Saúde

Quais os tipos de depressão mais comuns?

O questionário não deve ser considerado como um diagnóstico, apenas como uma orientação dos níveis dos sinais. Nesse caso, sempre é recomendado consultar um profissional capacitado para uma avaliação completa.

O transtorno depressivo é um grande motivo de preocupação em todo o mundo. A incidência dele cresceu muito nos últimos anos, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. No Brasil, 5,8% da população sofre com isso.

O que muitas pessoas não sabem é que a depressão não é apenas uma. Os sintomas e as causas desse transtorno são bastante diversos. Você quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe nossas informações!

Conheça os tipos de depressão

Transtorno depressivo maior

Esse é, provavelmente, o subtipo mais conhecido da depressão. É caracterizado pela presença de pelo menos cinco dos seguintes sintomas:

  •         Humor deprimido;
  •         perda de interesse ou prazer;
  •         ganho ou perda acentuada de peso;
  •         insônia ou cansaço excessivo;
  •         diminuição da energia;
  •         sentimentos de culpa e inutilidade;
  •         agitação ou retardo motor;
  •         dificuldade de concentração;
  •         pensamentos suicidas.

Para ser diagnosticada com um quadro de transtorno depressivo maior, a pessoa deve estar se sentindo assim durante boa parte do dia e quase todos os dias, por um período de pelo menos seis meses. Esse tipo acomete mais mulheres do que homens e pode ser percebido a partir da adolescência.

Distimia

Também chamado de transtorno depressivo persistente, é um quadro mais leve do que a depressão maior, mas que dura mais tempo. Enquanto o primeiro tipo tem sintomas mais graves e incapacitantes, a pessoa com distimia pode seguir a vida e conviver com a depressão por vários anos.

Muitas chegam até mesmo a se acostumar com os sintomas, acreditando que características como a apatia e a negatividade fazem parte de sua personalidade. Pessoas com esse problema sofrem com mau humor, fadiga, sentimentos de desesperança e isolamento social.

Transtorno disruptivo da desregulação do humor

A depressão é muito conhecida pelos sintomas da tristeza e da falta de interesse. Entretanto, ela também se caracteriza pela irritabilidade crônica, que é o sintoma principal desse subtipo. Nesse caso, a pessoa deprimida apresenta humor irritável e frequentes explosões de raiva.

Para que o diagnóstico fique claro, é preciso que os sintomas aconteçam mais de uma vez na semana e em mais de um ambiente (em casa e no trabalho, por exemplo). Esse problema é mais comum entre as crianças e adolescentes.

Saiba o que fazer se estiver deprimido

Caso você se identifique com algum dos sintomas que citamos, não deixe de procurar ajuda profissional. Fazer terapia com um psicólogo é a intervenção ideal para superar a depressão. Em alguns casos, o uso de medicamentos psiquiátricos também é necessário para complementar o tratamento.

Na terapia, é possível descobrir as raízes da depressão e identificar as consequências dela para sua vida. O tratamento envolve aprender a lidar com os sintomas e modificar situações que estejam relacionadas ao transtorno, com objetivo de trazer mais qualidade de vida para o paciente.

Agora você já sabe que existem diversos tipos de depressão. Logo que perceber algum desses sinais em si mesmo ou nas pessoas próximas, procure profissionais de confiança para tratar o problema. Precisamos combater o transtorno depressivo de forma eficaz!

Depois de ler este post você tem interesse em se consultar com um psicólogo para investigar o diagnóstico? Procure um profissional no nosso site!

É importante lembrar que o resultado do questionário não é uma avaliação psicológica. Assim, apenas por esse resultado, não é possível diagnosticar um quadro de ansiedade e depressão.


Referências: 

Campos, Fagner Alfredo Ardisson Cirino, and Fabio Biasotto Feitosa. Protocolo de Diagnóstico da Depressão em Adulto (PDDA). Appris Editora e Livraria Eireli-ME, 2018.

de Andrade, Patrícia Marques. “DEPRESSÃO: ASPECTOS NEUROPSICOLÓGICOS DA DOENÇA NA VISÃO PSICANALÍTICA.” BIUS-Boletim Informativo Unimotrisaúde em Sociogerontologia 18.12 (2020): 1-17.

Gomes, Leonardo Queiroz, and Gessé de Souza Silva. “A depressão: da história para a clínica psicanalítica contemporânea.” Revista Ciência (In) Cena 1.6 (2018): 51-68.

Psicologia Viva
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar