Saúde

Não se permita viver um relacionamento abusivo

O tema relacionamento abusivo está sendo muito discutido, inclusive, nas redes sociais. O motivo de isso tudo é porque, infelizmente, é mais comum do que imaginamos.

Não importa a classe social, nível de escolaridade e gênero, pois qualquer pessoa pode se envolver em um relacionamento tóxico e abusivo. Essa relação é denominada por uma pessoa que domina e a outra fica submissa, seja financeira, sexual, física ou emocionalmente.

Quem domina aproveita da vulnerabilidade do outro para impor suas vontades, regras e crenças. O dominador sempre irá se colocar em posição de que é o único correto da relação, sempre irá se impor.

Esse tema está sendo mais divulgado porque algumas pessoas famosas passaram pela situação e resolveram falar, não se intimidaram e falaram abertamente do que vivenciaram, justamente com o intuito de esclarecer e ajudar outras pessoas que também estejam passando por isso. Buscar informação é muito importante para a conscientização e fortalecimento. 

Como reconhecer um relacionamento abusivo?

Geralmente as pessoas têm mais facilidade em perceber violência quando ela é apresentada de forma física e não reconhecem a psicológica, que de certa forma é mais sutil. Porém, a violência psicológica pode ser até mais grave que a física pois a vítima tem dificuldade em perceber, tomar consciência do que está acontecendo, inclusive, em muitas situações, começam a questionar a própria sanidade mental, se estão agindo de forma correta e coerente.

A manipulação psicológica tem o objetivo de trazer confusão mental, traz insegurança e fragiliza ainda mais a vítima. 

Alguns comportamentos que geralmente os abusadores praticam:

  • Desvalorizam o parceiro,
  • Fazem jogos de manipulação psicológica,
  • Têm comportamento agressivo,
  • Possessividade,
  • Fazem chantagens emocionais e usam da violência física.

Geralmente diminuem a vítima, fazem críticas e a controlam através do medo, fazendo-a a dar satisfação de tudo que faz, fazendo ameaças constantes, além de fazer a vítima se sentir culpada. Abusadores são especialistas em fazer o parceiro acreditar que o modo como é tratado é sua culpa.

Normalmente, o abusador também trai a vítima, mas age como se fosse o contrário, deixando a vítima insegura. O abusador não tem empatia, compaixão ou piedade pelo outro, faz tudo premeditado e de forma calculista.  

O abusador usa o controle todo o tempo, mas faz isso em forma de “cuidado” e” carinho”. Poderá fazer seus gostos, impressionar a você com presentes e galanteios, te ilude para que você tenha uma boa imagem dele.

Porém, esses bons momentos duram pouco, pois em seguida o seu comportamento doentio continuará e a sua angústia e sensação de impotência permanecerão te incomodando e te fazendo sofrer. 

Esteja atento aos sinais!

Em um relacionamento nada saudável, você se sente confuso e irritado constantemente pois o abusador faz o jogo duplo, ou seja, te agrada e te deixa sentindo mal em curto espaço de tempo, o que leva você a acreditar que você é responsável pelo relacionamento não estar bom.

 A comunicação é muito ruim e falha, o diálogo se resume em provocações, deboche e sarcasmo, além de constantemente chamar o outro de “louco”, especialmente quando questionado, usa sempre da violência verbal e utiliza o grito como força.

Geralmente o abusador não fala muito sobre sua vida, mas sempre quer estar ciente de todos os seus passos, de tudo o que você faz, com quem conversa, qual a sua rotina e quais os seus planos. E em muitas situações, tenta mudar sua opinião, seus hábitos, conforme a própria vontade e desejo. Te manter sob controle e submisso a ele é o objetivo principal. 

Abusadores vão repetir as velhas frases: “ninguém vai te amar como eu te amo”, “ninguém vai te aceitar como eu te aceito”, além de outras chantagens emocionais como “se você fizer tal coisa, é sinal que não me ama”, ou seja, sempre ameaçará te deixar, te transmitindo desconforto e muita insegurança. 

Por que as pessoas não conseguem sair de um relacionamento abusivo?

Geralmente as pessoas que estão envolvidas não têm consciência que estão passando por um mecanismo assim, mesmo que estejam sofrendo. Ter essa consciência é um processo de autoanálise e de análise do outro e do relacionamento.

Em alguns casos, especialmente de mulheres, elas ficam em um relacionamento tóxico com o parceiro pois carregam a carga da “pressão social” que mulheres felizes são mulheres casadas. As próprias mulheres costumam se cobrar muito quando um relacionamento não vai bem, acreditam que sejam totalmente responsáveis pelo que estão passando.

É difícil sair de um relacionamento assim, pois a vítima acredita que tudo vai mudar, que o parceiro vai melhorar, que em muitas situações ele a trata bem e isso alimenta o “loop” eterno. A esperança que a situação mude e melhore, cresce quando a vítima recebe um agrado, quando se sente bem tratada (mesmo que seja momentaneamente). 

Consequências de vivenciar um relacionamento abusivo

Quando uma pessoa vivencia por muito tempo um relacionamento abusivo, ela pode desenvolver traumas, depressão, ansiedade, problemas de autoestima e também problemas de saúde. As consequências são diversas e fazem estragos emocionais a longo prazo. E em casos mais graves e drásticos pode terminar em morte.

Um relacionamento abusivo não pode ser mantido, terminar é a única orientação e saída para que você volte a se reestabelecer e assim ter uma vida saudável.

Fique em alerta e busque ajuda!

O relacionamento abusivo pode acontecer com qualquer pessoa, apesar das mulheres serem geralmente mais vítimas que os homens na nossa sociedade. 

Se você tem desconfiança ou já tem a consciência que está um relacionamento nada saudável, busque ajuda para que você se fortaleça e consiga quebrar esse ciclo. Os relacionamentos abusivos são difíceis de serem reconhecidos pelas vítimas pois elas já possuem uma visão distorcida da realidade, e colocar um ponto final em um relacionamento abusivo é ainda mais difícil, porém, com a ajuda de um profissional, além de facilitar o processo, é feito com mais segurança.

Observe tanto o comportamento do outro como o seu! Um psicólogo poderá te ajudar!

Liliane Barbosa Marques
Últimos posts por Liliane Barbosa Marques (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Perfeito Liliane. Eu vi minha mãe passar por isso, e é muito importante falar sobre isso. Parabéns pela profissional que vc é. Vc nos encoraja a ter uma atitude. Bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar