Desenvolvimento pessoal

Você possui algo de valor e não sabe: seus sonhos

Os nossos sonhos servem para que nos conheçamos melhor, eles são muito importantes. Podemos contar nossos sonhos para o nosso psicólogo, pois ele ajudará você a entender melhor o que eles querem te dizer.

Pode ser algo bastante divertido contar os seus sonhos e reviver aquele momento. Muitas vezes eles parecem assustadores, mas esse sentimento de medo que ele gera pode carregar aprendizados ainda não conhecidos.

Nós também temos sonhos que são muito agradáveis, que estamos em lugares que não queremos acordar, e isso nos traz sensações de intenso prazer, fazendo até com que o humor melhore durante o dia, resultado desse sonho bom. Os conteúdos dos sonhos às vezes se repetem, quando isso acontece é importante que você leve ao seu psicólogo esse material onírico que insiste em fazer parte dos seus roteiros inconscientes enquanto você dorme.

Os sonhos, quando trazidos para o ambiente da psicoterapia nas primeiras consultas, podem ajudar tanto no diagnóstico quanto no tratamento do paciente, pois elucidam os conteúdos ocultos.

Jamais acredite em um dicionário de sonhos!

Somente o seu psicólogo pode te auxiliar na interpretação dos seus sonhos, pois ele, junto com você, trabalhará de maneira investigativa a partir da sua história de vida, que é individual, singular e única.

Você deve ser compreendido de maneira profunda pelo olhar do seu psicólogo. Por isso, o que você ler sobre “significado dos sonhos” publicados para o público em geral, não é visto como de valor científico. As respostas combinadas nesses materiais sempre tendenciam à generalização, e como dito anteriormente, você é único.

Não podemos negar que esse tipo de material se encaixe melhor na categoria “entretenimento”.

Sonhos lúcidos – acordar durante o sonho é possível?

Você já vivenciou essa experiência? 

A pessoa tem consciência que está sonhando, durante o seu próprio sonho. Existem exemplos de indivíduos que vivenciaram esse tipo de experiência e também conseguiram manipular as ações, o meio e o tema enquanto sonhavam. Sonhos lúcidos são definidos também como uma “hiper-realidade”, apresentando-se como mais concretos que o próprio estado de vigília. Os conteúdos que fazem parte do sonho lúcido aparecem ampliados, proporcionando uma vivência que tem o poder transformador relacionado à percepção de mundo do sonhador.

Na clínica junguiana, enfatiza-se a importância do paciente anotar os sonhos. A partir do momento que a pessoa compreende o valor dessa instrução, ela saberá reconhecer dentre os seus sonhos aqueles que carregam significado e devem ser encaminhados para o ambiente psicoterápico.

O trabalho do psicólogo é acolher as imagens que o paciente traz e realizar o seu trabalho juntamente com o paciente, ampliando esse conteúdo e assumindo uma postura questionadora diante daquele material vivo que se apresenta no setting terapêutico. Ao praticar esse exercício, com o tempo o paciente perceberá certos padrões que se repetem e que podem auxiliar no seu processo de tornar-se Si Mesmo.

Os sonhos apresentam-se carregados de imagens. As imagens se referem sempre a algum aspecto que existe dentro de você. Os sonhos possuem funções que devem ser cuidadosamente analisadas.

Tipos de Sonhos

  • Compensatórios: Sua função é equilibrar a psique e mostrar que você pode estar agindo de maneira muito rígida ou unilateral em algum aspecto de sua vida.
  • Prospectivos: Dizem respeito à sua vida pessoal, você sonha e ele acontece.
  • Arquetípicos: O arquétipo aparece no sonho através de alguma realidade mitológica.
  • Telepáticos: Estão relacionados ao Inconsciente Coletivo. Quando você sonha com alguém e aquela situação acontece com aquela pessoa.
  • Reativos: Falam de algum trauma (inconsciente). Existe a intenção da psique que você se acostume com aquela realidade.
  • Premonitórios: Possuem um impacto na realidade do coletivo. Você sonha com algo que pode acontecer de fato, futuramente.

De um modo geral, todos os sonhos possuem a função de equilíbrio da psique e são considerados mecanismos compensatórios para uma realidade que muitas vezes julgamos difícil de lidar. Jung ainda complementa que os sonhos são manifestações não falsificadas de nossa psique.

Os sonhos que ocupam várias horas de nosso dia, estando presente na história da evolução dos seres humanos, nos fazem crer que possuem uma importante função de sobrevivência da espécie, em que o material onírico do sonhador surge como uma ferramenta de simulação em situações de ameaça, vivenciando situações e cenários ainda não percorridos, proporcionando ao sujeito um melhor desempenho futuro de respostas em momentos que ele estiver acordado, pois ele já experienciou aquela cena anteriormente, mesmo que de maneira inconsciente. 

A autora Katz (2010) discorre de forma poética quando fala sobre os sonhos: “os sonhos se tornam vivos quando os relatamos, pois, à medida que os contamos, eles assumem uma forma”.

A partir dessa ideia que a clínica junguiana será guiada, e o trabalho com o material onírico de cada paciente poderá ser desenvolvido, ampliado e vivenciado.

 

Andria Pequito – Psicóloga Junguiana

Andria Pequito
Últimos posts por Andria Pequito (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar