Desenvolvimento pessoal

Como ser feliz hoje, amanhã e sempre! Quer experimentar?

A felicidade é um estado de encontro com você e o mundo em harmonia. 

Existe várias maneiras disto acontecer. Uma delas é perceber que somos indivíduos diferentes, não existe ser humano igual, todos pensamos distintamente. Por isso, é necessário entender que as atitudes, os comportamentos, a compreensão, a interpretação dos fatos nunca será a mesma, e que isto é uma vantagem maravilhosa para o nosso aprendizado. 

No cotidiano nos deparamos com uma grande diversidade de situações que nos causam conflitos, indignação e até mesmo sofrimento psíquico, (no trânsito, na espera das filas, no trabalho, na escola, nos relacionamentos). E, na maioria das vezes culpamos o outro, ficamos irritados, estressados. Será que, com um pouco de resiliência a situação seria diferente?

A resiliência é a capacidade de resolver problemas com o mínimo de sofrimento, colocando-se no lugar do outro, colaborando no auxílio do que está dificultando a circunstância, possibilitando uma resolutividade mais rápida com ganho para todos. Então, podemos experimentar!


Gratidão aos pais

Os pais têm uma participação importantíssima neste contexto, isto é, na educação dos filhos, por mostrar que existe dificuldades durante toda a vida, e essas dificuldades têm o objetivo de fazê-los mais fortalecidos e empoderados na solução das adversidades. 

Impondo limites, pode-se fazer tudo. Temos livre arbítrio, porém, nem tudo nos convém; dizer “não” na hora certa; respeitar para ser respeitado; amar para ser amado; participando os filhos nos afazeres domésticos. Pois, temos certeza que o mundo lá fora cobrará tudo isto, porém de uma maneira muito mais cruel, com menos afeto, porque, nem sempre quem está com você teve a mesma oportunidade de vida. 

Ser útil, é ser feliz?

No trabalho, na escola, onde passamos o maior tempo do dia, nos deparamos com a concorrência, a inveja, a disputa, o desamor de alguns, e é preciso ter bastante segurança e fazer o melhor que puder, e exercer os deveres com compromisso e responsabilidade, evitando assim desconforto nos ruídos de colegas que querem ser iguais àquele que se preparou, se esforçou para está naquele lugar, mas, denomina como “sorte”.

A maioria das pessoas tem inveja do que a pessoa é, muito mais do que a pessoa tem.

Entenda a felicidade com paciência!

No cenário do mundo moderno estamos inseridos em diversos projetos que nos apresenta como imediatistas, queremos resolver tudo que nos chega, muitas vezes sem planos e sem agendas. Mas, por que isto acontece?

Podemos perceber que todos nós estamos muito acelerados, e muitas vezes não nos damos conta do conteúdo que existe dentro de nós, que pode ser explorado a cada dia. Como se fosse um passo de cada vez. É como se quiséssemos superar os nossos próprios limites, e até mesmo mostrar-nos para o outro como um ser competente, evitando assim o medo e ao mesmo tempo a fraqueza que nos incomoda e fragiliza diante da cruel concorrência que existe no mundo lá fora.  

A compreensão de si mesma na sua totalidade nos ensina algo de grande monta, que é o excesso de bens que possuímos, e que na maioria das vezes o nosso olhar está voltado para o que nos falta. 

As atitudes diante das adversidades são fatores determinantes, como atenção plena nas atividades da vida, que pode ser realizada valorizando a conquista, a realização, o sucesso, onde a meditação pode ser uma grande aliada. Outro fator é buscar sempre algo desafiador, que possibilite provar as habilidades existentes dentro de si.

Para isto acontecer é necessário ter paciência e tolerância  com os limites de cada um. Nunca desistir também é importante, principalmente quando algo não dá certo, há erros envolvidos, o resultado não foi o esperado, etc. Lembrando sempre que aprendemos muitas vezes através do erro, que pode nos levar a caminhos diferentes e conclusões acertadas.

Perceber o desafio!

A questão não é o que acontece conosco, o problema é como reagimos daquilo que nos acontece. Porque não podemos evitar tudo, não temos o controle de tudo. As pessoas vão nos machucar de alguma maneira. Não devemos reagir, e sim, agir.

Como podemos fazer isto? Não pergunte “o que fizeram comigo?”. A pergunta é: “o que vou fazer com o que fizeram comigo?”. A depender da situação e do quanto nos machucaram, vamos tentar reconstruir os pedaços, e com isso aprender a ficar mais forte e evitar repetições.

Temos um repertório de infinitas possibilidades de se fazer feliz. 

O grande desafio é não atender demandas externas, frágeis e que sabemos que não damos conta, e ser temporário e nos decepcionar, frustrar, como: corpo bonito; riqueza; poder; inteligência e sabedoria em todas as coisas. O corpo um dia envelhece; o dinheiro pode acabar, assim como o poder; e também não sabemos tudo. Evitar ser escravo de coisas momentâneas, fúteis e que não podemos controlar.

Então podemos trocar as frases:

Em vez de: “eu amo se”, “sou feliz se”… para: “eu amo apesar de”, “sou feliz apesar de”.

Não se vê pelo olhar do outro, mas, usá-lo como instrumento intermediário de projeto de vida, de transformação. Porque o outro vê a sua sombra projetada, aquilo que o incomoda. 

A emoção como resposta!

Sustente-se nas suas raízes: você, família  ou em algo maior em que você acredite.

Para a partir daí aumentar a capacidade para apreciar o prazer em determinados eventos, que na maioria das vezes é simplório, mas vai fazer uma grande diferença no nosso bem-estar. Estar atento e observar em nosso entorno, o que se passa diante dos nossos olhos, aproximar-se da natureza, dos acontecimentos (o bailar das ondas do mar, ouvir o canto de um pássaro, sentir o perfume de uma flor, o ruído do vento, o brilho do sol, da lua, das estrelas, a cor do céu, o sorriso de alguém para você).

Muitas vezes estamos tão focados nos nossos afazeres e deixamos de contemplar fenômenos aprazíveis e que tocam nas nossas emoções, nos nossos sentimentos, causando plenitude no íntimo da nossa essência. Sensação que é única, individual e intransferível.  

Peça, e o Universo fará chegar até você aquilo que verdadeiramente te pertence, e com certeza será o melhor para sua Vida.

Maria do Socorro Lopes Carneiro
Últimos posts por Maria do Socorro Lopes Carneiro (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar