?

#3 – Evitar o julgamento do outro

Lembre-se que você também erra, o ser humano é falho, todo mundo está sujeito a errar, você próprio já magoou várias pessoas em algum momento da sua vida. Nesse momento, você finalmente sentirá que é possível ficar livre dessa carga e perdoar. Imagine-se com a leveza de não guardar rancor, raiva e ódio.

#4 – Ofereça perdão a si mesmo

Reflita, sobre as suas dores e os cuidados oferecidos a você mesmo, expectativas projetadas no outro e muitas vezes se colocar em segundo plano, reveja como a sua própria vida é valiosa, e o quanto é importante o autocuidado, e perceba que a tristeza que você carrega por conta desses sentimentos negativos estão adoecendo o seu corpo e a sua mente, ofereça perdão para cada um dos seus erros e se perdoe, você fez o que estava ao seu alcance, naquele momento, deixe o passado no seu lugar e concentre as suas energias no seu presente.

#5 – Ofereça o perdão àqueles que te magoaram

De várias formas você se sentiu prejudicado, maltratado, abandonado pelo outro, fale por meio de pensamento, palavra ou ato, que você está pronto para perdoar: “não mereço carregar essas dores no meu presente, já carreguei dor e sofrimento tempo de mais, por conta disso, estou disposto a perdoar tais atividades.

#6 -Tenha um diário

A escrita terapêutica e a manutenção de um diário também podem nos ajudar a expressar os sentimentos e dores, tendo em vista que muitas vezes você não consegue se expressar.

#7 – Não vamos deixar para amanhã o desconforto que sentimos hoje

Muitas pessoas têm na sua fala que o tempo cura ou faz esquecer, no entanto isso é um mito, o tempo não irá fazer você esquecer esses sentimentos de rancor e raiva, tente resolver a situação no presente para evitar remoê-la no futuro.

O processo do perdão, muitas vezes é doloroso e demanda muito tempo, talvez nunca possamos perdoar completamente o outro, perdoar não é esquecer, entretanto, podemos diminuir esse peso em nossa mente que reflete em dores em nosso corpo.

Trabalhar o perdão permite que você se sinta livre e consiga focar em você, desenvolvendo sua autocompaixão, autocuidado e principalmente amor-próprio.

Cuidar da sua mente, possui o mesmo peso que cuidar do seu corpo, ambos estão em conexão, o processo da psicoterapia irá promover o bem-estar integral do individual e principalmente qualidade de vida, muitas vezes prejudicada com dores físicas e sentimentos de rancor e raiva. Você não está só, busque ajuda.

Fransuele Pereira Gularte- CRP 08/29039

Base bibliográfica:

O Poder do Perdão- Dr. Fred LuskinW11Editores(Extraído da revista Sexto Sentido 50, páginas 20-24)Fonte: A Psicologia do Amor – Jack Kornfield

Fransuele Pereira Gularte
Últimos posts por Fransuele Pereira Gularte (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar