DestaquePsicologia do trabalho

O que é segurança psicológica?

“Segurança Psicológica é a crença compartilhada pelos membros da equipe de que a equipe é um ambiente seguro para se tomar riscos interpessoais” Dra. Amy Edmondson

O conceito de segurança psicológica

Nos anos 90 a pesquisadora de Harvard Amy Edmondson chegou a esse termo e a esse conceito quando participou, junto a uma equipe de pesquisadores, de ‘um estudo inovador de erros de medicação em hospitais’. Onde pôde entender as condições onde erros podem ocorrer em diversas situações. Foi quando esbarrou na segurança psicológica como sendo algo primordial.

Para que o trabalho intelectual floresça, o local onde se trabalha deve fazer as pessoas se sentirem capazes de compartilharem seu conhecimento. Isso significa compartilhar preocupações, questões, erros e ideias malformadas. (EDMONDSON, Amy C., 2020)

A segurança psicológica começa a ganhar visibilidade

Em 2016 sai uma matéria na revista The New York Times sobre pesquisas do Google que investiga como se formavam equipes de sucesso, o Projeto Aristóteles. E durante essas pesquisas chegaram a artigos sobre o conceito de segurança psicológica. Foi quando a inovação e a tecnologia abraçaram o conceito, considerando a mais importante das cinco dinâmicas que identificaram como sendo também importantes, como ‘estabelecer objetivos claros e reforçar responsabilidade mútua’ mas se alguém da equipe não estivesse bem psicologicamente, de nada adiantariam os outros comportamentos. Tanto que a pesquisadora principal do projeto, Julia Rozovsky, afirmou ser o “alicerce das outras quatro”.

Terreno fértil para segurança psicológica

Em empresas psicologicamente seguras as pessoas não são confrontadas com o ‘medo interpessoal’ pois têm abertura de se expressar, de tentar, sabem que podem falhar mas não se abstém de participar, sentem-se confortáveis com a proatividade, não temem e por isso aceitam os riscos da proatividade, das ideias, sentem-se verdadeiramente integradas, não temem humilhações, culpas ou mesmo serem ignoradas.

Reforçando a ideia de Amy Edmondson em seu livro A organização sem medo, de que a segurança psicológica é um clima onde as pessoas se sentem à vontade em se expressarem, sendo elas mesmas.

Ficar em silêncio devido ao medo do risco interpessoal pode fazer diferença entre a vida e a morte (EDMONDSON, Amy C., 2020).

A importância da segurança psicológica

Uma empresa que não tem um clima organizacional pautado na segurança psicológica tem uma equipe frágil, que não tem uma comunicação aberta, autêntica e criativa, pois a criatividade está em propor ajustamentos frente a situações inesperadas ou complicadas da rotina de trabalho.

Tudo isso propicia um adoecimento, um enfraquecimento da saúde mental da equipe e, consequentemente, nos resultados da empresa. Então a importância está em valorizar o profissional, as ideias, as trocas e a confiança, e assim terá uma equipe forte, uma equipe de sucesso e que trará bons resultados.

A criação de valor começa colocando o talento que se tem em seu melhor e mais elevado uso (EDMONDSON, Amy C., 2020).

Reflexos da falta de segurança psicológica

A falta de segurança psicológica em empresas pode criar um clima disfuncional, pois gera silêncios quando deveria gerar proatividade. Troca de ideias e um ambiente seguro para se expressar sem medo de consequências gera profissionais desmotivados, provoca problemas de saúde mental que vão influenciar tanto individualmente como também coletivamente, até a produtividade e resultados da empresa e, consequentemente, refletir numa sociedade adoecida.

Então a saúde mental dos colaboradores da empresa hoje é primordial para pensar no ser humano como uma totalidade e na equipe com esse olhar aberto, colaborativo, afetivo, humano, é bom para as relações interpessoais e para a produtividade, trazendo mais e melhores resultados.

Levantamento obtido pelo g1 junto ao Ministério do Trabalho e Previdência mostra que nos primeiros sete meses de 2021 já foram concedidos 108.263 benefícios por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) para trabalhadores com transtornos mentais e comportamentais (G1 16/10).

Nesses tempos de pandemia tem-se falado bastante sobre a saúde do trabalhador, sobre saúde mental e o que tem afetado mais as pessoas, que mesmo muitas em sistema de home-office estão tendo sobrecarga de trabalho, além de todo o psicológico que vem sendo afetado neste momento, sem contar o fato de ter que lidar com uma carga de trabalho que para muitos aumentou apesar do novo modelo de trabalho.

As estimativas de casos de burnout, depressão e suicídio são assustadoras. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde, 1 bilhão de pessoas vivem com um transtorno mental no mundo. Estima-se que o estresse no local de trabalho custe à economia dos Estados Unidos mais de 500 bilhões de dólares por ano com gastos em saúde, auxílio-doença, absentismo ou presenteísmo, que é quando o trabalhador não consegue render (Exame, abril 2021).

Qual o caminho para um ambiente seguro psicologicamente?

Primeiro é preciso entender que praticamente não existe um trabalho que seja individualizado, sem a necessidade de uma interdependência. Todo trabalho funciona com base nas relações interpessoais, no contato.

E que cada indivíduo carrega sua história, seus problemas, suas dificuldades, e não dá mais pra dizer “deixa seus problemas lá fora”. Logo, o ambiente de trabalho precisa acolher seus colaboradores. Os problemas individuais nunca ficarão fora, estarão sempre dentro, e se a empresa não oferece um ambiente propício para cada um se colocar, trocar, aberto ao diálogo e à ideias, críticas, sugestões estará alienando uma peça fundamental pro funcionamento do todo, minando a criatividade, e então leva o foco todo para os problemas, prejudicando a produtividade.

Um estudo da Organização Mundial da Saúde mensurou a taxa de retorno: para cada 1 dólar investido em tratamento para transtornos mentais comuns, como depressão e ansiedade, há um retorno de 5 dólares em melhoria da saúde e da produtividade (Exame, abril 2021).

Logo, para desenvolver ou para emergir habilidades individuais e coletivas é preciso investir em um ambiente psicologicamente seguro. Promovendo a liberdade para as ideias fluírem, a troca de experiências e informações, além de segurança para se assumir erros com o comprometimento com o coletivo, minimizando assim as falhas.

Os líderes de hoje devem estar dispostos a assumir o trabalho de tirar o medo da organização para criar condições para aprendizado, inovação e crescimento. (EDMONDSON, Amy C., 2020)

Por fim, as empresas devem ter preocupação com o silêncio que a falta de segurança psicológica pode trazer, pois o silêncio pelo medo de se colocar, em função de consequências, pode refletir de forma muito negativa. Como diz Amy Edmondson em seu livro “A organização sem medo”: aviões colidiram, empresas desabaram, e pacientes de hospital morreram pelo medo das pessoas se pronunciarem, em função do ambiente de trabalho.

Christiana Chagas 

05/ 65213 – CRP – 5º Região

Referências

  1. A organização sem medo: Criando segurança psicológica no local de trabalho para aprendizado, inovação e crescimento. – Amy C. EdmondSon
  2. https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/10/16/pandemia-faz-crescer-concessoes-de-auxilio-doenca-para-doencas-psicologicas.ghtml
  3. https://exame.com/carreira/pesquisa-do-google-mostra-o-principal-fator-dos-times-de-alta-performance/
  4. https://exame.com/revista-exame/a-felicidade-compensa/
  5. https://www.pexels.com/pt-br/procurar/great%20place%20to%20work/
  6. https://www.pexels.com/pt-br/procurar/work%20team/
Christiana F da S Chagas
Últimos posts por Christiana F da S Chagas (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar