Precisamos falar sobre depressão!

Precisamos falar sobre depressão!

Segundo os dados da Previdência Social (2017), transtornos mentais foi a terceira causa de afastamento por doença no Brasil. Dentre essas doenças, a depressão e a ansiedade são as mais comuns.

A depressão e suas causas

A depressão é uma doença que afeta o humor, as cognições, a disposição, sentimentos e comportamentos. Existem muitas causas para a depressão, genética, fatores de estresse em várias áreas, principalmente na infância, exposição de fatores ansiogênicos no decorrer da vida.

Não deve ser confundida com sentimentos de alguma tristeza (o “estar para baixo” ou “desmoralizado”), geralmente em resposta a acontecimentos marcantes da vida, que passam com o tempo e que, geralmente, não impedem a pessoa de ter uma vida de acordo com o que pretende e com um estilo protetor do próprio.

Os sintomas da depressão

Na depressão, os sintomas tendem a persistir durante um certo tempo (pelo menos duas semanas seguidas durante a maior parte dos dias) e podem agrupar-se de forma variável em cada pessoa.

Os sintomas principais são: apatia, tristeza, falta de iniciativa e empolgação de fazer algumas coisas que antes era prazeroso, falta de apetite sexual, pensamentos de desesperança, culpa, irritabilidade, fracasso, opressão no peito, crenças negativas sobre si mesmo.

É importante ressaltar que, muitas vezes, a família, os amigos, os colegas não conseguem entender que a pessoa que está com depressão está neste quadro porque quer, mas sim porque estão sofrendo de uma doença física e mental séria.

Na depressão existe também a desregulação na produção dos neurotransmissores serotonina, noradrenalina e dopamina, associada aos estressores externos da vida. O quadro mais preocupante, segundo a OMS (2016), é que 1 a cada 5 pessoas deve desenvolver um quadro depressivo na vida.

Prevenindo a depressão

Sabendo disso, algumas ações podem prevenir e melhorar alguns transtornos, tais como:

  • Exercícios físicos com regularidade;
  • Boa alimentação rica em antioxidante (ômega 3, ácido fólico, magnésio, cálcio, triptofano);
  • Bem-estar rico em afeto social, familiar, espiritual;
  • Bem-estar e satisfação no trabalho;
  • Tratamento psicológico;
  • Etc.

O tratamento psicológico vai identificar as causas comportamentais que alimentam o  transtorno depressivo e seus sintomas, e com isso ajudará o paciente a viver uma vida melhor e com mais qualidade de vida.

Você merece!

Últimos posts por Hiderlene da Ponte Montenegro (exibir todos)
Deixe seu comentário aqui
Assine nossa newsletter

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores conteúdos sobre bem-estar, saúde e qualidade de vida

Saúde mental, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

Através do nosso programa de saúde mental, as empresas reduzem perdas com afastamento do trabalho por demandas emocionais.