DestaquePsicanálisePsicologia organizacional

Psicologia nas empresas: A psicanálise tem espaço no meio organizacional?

Como a psicanálise pode contribuir para o bem-estar dos colaboradores e produtividade da empresa

Na atualidade, observa-se uma preocupação das organizações com o bem-estar de seus colaboradores, em decorrência da percepção de que a satisfação do trabalhador tem forte ligação com a produtividade e a imagem da empresa.

Desse modo, a psicanálise mostra-se uma eficaz ferramenta para se fortalecer o elo entre o colaborador e a empresa, a partir da importância da escuta do discurso do sujeito, tendo em vista que se trata de uma técnica baseada na compreensão dos processos mentais inconscientes que determinam os pensamentos, as ações e os sentimentos.

Freud, pai da psicanálise, via no trabalho e no amor os mais elevados propósitos humanos. Para Freud, o trabalho, dentre as mais variadas representações para o ser humano, é fonte de realização e de satisfação pessoal, sendo um dos mais importantes pilares da construção de uma sociedade.

Mas, afinal, como na prática pode haver a contribuição da psicanálise no ambiente corporativo?

A psicanálise, a partir da escuta do sujeito, pode promover a articulação entre as exigências internas, localizando o desejo e a busca de sentido própria de cada um, com as demandas externas provenientes do ambiente de trabalho. É na junção desses dois fatores complexos que se pode fazer surgir o comprometimento do sujeito com o seu trabalho, como forma de realização pessoal e, portanto, fonte de prazer e de felicidade.

Assim, mostra-se relevante que as lideranças organizacionais compreendam o ser humano de forma mais ampla, investigando os eventuais motivos que possam exercer influências na maneira como as pessoas se relacionam com o trabalho.

O processo terapêutico de análise e o autoconhecimento

Por outro lado, o processo terapêutico da análise conduz ao autoconhecimento, o que é de suma importância para que o colaborador adquira consciência de seus potenciais, de seus valores, bem como de aspectos de sua vida profissional que merecem ser melhorados ou aperfeiçoados.

A autocrítica torna-se, desse modo, um instrumento valioso para o aprimoramento e desenvolvimento do trabalhador, refletindo de forma positiva tanto em sua vida pessoal, quanto em seu desempenho profissional.

Noutro enfoque, no ambiente organizacional torna-se valioso o entendimento dos aspectos inconscientes que atravessam as relações de trabalho. As empresas compreendem hierarquias, discursos e relações de poder, dentre tantas outras dinâmicas.

Morgan (1996) adverte que “… as organizações não são condicionadas somente pelos seus respectivos ambientes; são também moldadas por interesses inconscientes dos seus membros e pelas forças inconscientes que determinam as sociedades nas quais elas existem”. MORGAN, G. (1996). Imagens da organização. São Paulo, SP:Atlas.

Outro aspecto relevante são as altas exigências do mercado de trabalho com relação ao desempenho profissional. A busca pelo ideal de sucesso e a auto exigência excessivas podem ser fatores extremamente estressores, foco de grande frustração e sentimento de fracasso, sendo a psicanálise uma saída para o enfrentamento do sofrimento psíquico do trabalhador na sua relação com o trabalho.

No ambiente organizacional a psicanálise pode dar eco às demandas bilaterais dos colaboradores e das organizações, tornando esta relação mais satisfatória para os envolvidos e, portanto, menos conflituosa.

Luciene Donato Benevides

Psicóloga e Psicanalista

Luciene Donato Benevides
Últimos posts por Luciene Donato Benevides (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar