Trabalho

A importância da saúde mental no ambiente corporativo

A saúde mental no trabalho

Nunca se falou tanto em saúde mental como agora. É saúde mental na quarentena, saúde mental nos tempos de pandemia, saúde mental pra cá, saúde mental pra lá.

Afinal, qual sua importância no ambiente do trabalho e o que isso pode impactar nos resultados da empresa?

A Saúde Mental é definida pela OMS como “um estado de bem-estar em que o indivíduo está ciente de suas próprias habilidades, pode enfrentar as tensões normais da vida, pode trabalhar de forma produtiva e frutífera e é capaz de contribuir com a sua comunidade”.

Em outras palavras: É o equilíbrio do estado psicológico, cognitivo e emocional. Desta forma, a pessoa poderá ter a capacidade de administrar diversas situações, sejam elas positivas ou negativas, com controle emocional e comportamental sem prejudicar a si e aos outros.

De acordo com a OMS em média 86% dos brasileiros sofrem com algum transtorno mental, como por exemplo a Ansiedade, a Depressão e o Estresse.

Um ambiente profissional negativo ou tóxico pode gerar diversos problemas e desgastes cognitivos ao colaborador. 

Não é raro encontrar pessoas que ficam com sua a saúde mental prejudicada por causa do trabalho. Ambiente de trabalho dispersivo, com pessoas não engajadas, com uma competitividade acima do normal, deixam os colaboradores com alto nível de ansiedade, estresse e, assim, perdem sua produtividade e seu foco, podendo gerar depressão.

O impacto da Saúde Mental na qualidade do trabalho

De acordo com a OMS, embasadas na Rais e Dieese, as principais causas de afastamento do trabalho no Brasil são: 

  • Depressão (59% das pessoas se encontram em estado máximo de depressão);
  • Transtorno de Ansiedade (63% das pessoas possuem algum problema de ansiedade);
  • Estresse (37% das pessoas estão estressadas com nível extremamente severo);
  • Burnout (44% dizem ter sofrido com o esgotamento mental).

O impacto da Saúde Mental nos custos empresariais é alto, isso porque o colaborador deprimido tende a faltar mais, onera mais os planos de saúde e tem relações interpessoais piores, reduzindo a produtividade.

O alto índice de absenteísmo gera custos imensos para as organizações, seja na reposição da atividade, seja nos cuidados com o colaborador, como medicações e exames, seja no retorno desses indivíduos ao trabalho, que deverá ser saudável, seguro e gradual.

Dependendo do tipo de função e do tempo de ausência, o colaborador afastado terá que ser substituído, para não comprometer as atividades e a entrega, gerando custos, desde o processo seletivo até as despesas de rescisão do contrato temporário.

Além disso, a empresa fica vulnerável a processos trabalhistas. Tudo decorrente de um ambiente com rotinas desgastantes, relacionamentos interpessoais por conveniência, lideranças tóxicas, autocráticas ou despreparadas, assédio psicológico e moral, altas cargas horárias, falta de incentivos organizacionais, ameaça de desemprego dentre outros.

Uma equipe insatisfeita, que conserve uma carga negativa por muito tempo, tende a apresentar um comportamento dispersivo e desengajado.

Muitas vezes os gestores não conseguem identificar na sua equipe pessoas com alguma dificuldade emocional, atacando-a cada vez mais por “achar” que o colaborador esteja “somente” desmotivado.

Qual a diferença entre desmotivação e depressão?

A Desmotivação além de uma tristeza, está ligada a fatores externos como: local inadequado de trabalho, falta de reconhecimento profissional, demanda de trabalho maior que a estipulada, horários de trabalho inflexíveis, gestores autoritários, comunicação ineficiente, dentre outros.

Esses fatores geram cansaço físico e mental, além de fazer com que os colaboradores percam suas expectativas e propósitos profissionais.

A Depressão, por sua vez, não é estar simplesmente triste. A Depressão é acompanhada de outros sintomas como:

  • Melancolia,
  • Irritabilidade,
  • Mudanças de comportamento e de humor,
  • Pessimismo,
  • Mudanças significativas na alimentação (perda de apetite),
  • Perda de entusiasmo ou interesse,
  • Dificuldade em manter a concentração,
  • Sentimento de culpa profunda,
  • Sensação de rejeição pelas pessoas do seu círculo de convivência,
  • Choro repentino,
  • Dentre outros. 

A importância de um programa de Saúde Mental na empresa

Um programa de Saúde Mental na empresa serve para orientar os colaboradores e ajudá-los a enfrentar a grande pressão do trabalho, desassociando das relações pessoais. Ajuda a diminuir a incidência de doenças e, consequentemente, melhora o relacionamento, faz com que a equipe trabalhe de forma mais integrada e engaja os profissionais.

Falar abertamente sobre saúde mental não apenas é importante para os colaboradores, como também para a empresa! Um colaborador feliz e saudável mentalmente é mais propenso a prosperar na vida pessoal e no trabalho, desempenhando suas funções com qualidade e ótima relação com a equipe.

Recomendo algumas ações básicas para melhorar a Saúde Mental dos colaboradores:

1 – Acompanhamento Psicológico

O psicólogo tem como função avaliar o comportamento humano e pode identificar possíveis transtornos mentais que precisarão de tratamento especializado.

Esse profissional pode atuar de maneira on-line, ou ainda internamente na empresa, estando à disposição para ouvir e acolher o colaborador que passa por alguma dificuldade. O atendimento deve abranger todos os níveis hierárquicos. Realizar grupos de trabalho, podendo atuar em conjunto com o RH e também com a área jurídica.

2 – Capacitação dos Gestores

Treinamentos que preparem o Gestor para saber ouvir e lidar com sua equipe, além de identificar e mudar situações em sua atuação que possam estar gerando algum tipo de estresse e ansiedade.

Essa capacitação pode disseminar ainda, boas práticas de liderança, no sentido de que as relações entre as pessoas sejam sempre pautadas no respeito e no profissionalismo.

3 – Campanhas Internas

A empresa pode realizar campanhas internas com o objetivo de fomentar a conscientização coletiva a respeito dos transtornos psicológicos e da importância da adoção de práticas que auxiliem na boa saúde mental.

Ações como palestras, debates e atividades lúdicas podem ser centralizadas no Setembro Amarelo Prevenção do Suicídio, Outubro Rosa Prevenção do Câncer de Mama, Novembro Azul Prevenção do Câncer de Próstata, etc. O importante é que aconteça o ano todo, para que o foco seja mantido.

4 – Momentos de relaxamento

Crie grupos dentro das equipes através de apps de yoga, meditação ou com o que melhor os colaboradores se identifiquem. 

5 – Prática de Exercícios

A prática de exercício físico contribui para o alívio do estresse e da ansiedade. Principalmente atividades que trabalham a respiração e o equilíbrio entre o corpo e a mente. Portanto, a empresa deve criar incentivos para que seus colaboradores pratiquem exercícios físicos regularmente. Fazer parcerias de desconto com academias é uma ótima opção nesse sentido.

Não podemos esquecer que as pessoas são a “alma da empresa”. Sempre digo: Uma empresa é um organismo vivo, é composto de pessoas, e sem elas não há cultura, não há relações, não há comunicação, não há interação, não há propósito.

A importância de cuidar de cada colaborador é dar uma continuidade nos negócios, dar vida aos projetos, dar alma às criações. 

Uma organização saudável diminuirá seu turnover, terá baixo absenteísmo, contará com maior motivação e, consequentemente, alta produtividade de seus colaboradores! 

 

Glaucia Bassan  – Psicoterapeuta e Perita Psicóloga Organizacional

CRP 06/141.855

www.psicologiaviva.com.br/psicologos/glauciabassan

 

Referências:

www.oms.org

www.beecorp.com.br

https://atarde.uol.com.br/saude/noticias/1924792-depressao-sera-principal-causa-de-afastamento-do-trabalho-no-mundo-diz-oms

https://ww2.soc.com.br/2019/09/promover-a-saude-mental-em-empresas/#

Glaucia Bassan
Últimos posts por Glaucia Bassan (exibir todos)
Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar