Desenvolvimento pessoal

Estresse: Aprenda a perceber os sinais que seu corpo dá quando você está estressado 

Se tem uma coisa que foi naturalizada e romantizada ao longo dos anos é a falta de tempo, parece que o tempo todo as pessoas estão ocupadas demais, com extensas listas de afazeres. Aos olhos de muitos, manter uma agenda cheia pode ser sinônimo de produtividade, e quer algo que gere uma maior sensação de importância do que “viver ocupado”?  

A verdade é que não funciona bem assim, e digo mais: talvez você esteja apenas se sobrecarregando. Enquanto se vive num malabarismo diário e constante, equilibrando uma rotina onde é preciso dar conta do trabalho, casa, família, relacionamento, é possível que você nem perceba o quanto na verdade está estressado.

Sem perceber, você atinge um ponto onde não há mais disposição e nem interesse em completar aquela vasta lista de tarefas, sem falar no constante mau humor. Estar estressado vai muito além disso, sem falar que esse estresse não se manifestará apenas nas alterações de humor, podendo ser facilmente confundido  com sintomas de outras doenças e transtornos mentais.

Por isso, quero trazer alguns sintomas que o seu corpo pode apresentar numa tentativa de sinalizar o quão sobrecarregado e estressado você pode estar e talvez nem tenha se dado conta. Lembrando que até certo ponto o estresse pode ser considerado algo positivo, afinal de contas ele é responsável pela produção de adrenalina que estimula o nível de criatividade e produtividade, mas já pensou isso acontecer o tempo todo e de forma intensa?

Seu corpo, além de ficar em alerta constante, estará pronto para reagir, dar fuga, e isso com certeza levará o organismo ao esgotamento trazendo prejuízos para as diversas áreas da sua vida.

E quais são os principais sintomas que o corpo apresenta?

  • Dores (dores de cabeça, dores de estômago ou gastrite, dor no peito, dores musculares constantes ou tensão)

Se frequentemente você vivencia essas dores, sem causas orgânicas aparentes, vive dizendo “eu preciso de uma massagem”; precisa tomar um remedinho para aliviar a dor de cabeça que aparece quase que diariamente; frequentes dores no estômago ou gastrite (a liberação de adrenalina e cortisol faz com que o corpo produza o ácido do suco gástrico em excesso), provavelmente você esteja com o nível de estresse lá no alto.

  • Diarreia ou constipação

Se sua barriga fica constantemente inchada, tem episódios que variam entre prisão de ventre e diarreia, mesmo cuidado da alimentação, saiba que esses episódios também podem estar relacionados ao estresse em excesso e isso pode gerar maiores chances de desenvolver a síndrome do intestino irritável ou doenças inflamatórias.

  • Baixa imunidade (frequentes resfriados, infecções)

Ficar constantemente doente pode ser sinal de que a sua imunidade não anda lá aquelas coisas. Nesses casos de resfriado ou até outros casos isolados de problemas respiratórios que aparecem com frequência, e mesmo após curados voltam a aparecer num curto espaço de tempo, podem ser sinal de que o sistema imunológico esteja baixo.

  • Perda de libido

O estresse mantém o corpo em constante estado de alerta, o que leva a um gasto de energia muito grande e isso interfere diretamente no apetite sexual. Por não ter disposição, evita-se a relação e nos homens pode provocar a dificuldade de ereção.

  • Problemas dermatológicos

Inchaço, coceira intensa e ardência na pele são sintomas comuns, o alto nível de estresse pode desenvolver episódios onde aparecem bolinhas vermelhas em diferentes partes da pele que são sintomas da alergia nervosa ou urticária nervosa, um tipo de dermatite associado ao aspecto emocional.

Embora viver estressado tenha se tornado comum na nossa sociedade atual, é preciso estar atento ao estilo de vida que se tem levado, pois segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o estresse crônico pode ser fator desencadeador de doenças e transtornos mentais, o que nos leva a uma necessidade de refletir e por isso a importância de melhorar o nosso modo de levar a vida.

É importante estar alinhado às diferentes áreas de nossas vidas, identificar quais aspectos estão em desequilíbrio e são problemáticos, para então reajustar. 

Algumas dicas de como diminuir o estresse

  • Priorize seu sono 

Dormir bem com certeza é um dos fatores que contribuem muito para a diminuição de estresse, o corpo precisa do sono para se autorregular, é uma espécie de reparação. Então fique atento a esse fator, procure dormir um número de horas suficiente para se recompor, evite uso de telas (tv, celular, etc.) antes de dormir.

  • Use técnicas de relaxamento

O yoga e a meditação são ótimos aliados para a redução de estresse. Pode ser cinco minutos ao acordar, ao longo do dia ou antes de dormir. Alongar o corpo liberando a tensão muscular, também vai te ajudar a relaxar e perceber pontos do corpo que estão mais tensionados.

A respiração controlada é mais uma das técnicas de relaxamento muito eficaz. Respire fundo, expandindo a barriga, dê uma pausa e solte o ar lentamente contando até cinco. Repita por quatro vezes.  

  • Pratique uma atividade física

Pode ser até mesmo uma caminhada, escolha uma de sua preferência para que não seja só mais uma obrigação. A atividade física ajuda a aumentar a produção de neurotransmissores do bem-estar no cérebro, as famosas endorfinas, e ajuda a combater o estresse, melhora a autoestima, diminui os sintomas da TPM, entre tantos outros benefícios relacionados à expectativa e qualidade de vida.

  • Busque momentos de prazer e de lazer na sua rotina

Sabe aquela frase “preciso recarregar as energias”? Quando estiver esgotado, pare para pensar o que costuma ser essa sua recarga. Tem gente que se recupera quando está em contato com a natureza, com pessoas que considera ter boas relações e fazem com que se sentam bem, outros gostam de ficar na companhia de si mesmos e ler um livro, ouvir música, assistir um filme ou série, ainda há aqueles que gostam de trabalhos manuais, artesanais.

Todo mundo tem algo que ajuda a recarregar, então tenha espaço na sua rotina para esses momentos que te deem prazer, com certeza isso ajudará a diminuir o estresse.

Resumindo

Essas são algumas possibilidades que o ajudarão a ter uma vida menos estressante. Entenda que é humanamente impossível dar conta de tudo, então aprenda também a dizer não de vez em quando, pois sempre será necessário abrir mão de algo em detrimento de outro.

Viver uma vida com um estresse excessivo e prolongado traz prejuízos inclusive para as suas relações, contribui para uma baixa autoestima, diminui a produtividade, uma vez que o esgotamento não possibilita desenvolver nem as atividades mais simples do dia.

Portanto, priorize sua saúde dando a devida importância ao autocuidado, às suas relações, atividades que goste ou a descobrir um novo hobby, coisas que aumentem o bem-estar e traga algum sentido para a vida para além do trabalho e das listas de afazeres. 

Caso esteja muito difícil fazer isso sozinho, não deixe de pedir ajuda profissional. A psicoterapia pode ser uma ótima ferramenta para buscar possibilidades e caminhos que aumentem o bem-estar no dia a dia. 

Mayara Fonseca
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar