Saúde

A importância do Psicólogo no tratamento da ansiedade

A ansiedade é um sentimento normal na vida de todos nós. Em um nível controlado, ela é considerada saudável o medo nos ajuda a evitar comportamentos impulsivos, por exemplo. Entretanto, quando entra em um nível preocupante, é hora de contar com um psicólogo no tratamento da ansiedade.

Mas como saber se a sua ansiedade passou dos limites? E como a terapia pode ajudar você a controlar esse sentimento? Acompanhe as informações deste post e esclareça suas dúvidas!

Quando a ansiedade deixa de ser normal?

Entretanto, a ansiedade se torna patológica quando entra em um nível elevado e permanece por um longo período de tempo.

Nesses casos, nem sempre a pessoa consegue identificar o que naquela situação está lhe causando medo e preocupação, e muitas vezes tende a interpretar situações normais como eminentemente perigosas ou catastróficas.

Quando isso acontece, a ansiedade passa a ser considerada um transtorno mental.

Existem vários tipos de transtornos relacionados com a ansiedade: Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtorno do Pânico, Transtorno do Estresse Pós-Traumático, Transtorno da Ansiedade Social, Fobias, etc.

Neste post vamos falar especificamente do “Transtorno de Ansiedade Generalizada”.

Este transtorno é caracterizado por preocupação excessiva, persistente e de difícil controle, e é acompanhado por alguns sintomas físicos ou psicológicos que causam sofrimento e prejuízo no desempenho, incapacitando a pessoa de realizar inúmeras coisas.

Como reconhecer a ansiedade excessiva?

[easy-video-share-events mode=”youtube” video=”fbbT6k4zJ3U” width=”560″ height=”315″ play=”false” pause=”false” end=”false” share=”false” share_pos=”before” ]

Sentir-se preocupada diante de uma apresentação importante no trabalho ou ficar com medo em uma situação que você nunca viveu são sensações comuns.

A ansiedade não pode ser totalmente extinta, pois ela cumpre função importante na nossa vida.

Pense por este lado: a preocupação ajuda você a antecipar problemas e se preparar melhor para a reunião na empresa, por exemplo.

O problema é quando acontece o contrário e o medo te paralisa, diminuindo seu rendimento no trabalho. Isso pode ser um sinal de que a ansiedade ultrapassou o normal.

A ansiedade te paralisa

A preocupação e o medo te paralisam, ocupam grande parte do seu tempo, consomem sua energia e diminuem o seu rendimento, isso faz com que você perca inúmeras oportunidades no trabalho e em outras áreas da vida, desperdiçando muito do potencial que você tem.

Esses podem ser sinais de que a ansiedade ultrapassou o nível normal.

Traz limitações à sua vida diária

O principal modo de reconhecer que o nível da ansiedade está elevada é perceber como ela está interferindo na sua rotina.

Se seu mundo começa a ficar limitado por conta desses sintomas (por exemplo, você deixa de participar de eventos sociais, fazer coisas que deseja e/ou alimentar-se da forma como gostaria) ou se esse sentimento está repercutindo nas suas relações afetivas, está na hora de buscar ajuda profissional.

Gera sofrimento e incapacidade

Quando os sintomas estão gerando repercussões nas mais diversas áreas da sua vida, como um sofrimento excessivo na profissão, nos estudos, ou nas relações sociais, pode ser um indicativo de que a ansiedade se tornou patológica.

É intensa e prolongada

Outro aspecto a ser observado é a intensidade e tempo de permanência da ansiedade. A ansiedade normal tem uma duração curta e pontual, se ultrapassa esse período e deixa você em alerta por longo tempo pode gerar fadiga, prejudicar o sono e o desempenho cognitivo, diminuir a eficiência do seu sistema imune, além de interferir no andamento das suas ações cotidianas.

Em muitos casos, os sintomas da ansiedade estão presentes há tanto tempo na vida da pessoa e ela está tão acostumada com isso, que não imagina que esse sofrimento pode ser diminuído com tratamento o adequado.

Difícil de controlar sozinho

Nem sempre é fácil controlar esses sentimentos sozinho, e uma das características do transtorno de ansiedade generalizada é justamente essa: a pessoa não tem um senso de controle sobre esses sentimentos e sintomas.

É muito difícil controlar esse sentimento sozinha, por isso, não deixe de procurar ajuda profissional. Para reconhecer a necessidade, fique atenta a alguns sinais:

  •         Sentimentos frequentes de inadequação;
  •         preocupação excessiva;
  •         medo desproporcional ao perigo real da situação;
  •         dificuldade para realizar as atividades diárias;
  •         problemas no sono;
  •         agitação e irritabilidade;
  •         dores de cabeça e no corpo;
  •         crises de taquicardia e falta de ar;
  •        ataques de pânico.

Por que procurar o psicólogo no tratamento da ansiedade?

Se você se identificou com os sintomas acima e sente que está mais difícil lidar com os próprios sentimentos, saiba que a terapia é a intervenção mais eficaz para melhorar a ansiedade.

Muitos estudos comprovam que a psicoterapia é o tratamento mais adequado para essas condições, e pode ser combinado, em alguns casos, com medicação prescrita por médicos.

Veja no que o psicólogo pode ajudar:

Facilita a tomada de consciência

Na maioria das vezes a pessoa não consegue avaliar a própria ansiedade sozinha. Com a ajuda do terapeuta é possível entrar em contato consigo mesma e entender as raízes e os desdobramentos do  problema.

Ao tratar o assunto na terapia, você o entende melhor. Vai conseguir perceber o que alimenta a sua ansiedade, identificar as possíveis causas e reconhecer as emoções e comportamentos que vêm dificultando a sua vida. Aumentar o autoconhecimento é o primeiro passo para ficar bem.

Explica sobre o mecanismo da ansiedade

Compreender como funciona o mecanismo de ansiedade em você ajuda a entender o que está acontecendo com seu corpo e sua mente no momento ansioso, aumentando assim a sua sensação de segurança e minimizando pensamentos catastróficos pela incerteza do que acontecerá em seguida.

Ao tratar o assunto na terapia, você o entende melhor e aprende a lidar com ele de um modo diferente.

Identifica fatores desencadeadores da ansiedade

O que diferencia a ansiedade do medo, é que o medo é uma resposta emocional a uma ameaça real ou percebida aqui e agora, enquanto a ansiedade é a antecipação de uma ameaça futura.

Quando sentimos medo identificamos a ameaça.

Na ansiedade nem sempre temos a clareza do que está nos deixando assim, e ficamos num estado de vigilância com algo que pode acontecer no futuro.

Por isso, muitas crises de ansiedade parecem acontecer sem que haja alguma relação concreta com alguma coisa. O seu terapeuta irá te ajudar a identificar o que pode ter desencadeado aquela crise.

Pode ser um pensamento, um conflito interno, uma crença, uma frustração, etc.

Conseguir perceber o que alimenta a sua ansiedade e identificar suas possíveis causas permite que você possa ressignificar, ou seja, olhar de uma forma diferente para esses elementos que a sua psique está interpretando como algo de tão apavorante.

Reconhecer essas emoções e dar um significado mais realista e racional para elas, pode mudar sua atitude diante dos comportamentos que vêm dificultando a sua vida.

Ensina técnicas de controle

Também é papel do psicólogo orientar você sobre estratégias que ajudam a controlar o sentimento de ansiedade. A metacognição, uma técnica de refletir sobre os próprios pensamentos, é muito interessante para esses casos.

Além disso, algumas técnicas de relaxamento, como a respiração diafragmática, também são eficientes para controlar a ansiedade. Com as intervenções do psicólogo, você se capacita para intervir em si mesma e controlar as crises.

Encoraja um novo repertório de comportamentos

Agir sempre da mesma forma diante de uma situação difícil pode não trazer o resultado diferente que você está esperando. Mas nem sempre é fácil pensar num modo diferente de enfrentar aquilo.

Se na nossa história de aprendizagem ao longo da vida só aprendemos a reagir daquela maneira, podemos estar presos num modo de pensar que nos impossibilita de ver outras possibilidades.

Por isso o terapeuta pode te ajudar a desenvolver estratégias de enfrentamento mais eficazes e adaptativas, fazendo com que você aja de uma maneira mais assertiva.

Incentiva o enfrentamento de situações

Muitas vezes para não sentirmos os desconfortos da ansiedade, adotamos comportamentos que nos afastam de situações que consideramos difíceis. No entanto, esse tipo de conduta nos priva de inúmeras coisas que gostaríamos de fazer e prejudica nossa autoestima.

Depois de aprender a manejar a ansiedade e conhecer um novo repertório de comportamentos mais adaptativos para serem usados em cenários críticos, chegou a hora de colocar tudo em prática!

Neste sentido, o terapeuta irá te encorajar a vivenciar as situações que você evitou por tanto tempo. A sensação de conseguir enfrentar aquilo que por tanto tempo tememos é libertadora, e ainda traz bem-estar e autoconfiança.  

Propõe uma compreensão mais ampla do significado dos sintomas

Num nível mais profundo, a terapia pode ajudar a entender qual o papel desses sintomas neste momento da sua vida. Por exemplo, se a ansiedade está impedindo que você desempenhe bem o seu trabalho e deixe de aproveitar uma promoção, ela pode estar atuando como um simples sabotador.

Por outro lado, podem surgir questionamentos sobre o quanto realmente você quer essa promoção, ou qual a sua satisfação com a carreira.

Quando estamos levando uma vida que não tem muito a ver com o que desejaríamos viver em nossa essência, esses sintomas podem surgir como um alerta de que nos desviamos do nosso caminho e está na hora de nos redescobrirmos.

Deste modo, a terapia busca ir além do óbvio para compreender a função destes sintomas num contexto mais amplo da vida do indivíduo.

Então, o que esperar do tratamento psicológico para ansiedade?

A Psicologia não é uma ciência exata e por isso mesmo não se pode prever os resultados precisos que serão obtidos com a psicoterapia – nem o tempo que isso levará.

Apesar disso, no caso de pessoas que possuem um nível elevado de ansiedade, saber o que esperar e como acontece esse processo pode ser um fator de encorajamento para procurar ajuda (em vez de tornar esse processo mais um fator ansiogênico).

É um tratamento de longa duração

É importante entender que o resultado não acontece instantaneamente, e que o tratamento pode durar algum tempo.

O engajamento do paciente é muito importante

A cooperação e motivação do paciente é fundamental. O psicólogo e o paciente trabalham juntos para atingir os resultados esperados.

O psicólogo está ali para te ajudar

O psicólogo não faz julgamentos a respeito do que você está sentindo e adota uma atitude acolhedora, que fará com que você se sinta seguro para falar do problema.

Não existe uma receita pronta para o tratamento

O tratamento psicológico é feito de forma individualizada e personalizada, respeitando as características particulares de cada um.

Benefícios da terapia para ansiedade

O objetivo da psicoterapia não é apenas suprimir a ansiedade. Você irá aprender sim a ter mais controle sobre os sintomas, mas acima de tudo, irá transformar o seu jeito de agir e de se relacionar consigo mesmo e com o mundo diante de situações estressantes.

O benefício disso é um aumento no seu bem-estar e na qualidade de vida.

Por fim, a terapia não tem o poder de tornar os eventos da sua vida menos desafiadores, mas pode te capacitar a enfrentar situações críticas de uma forma mais leve e assertiva.

Neste sentido, pode te ajudar a sair do lugar de “refém” desses sintomas e torná-lo protagonista de suas escolhas. O resultado disso é um aumento na autoestima e da autoconfiança.

Atenção: não existem dicas gerais para modificar comportamentos ansiosos. A forma como você vive a sua ansiedade não é igual a de outras pessoas.

Por isso, a terapia é fundamental para entender o que acontece na sua vida e saber o que precisa ser mudado.

A intervenção de um psicólogo no tratamento da ansiedade é fundamental para superar os sintomas e recuperar sua saúde. Se você vivencia os sintomas apresentados aqui, procure a ajuda de um profissional qualificado.

Ana Maria Palu

Atuo como psicóloga clínica desde 2013 em Curitiba, somando aproximadamente 7.000 horas de experiência em atendimentos.
Trabalho com psicoterapia e orientação psicológica para dois tipos de público:
- Pessoas que possuem uma questão que precisam tratar para melhorar seu bem-estar e a qualidade de vida (ansiedade, estresse, depressão, timidez, dificuldades nos relacionamentos sociais, familiares e afetivos, baixa autoestima, insegurança, questionamentos a respeito do sentido da vida, entre outros);
- Pessoas que desejam um autoconhecimento para desenvolver ainda mais suas potencialidades a fim de ter uma vida mais realizada e gratificante.
A linha que eu sigo é a Analítica Junguiana.
Se você tem alguma dúvida ou gostaria de algum esclarecimento sobre como funciona o atendimento psicológico, envia uma mensagem para mim!
Ana Maria Palu
Etiquetas

Artigos relacionados

5 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar