Psicologia geral

Retorno ao trabalho e estresse em tempos de pandemia

No Brasil, apesar da curva do número de mortes não ter decrescido e os casos positivos para o COVID-19 não terem começado a diminuírem significativamente, estamos vendo o retorno ao local de trabalho daqueles que estavam em home office e contratos suspensos devido a reabertura do comércio, indústria e de alguns serviços. O que coloca um exército de trabalhadores em seus postos de trabalho formais e informais em meio a pandemia por COVID-19.

Neste contexto, os trabalhadores estão expostos não só aos riscos biofísicos de contaminação, mas também a fatores potencialmente estressores produzidos por este contexto. 

Vale colocar que, nesse artigo vamos considerar o conceito de saúde definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que a define como um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças.

Nesse sentido estamos diante de um contexto de pandemia por COVID-19 que nos traz novos agentes estressores com o qual os trabalhadores podem se deparar nesse momento de retorno que somados com as situações de estresse já inerentes ao contexto organizacional, tais como sobrecarga de tarefas, jornadas exaustivas de trabalho dentre outros, podem trazer danos à nossa saúde mental.

Portanto, vamos através deste artigo discorrer sobre o estresse, expor quais sintomas podem nos acometer neste momento de pandemia, e quais estratégias de enfrentamento podem ser adotadas para minimizar seus efeitos. 

O que é Estresse   

O termo estresse foi introduzido 1936 na área de saúde pelo fisiologista canadense Hans Selye para designar a resposta geral e inespecífica do organismo a um estressor ou a uma situação estressante. Essa resposta do nosso organismo seria um processo de adaptação que provoca alterações fisiológicas, cognitivas, emocionais e comportamentais.

O termo estresse é usado tanto para designar a resposta do organismo, como para designar as situações que provocam seus efeitos. De uma maneira geral, a capacidade de adaptação do indivíduo é algo natural. Contudo, a exposição prolongada a eventos estressores pode nos afetar negativamente. 

Cabe destacar que o contexto de Pandemia por COVID-19 tem sido considerado como grande estressor em potencial. Justamente por nos exigir respostas que causam essas alterações emocionais, cognitivas e comportamentais, dada as dificuldades em lidar com os conflitos internos gerados por todo esse momento

Estresse no retorno ao trabalho em tempos de pandemia

O risco e medo de contaminação, tanto no desenvolvimento do labor, quanto na jornada de ida e volta ao trabalho, medo de perder o emprego, medo de contaminar entes queridos, estigma da doença, as novas regras de segurança que deverão ser seguidas nesse retorno, distanciamento social, duração da pandemia e quarentena. Além da sobrecarga de tarefas tanto no trabalho quanto em casa, as situações de lutos somados a ausência das válvulas de escape que nos trazem alívios durante a jornada de trabalho, tais como paradas para o cafezinho, almoço com colegas, áreas de lazer, eventos que minimizam o estresse, como passeios e saídas, etc., não serão permitidas devido ao risco de contaminação. 

Esses fatores somados, podem trazer ao trabalhador uma sobrecarga psíquica que pode se manisfestar em sintomas depressivos e ansiogênicos. Vale colocar que o próprio desenho do trabalho, como tarefas, formas de atendimento, maiores cobranças de desempenho devido a situação econômica e risco de desempregos, já seriam por si só situações potencialmente estressoras. Dessa forma, é esperado que sejamos, em algum momento durante a pandemia, acometidos com alguns dos sintomas listados abaixo:

Sintomas

Sintomas Depressivos:

  • Humor depressivo: tristeza, desanimo, falta de esperança quanto ao futuro;
  • Fadiga em excesso – sensação de estar cansado o tempo todo;
  • Alterações no sono – dificuldade para dormir ou acordar excessivamente durante o sono;
  • Alterações no apetide – dificuldade de se alimentar ou comer compulsivamente;
  • Tristeza – sentimento de tristeza sem motivo aparente;

Sintomas Ansiogênicos

  • Irritabilidade – sentir irritação constantemente sem motivo aparente;
  • Impaciência – sentimento de impaciências com tarefas e/ou pessoas;
  • Taquicardia – aceleração dos batimentos cardíacos; 
  • Aperto no peito – sensação de desconforto no tórax;
  • Falta de ar – sensação que não consegue respirar;
  • Sudorese – suor em excesso;

Sintomas Cognitivos

  • Perda de Memória – lapsos e esquecimentos constantes; 
  • Dificuldade de concentração – não conseguir se manter concentrado;
  • Pensamentos automáticos – pensamentos negativos que nos “invadem” constantemente; 

Estratégias de enfrentamento

Primeiramente, conforme já tido anteriormente, é importante colocar que é natural que nesse momento de pandemia mais pessoas estejam apresentando os sintomas colocados acima, o que não significa que não devemos lhes dar a devida importância, pois além de causar mal-estar e baixa imunidade, temos também o risco de desenvolvimento de outros transtornos mentais, tais como pânico, fobias, depressão, distúrbios alimentares, etc.

Dessa forma, segue algumas dicas de como lidar com os sintomas no dia a dia, lembrando sempre da importância  de buscar ajuda especializada.

  • Manter tudo em perspectiva – Lembre-se de que a maioria das pessoas que contrai o COVID-19 experimenta apenas sintomas leves;
  • Compreenda e apoie as medidas de segurança adotadas pela empresa – ao fazer isso você pode adotar como estratégia de defesa contra o perigo da contaminação;
  • Mantenha-se empático com colegas – ao nos colocarmos no lugar do outro, facilitamos as trocas interpessoais, melhorando o clima no ambiente de trabalho;
  • Seja solidário e ajude a propagar histórias positivas;
  • Limite o consumo de notícias de fontes confiáveis; 
  • Manter horário para dormir e acordar – repita todas as noites uma rotina de ações que ajudem você a se preparar mental e fisicamente para dormir;
  • Rotina de Relaxamento- buscar atividades que descansem e relaxem, tente diferentes estratégias e não se culpe por não atender a todas as sugestões postadas nas redes sociais;
  • Busque ajuda adicional – Psicólogos são profissionais apropriados que podem ajudar as pessoas a lidarem com o estresse extremo;

A maior duração e intensidade dessas situações estressantes agravam nossas condições de saúde física e mental. Vale colocar que a Psicologia acumulou ao longo dos anos um conjunto sólido de conhecimentos cientificamente comprovados sobre o enfrentamento adaptativo do estresse e a regulação das emoções ao longo do desenvolvimento humano, em situações traumáticas e estressantes.

Sendo assim, se você se sente afetado constantemente por um ou mais dos sintomas acima, procure ajuda de um profissional para lhe ajudar. Nesse sentido, a psicoterapia pode lhe trazer conforto e bem-estar.

 

Fernanda Cunha

Psicóloga

CRP: 03/3744

Referências bibliográficas:

Weide, J. N, Vicentini, E. C.C, Araujo, M. F., Machado, W.l & Enumo, S.R.F (2020). Cartilha para enfrentamento do estresse em temos de pandemia. Porto Alegre: PUCRS/Campinas: PUC-Campinas. Trabalho gráfico: Gustavo Farinaro Costa

Pérez-Nebra,  A. R. Carlotto, M. S.   Greghi Stic, M. Bem-estar e Estresse Ocupacional em Contexto de Distanciamento Social.  Orientações técnicas para o trabalho de psicólogas e psicólogos no contexto da crise COVID-19, 2020. 

Fernanda Machado da Cunha
Últimos posts por Fernanda Machado da Cunha (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar