Psicologia geral

Quando devo procurar um psicólogo?

Em momentos difíceis ou frente a alguns problemas que parecem de difícil solução, muitas pessoas pensam em procurar um psicólogo, mas desistem por diversos motivos: medo, vergonha, desconhecimento ou até mesmo por não acreditarem que um profissional especializado poderá ajudar.

Mas a psicologia tem por objetivo ajudar as pessoas a se conhecerem melhor, e assim encontrarem dentro de si mesmo as respostas que procuram.

Se você tem dúvidas sobre quando procurar um psicólogo, confira alguns sinas que podem te ajudar a tomar esta decisão:

Se você sente as emoções com muita intensidade, vale a pena procurar um psicólogo?

Se as suas emoções – seja tristeza, paixão, raiva ou irritação – são intensas a ponto de você se questionar ou atrapalhar suas atividades cotidianas, talvez seja hora de buscar ajuda. A ansiedade extrema, por exemplo, pode aumentar a proporção das preocupações, causar angústias desnecessárias e prejudicar a qualidade de vida.

Uma pesquisa realizada entre 2010 e 2013, pela Sul América Saúde, no Programa Saúde Ativa, com as gerações: Baby Boomer, X, Y e Z, constata que o público mais jovem tem sofrido maior índice de estresse em função do alto nível de exigência do mundo e dos mercados atuais.

O fato é que este cenário não mudou e pode ter piorado de lá para cá.

Normalmente o agravamento destas doenças ocorre quando não conseguimos adequar nossos “desejos” com a realidade que nos cerca, de tal modo que lentamente a intensidade do nosso descontentamento aumenta, causando-nos prejuízos em algum campo da nossa vida.

Deste modo, fique atento às situações que normalmente você perde o controle emocional seja a nível pessoal, profissional, familiar, afetivo ou de modo geral. E, como perceber isso?

Uma das maneiras, é você identificar os acontecimentos que despertam esta emoção negativa com maior frequência e em momentos específicos. Por exemplo:

“Sinto-me frequentemente triste no meu trabalho, principalmente quando meu chefe deprecia minhas entregas”. Ou, “Sinto-me extremamente preocupada e insegura quando meu namorado não chega no horário que combinamos, então sempre me pego controlando seus passos”.

Ou “Sinto-me irritada(o) sempre que estou próxima(o) ao meu enteado. E, normalmente sou muito agressiva(o) com meu próprio filho(a)”

Este tipo de revisão certamente irá apoiá-lo(a) a identificar o momento certo de buscar ajuda. Mas, e nos casos em que seu mundo vira de cabeça para baixo?

Se você passou por uma situação traumática

Morte na família, divórcio, desemprego ou doenças graves são exemplos de situações traumáticas que podem afetar profundamente as pessoas envolvidas, causando distanciamento, depressão, problemas para dormir e até mesmo para trabalhar ou estudar.

É recorrente na vida de quem sofreu um trauma o medo de passar pela situação traumática novamente. Por isto, pensamentos de desesperança aliado aos sentimentos de angústia e tristeza tornam a vida do sujeito um verdadeiro desafio.

Caso a pessoa não busque uma ajuda adequada, seu quadro irá evoluir e ela poderá buscar como alternativa o suicídio na tentativa de aliviar sua dor. Assim, não espere que seu problema evolua a esse ponto.

Ter um espaço seu para elaborar uma perda, ou lidar melhor com as circunstâncias que lhe despertam o medo de passar novamente pela sensação ruim, é o caminho ideal para você buscar sua recuperação.

Um psicólogo pode ajudar a lidar melhor com essas situações e até mesmo superar o trauma de uma forma mais positiva e tranquila.

[easy-video-share-events mode=”youtube” video=”UTsg92DDgEw” width=”560″ height=”315″ play=”false” pause=”false” end=”false” share=”false” share_pos=”before” ]

Se você apresenta sintomas de doenças não diagnosticadas

A máxima “o corpo fala” é uma verdade universal: dores de cabeça, de estômago, gripes e resfriados de repetição ou dores repentinas sem motivo aparente podem ser sinais de problemas emocionais não resolvidos.

Muitos já devem ter ouvido dizer que o mal do século é o estresse, a depressão, a ansiedade. Certamente estas doenças estão na lista de maior epidemia a nível mundial.

De acordo com OMS – Organização Mundial da Saúde – o Brasil tem a maior taxa do transtorno de ansiedade no mundo e é o quinto em casos de depressão.

Várias alterações como “suar frio”, ficar sempre em alerta com medo de algo, taquicardia ou palpitações no peito, tensão muscular, entre outras sensações de desconforto físico podem estar relacionadas com a ansiedade.

Assim como alterações no humor, tristeza, solidão ou isolamento social podem estar relacionados a depressão causando também várias dores pelo corpo.

Frequentemente as pessoas sentem-se frustradas quando apresentam estes sintomas em consultórios médicos e fazem uma série de exames que não resultam em nada.

Às vezes, se um quadro de ansiedade não é diagnosticado em tempo, por exemplo, ele poderá evoluir para uma fobia social ou até mesmo uma síndrome do pânico.

Se você apresenta sintomas inexplicados que o médico não consegue diagnosticar, talvez seja hora de procurar um psicólogo.

Se você precisa de válvulas de escape com frequência

O abuso de álcool ou drogas é um problema sério que precisa de intervenção imediata, mas essas não são as únicas válvulas de escape que oferecem risco aos seus usuários.

Alguns tipos de medicamentos ou até mesmo a comida podem ser utilizados para mascarar questões emocionais não resolvidas, apontando a necessidade de buscar ajuda especializada.

O fato é que esta tentativa acaba sendo pretexto para criar um problema ainda maior. Uma vez instaurada a dependência, ela traz sérios prejuízos à vida da pessoa, seja no nível da sua integridade física, comportamental ou social.

E como isto acontece?

O perigo começa pelo nosso cérebro que possui um circuito denominado sistema de recompensa, responsável por decodificar estímulos que nos dão prazer.

Uma vez ativado, será liberado em nosso organismo grandes quantidades de dopamina, uma substância conhecida por neurotransmissor, que nos estimula a alcançar o objetivo da sensação de prazer.

Fazer compra, fazer sexo, comer um chocolate, ou uma simples ideia que já lhe deu algum tipo de prazer, faz com que a dopamina envie sinais ao cérebro para que ele alcance seu objetivo: que é ativar o sistema de recompensa e ter a sensação de prazer novamente.

O fato é que este sistema é adaptativo e uma vez que você teve esta sensação de contentamento, qualquer estímulo, seja ele um pensamento, poderá fazê-lo buscar pelo objeto que lhe gerou a sensação de bem-estar.

Se você se encontra em uma situação cuja a dependência lhe causa danos em qualquer âmbito da sua vida, procure por ajuda psicológica, pois existem técnicas eficientes para apoiá-lo em seu processo de reabilitação.

Se você tem uma ideia fixa ou uma vontade que não passa

Sentir aquela intensa necessidade e fissura de lavar as mãos com frequência, ou o desejo de dormir e não mais acordar devido aquela experiência de grande frustração, são exemplos de ideias que podem trazer sérios prejuízos para sua vida.

Alterações de controle para saciar uma vontade são mais comuns do que se imagina. Pessoas antes do suicídio possuem uma ideia fixa de buscar formas para aliviar ou eliminar a dor insuportável de uma perda, por exemplo. Há ainda aquelas que sofrem com ideias fixas ou vontade de neutralizar pensamentos indesejáveis, como por exemplo o de impureza, no caso de lavar as mãos sempre que o pensamento vem.

As ideias obsessivas geralmente são aqueles pensamentos desagradáveis que você precisa fazer algo para neutralizar um desconforto.

Já os atos impulsivos são uma espécie de curto circuito do ato voluntário, ou seja, você passa da intenção para ação de maneira abrupta.

Existem situações que você pode apresentar estas duas alterações de vontade, como é o caso das pessoas que sofrem de cleptomania ou roubo patológico, são pessoas que apresentam o ato impulsivo e/ou compulsivo de roubar, geralmente precedido de intensa ansiedade e apreensão, que apenas alivia quando a pessoa realiza o roubo.

Um exemplo crescente em nossa sociedade de compulsão é o uso indiscriminado da  internet ou vídeo-games. Esta é uma das compulsões que inclusive podem iniciar com o uso frequente pelo fato de a pessoa não ter muito diálogo ou contato na própria família.

Detectar esta dificuldade de controlar uma ideia fixa ou a realização de uma vontade com antecedência, e buscar o apoio de um psicólogo para evitar que seu quadro evolua para algum tipo de transtorno psicológico, como é o caso do Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), torna-se fundamental.

Se as coisas que antes te interessavam perderam a graça

As pessoas mudam constantemente, e seus interesses também mudam ao longo da vida. Mas se você percebe que seus hobbies, atividades e hábitos que antes lhe traziam prazer agora lhe parecem desinteressantes, isso pode indicar a necessidade de procurar um psicólogo.

A falta de interesse está diretamente relacionada com a motivação. Se você vive um momento em que nada lhe agrada, certamente há algo errado aí. Por trás do seu descontentamento certamente há questões pessoais que precisam ser trabalhadas.

A falta de amor ou de atenção, uma rotina de trabalho exaustiva que consome sua energia ou a sensação de inadequação em relação à vida que vive, podem ser fatores que estão causando o desânimo e a desmotivação.

Você já sabe: desânimo, descontentamento, tristeza, etc. são ingredientes perfeitos para evolução de doenças como a depressão, por exemplo.

Assim, seja para entender o que está acontecendo ou para resgatar suas preferências, buscar ajuda profissional correta poderá fazer toda a diferença.

Se você se sente constantemente desanimado ou sem energia

Todos passam por dias de preguiça extrema, de ceder à vontade de passar o dia inteiro deitado no sofá. Mas se esses dias tem se repetido com frequência, ou se você não encontra força de vontade para ceder à apatia, é essencial tomar a decisão de buscar ajuda para quebrar esse círculo vicioso.

Normalmente a apatia está relacionada com uma diminuição de estímulos afetivos, a pessoa perde a sua capacidade de dizer aquilo que a faz triste, alegre, irritada, etc. Apesar de saber da importância afetiva que determinada experiência deveria despertar, ela não consegue sentir nada. É uma espécie de “tanto faz como tanto fez” para tudo na vida.

Esta incapacidade total ou parcial de obter e sentir prazer com determinadas experiências na vida está diretamente relacionada com alterações afetivas, o nosso “tempero” sentimental, àquilo que identifica os sabores e os dissabores da vida.

Saiba que a apatia é um estado afetivo próprio de quadros depressivos. Portanto, não demore a procurar ajuda de um especialista para que você volte a ter uma vida menos “obscura” e mais “colorida”.

Se você tem problemas nos seus relacionamentos

Os problemas nos relacionamentos começam efetivamente a trazer danos e prejuízos quando ultrapassam os limites do respeito e de uma boa convivência dentro de uma relação. E isto pode acontecer por duas vias: uma quando você ataca e a outra quando é atacado.

Características de impulsividade e/ou manipulação, agressividade e controle, por exemplo, são demonstrados de forma recorrente na relação, tanto por parte de quem sofre a agressão quanto de quem agride, são sinais de que você necessita do apoio de um psicólogo para ajudá-lo a construir relações mais saudáveis e respeitosas.

Uma vez estabelecido o conflito nos relacionamentos sociais, amorosos ou afetivos voluntariamente acaba ocorrendo o afastamento ou distanciamento entre as pessoas, e sentimentos de solidão, raiva, tristeza, etc. invadem seu espaço trazendo sofrimento e dor.

É muito comum iniciar um quadro de isolamento quando você não consegue controlar suas emoções, aos poucos você tende a se afastar pela falta de compreensão das pessoas e elas tendem a não procurar por você em função das suas atitudes impulsivas.

Seja com os amigos, colegas de trabalho ou familiares – se você sente que seus relacionamentos estão desgastados, se você não consegue se expressar ou reconhecer suas emoções, ou se os seus relacionamentos lhe trazem infelicidade, o acompanhamento de um psicólogo pode ajudar a resgatar o vínculo esquecido ou a encontrar dentro de si mesmo os motivos para a situação.

Você já pensou em procurar um psicólogo? Em que situação você acha que um profissional poderia lhe ajudar? Conte pra gente nos comentários!

consultar um psicólogo

Keith Lee P G F Afonso

Procure-me quando for difícil para você lidar com situações que lhe causam sofrimento e dor, bem como lhe prejudicam em alguma área da sua vida. Obtenha as mudanças desejadas por meio de uma terapia que lhe possibilite conquistar bem-estar e melhor qualidade de vida, através do autoconhecimento e mudanças de atitudes.

Na primeira sessão você poderá dizer sobre sua demanda e eu poderei explicar como ocorre o tratamento por meio da terapia cognitivo comportamental. Entre aquilo que sentimos e como nos comportamos existe o pensamento, descubra-o e encontre o equilíbrio necessário para você viver bem e feliz.

Nesta jornada você poderá contar com uma profissional que possui 11 anos de formação em psicologia, e está em constante busca para melhor compreensão dos mistérios da mente humana. Portanto, não continue adiar este momento com o especialista e descubra os convênios oferecidos para empresas de MG.
Keith Lee P G F Afonso

Últimos posts por Keith Lee P G F Afonso (exibir todos)

Etiquetas

Artigos relacionados

42 Comentários

  1. Muito importante ter uma pessoa especializada q VC Confie e q VC ,comece a entender emoções secretas q VC mesmo Não sabia da existência… Vale apenas ter essa Ajuda,bjos,boa Sorte…!!!

    1. Olá Maria do Socorro, a confiança realmente é muito importante na interação psicólogo e pacientes. O Psicologia Viva tem o intuito de ser transparente na exposição de seus psicólogos para facilitar o processo de empatia na escolha de um profissional.

    1. Olá Dany, todas as pessoas passam por momentos de dificuldade na vida. Muitas vezes passamos por momentos em que tudo que precisamos é conversar com alguém. Uma orientação, um conselho, ou mesmo um simples direcionamento pode mudar tudo. Na maioria das situações não queremos ou não podemos conversar com as pessoas mais próximas, e a busca da ajuda de um profissional preparado para orientar pode ser o melhor investimento que fazemos na vida. Acesse consultorio.psicologiaviva.com.br e encontre um psicólogo que possa lhe ajudar.

  2. Bom eu já tive depressão no nascimento de minha primeira filha…é a cada dia tem sido a piorar. Casei mas meu casamento desde o início não foi muito bom pra mim. Porque tive que morar longe de minha família, é meu marido trabalhava a noite ..não me dava atenção. Eu com depressão pós parto,é minha vida tem sido muito difícil. Tive muitas decepções. ..separação, perda de empregos. …Tive que voltar com meus pais…minha família é muito complicada. Brigas…humilhações. ..maltratos com minhas filhas…..vivo sem rumo. Gostaria que alguém me ajudasse.

    1. Adriana, nessas situações o ideal é buscar o auxílio de um profissional. Diferentemente dos amigos e parentes, ele vai conseguir escutar seus problemas de forma imparcial e te ajudar a desenvolver inteligência emocional para que não se abale com as situações externas ou reações de outras pessoas, coisas que você não tem controle.

  3. Me ajudem, por favor não sei o que fazer! Tenho 21 anos, curso uma faculdade pública e tenho sucesso acadêmico (apesar de não gostar do curso), dizem que sou muito bonita, sou religiosa e dedicada. Mas há cerca de 2 anos, venho perdendo o interesse por tudo, as coisas que gostava de fazer perderam a graça, vivo muito estressada com qualquer coisa (minha rotina é uma loucura), e a cada dia é mais difícil me levantar da cama e fingir que estou bem. Um vazio me preenche, como se o mundo estivesse ficando cinza, sinto dores no corpo, crises de choro e angústias do nada. Eu sei que tenho tudo para ser feliz, mas a vida está perdendo a graça e nem sei o motivo. Parece que estou dentro de uma bola gigante e o mudo acontece lá fora, tudo vai ficando lento( meus pensamentos, meus gestos), o barulho externo fica cada vez mais evidente na minha cabeça, não gosto mais de sair de casa, as pessoas me cansam. Não sei o que fazer, já tenho prejuízos na vida acadêmica, não consigo terminar o que começo, tudo me deixa infeliz. Um buraco negro que me engole aos poucos, tenho a sensação de estar morrendo. Às vezes penso que sou ingrata, mas eu juro que tento, só é mais forte que eu. Já disseram que sou preguiçosa por querer só ficar deitada, eu tinha tanta vida e sonhos e me vejo desabando e a cada dia as crises pioram. Estou com medo de pegar depressão, não sei o que fazer, por favor me dêem um norte, só o que peço. Eu quero me levantar, só não consigo, uma onda de positividade surge mas logo vai embora, estou cansada dessas mudanças de humor, por favor, o que faço?! Será que estou ficando louca?

  4. Me sinto uma pessoa tão insignificante que é dificil ate escrever esse comentario , tenho 19 anos ,moro com meu marido e minha filha , nao faço nada da vida , fui demitida ah 5 meses e desde entao procuro loucamente um emprego, passo o dia todo sozinha em casa ,vegetando ,só eu e meus pesamentos que me destroem , tem horas que parece que vou explodir , começo a sentir panico ,tenho que ir pra fora na calçada e respirar. Estou a pouco tempo nesse cidade , nao tenho amigos , nao conheço nada . As vezes penso que tudo isso é por falta de um emprego que se eu arranja algo pra fazer nao ficaria tao entediada , mas quando meu marido me chama pra sair eu simplesmente nao tenho vontade alguma ,e quando decido ir quero voltar logo pra casa, minha vida parece que parou ,nao vai pra frente nem pra tras , estou escrevendo isso aos prantos ,estou vivendo ¨a flor da pele¨.nunca conversei com ninguem a respeito, apenas com meu marido ,mas parei pq ele acha que isso é culpa dele, mas eu sei que nao é ,eu o amo .emfim … ESpero que tenha um tempinho pra me responde

  5. Ola ,sou o valter Matias Gomes,sou angolano,estudante de psicologia clinica,sinto-me agraciado pela dicas dadas por este portal.de facto pela minha ignorancia pude aprender muito no que tange a adesão do psicologo.sem mais delongas um abraço afro latino.

  6. Estou me sentindo desanimada a tempos procuro emprego e n acho sou casada tenho 28 anos minha sogra é minha vizinha mas ela é folgada fala alto sabe isso me irrita demais quando saio q saber pra onde vou ela me estressa muito fico triste com meu futuro fico lavando passando cozinhando n queria isso pra mim quero trabalhar fora sabe desopilar n aguento mais ser só dona de casa tô muito estressada e triste n quero ver ninguém, quero ficar isolada isso me preocupa

  7. Sabe de uns tempos pra cá me sinto tão inútil e vontade de morrer o tempo todo, tudo que sinto é demais, fico triste muito fácil ..desanimada , parece que tem algo o tempo todo apertando meu peito, choro bastante sozinha no meu quarto, moro com meu pai, não trabalho, faço faculdade, mas esses tempos ando sem animo. Me sinto totalmente inultil e carente, so queria sumir …

  8. : Ola,bom meu nome é lucas,tenho 17 anos e talvez eu tenha depressão queria talvez uma ajuda ou alguem para poder comversar ou poder me ajudar não fui a um medico especializado ainda e não sei se adiantaria mas cada dia parece pior a minha tristeza e não sei o que eu posso fazer e acho q alguns dos meus unicos motivos de eu estar vivo ainda é meus amigos e a minha ex namorada (que ainda amo ela me ama ainda mas não sei se dariamos para voltar)eu fiz teste online e sempre mostra que eu tenho depressao severa,aguda,e acho que minha mente é confusa não sei o que fazer meu futuro parece sem sentido e tenho vontade de morrer reclamo sempre da minha vida mas sou um fraco que nem para se natar eu tenho coragem amigos me dão força me fazem rir mas nem sempre estão comigo ou parecem se importar o fato é que eu sou muito inseguro e talvez eu seja bipolar queria saber mesmo se eu tenho depressão

  9. Oi,

    Tenho dificuldade de me relacionar, há alguns anos fiz tratamento pos trauma, estava me sentindo bem…
    Quando de repente passei há perder minha posição geográfica e esquecer onde estava, tudo em alguns segundos.
    Fiquei confusa, será que estou com algum problemas psicológicos de novo.”
    E eu também não estou conseguido me relacionar com algumas pessoas.
    Há um rapaz que gosta de mim, e eu não consigo conversar com ele. Eu fujo, eu não olho….. O pior que ele é uma ótima pessoa, eu acho ele lindo….sim eu gosto dele, mas fico em pânico quando ele se aproxima de mim…..
    As vezes, acho que ele acha que sou esnobe ou metida…..mas não sou, isso me faz me sentir péssima…..
    Algumas vezes consigo ser gentil, outras pareço um yce.
    Me sinto estranha.
    Não tenho e não consigo dizer a ele que tenho dificuldades emocional.
    Não sei se devo falar pra ele sobre isto, sério, tenho vergonha.
    Ei não queria que fosse embora, eu não queria ser assim.

  10. Olá. Apesar de eu ter muitos talentos e habilidades, desde de que eu saí da Universidade para fazer outro curso a minha vida está estagnada, e eu não tenho nenhum apoio familiar, pelo contrário eles ficam mais felizes com minhas derrotas do que vitórias, sinto que não me encaixo em meu núcleo familiar, e estou sem recursos para mudar essa situação. o que fazer?

  11. Bom Dia?Meu nome é Wiliane aos 14 tive problemas sérios de depressão tentei me matar 2 vezes e fiquei hospitalizada,Fiz acompanhamentos de remédio e consulta mensal com uma psicóloga.Graças a Deus melhorei.Agora tenho 25 anos e sinto a mesma coisa q sentia aos 14.Não consigo dormir minha mente está todo o tempo pensando em coisas horríveis.Não consigo trabalhar eu grito eu chorro e sempre tenho vontade de sumir desse mundo.Queria saber o q devo fazer.

      1. Olá, Boa noite. Sou iniciante na profissão, tenho lido bastante artigos, principalmente quando atendo um paciente com causas não diagnósticadas. As leituras que estou recebendo tem mim auxiliado bastante obrigada.

  12. Olá, bom dia, tive um câncer em 2010 e fiquei curada, mas há 2 anos atrás entrei na menopausa e não sei se coincidentemente comecei a sentir uma fraqueza muito grande no corpo. Não consigo mais fazer nenhum tipo de esforço físico q começa a tremer as pernas e sinto um cansaço extremo. Fora isso, tenho crises de choro por qualquer motivo, vivo preocupada c o futuro e penso sempre em me matar. Já fiz vários exames e não consigo descobrir o q eu tenho. Isso tá afetando meu relacionamento, meu trabalho, minha vida em geral. Perdi a vontade de viver, quando penso em me matar, penso na minha filha q depende muito de mim, porq somos nós duas. Por favor me dèem uma luz ?

  13. Estou vivendo dias de muito stress por causa problemas financeiros estou perdendo todo casas carros perdi muito dinheiro estou perdendo todo que consegui 16 anos estou me separando estou perdendo as minha filhas já não sei mais o que fazer estou mal mentalmente

  14. Meu nome é thelma tenho 20 anos, estou em um relacionamento de 3 anos .3 anos de idas e voltas no decorrer do tempo eu fui adquirindo um comportamento muito agressivo com todos a minha volta,sou muito explosiva, ciumenta demais não consigo confiar em meu companheiro, mesmo ele me falando a verdade, minha cabeça pensa em algo e aquilo me estressa me revolta a ponto de sair xingando meu companheiro sem ele ter culpa de nada, teve uma vez que minha cabeça inventou que ele tinha saído a noite pra encontrar com outra liguei pra ele , ele falou que Tava em casa ele mandou a mãe dele falar comigo para provar e mesmo assim eu comecei a xingar, falei tantá coisa prara ele que depois fui parar pra pensar e vi que eu não estou bem, sou muito ignorante com meus pais irmãos, tem dias que eu não tenho vontade de fazer nada levanto da cama vou direto para a televisão e dali não saio nem pra comer nem pra ir ao banheiro, choro sem motivos. Preciso muito de ajuda me responde lá no meu email por favor

    1. Thelma, sentimos muito pelo acontecido e desejamos sinceramente que tudo se ajeite. Com base no seu relato, acredito que o ideal é tentar ter um acompanhamento psicológico, um bom profissional poderá lhe ajudar muito neste momento difícil e de angústia. Caso tenha interesse entre em contato conosco através de nosso chat que iremos lhe ajudar da melhor forma possível.

      https://goo.gl/vJbK3Q

  15. Olá. Meu problema é como o de muitos aí…sou casada tenho dois filhos.. trabalho. Mais o que está me deixando muito triste. Ponto de querer sumir…de só chorar ou de ficar um pouco agressiva com meus filhos marido e amigos. É que eu não aguento mais o desentendimento do meu filho de 14 anos com o meu marido que é padrasto dele…fico no meio dos dois porém apoio mais meu filho….e digo sempre a meu marido que por ele ser o mais velho, ele deveria conquistar meu filho. Meu filho tem raiva dele porque queria que eu ou ficasse solteira ou voltasse pra o pai dele. Meu marido fica com ciúmes dele porque pensa que ele traz recados do pai dele pra mim. As vezes penso em me separar…às vezes penso em sumir. Fico triste choro pelos cantos. Fico agressiva com as pessoas ao meu redor. Não sei o que fazer. Acho que estou ficando louca. Então queria muito uma ajuda de um psicólogo.

  16. Eu queria entender por que sou tão nervosa e chorona. Agora mesmo voltei de um médico gastroenterologista, e ele me perguntou se eu havia ficado nervosa por alguma coisa, e eu se quer consegui falar e comecei a chorar, então imediatamente fico com vergonha do meu descontrole emocional e me seguro e fico com aquela vontade de chorar o resto do dia, sem nem mesmo saber o real motivo dessa vontade de desabafar. Sempre me senti assim, já teve vezes que comecei a chorar no trabalho, as vezes em casa sem conseguir controlar o choro, e meu esposo quer saber o motivo, e nem eu sei.

  17. Ultimamente nao tenho animo pra nada so penso em dormir o dia inteiro,nao th vontade de sair de casa ,nao th muito amigos os q tenho sempre consigo afastalos mesmo sem querer ?? sera q e o caso de ir atras de psicológo?

  18. bom dia meu nome e kelly
    tem dias que me sinto tao triste fico mas triste quando minha sogra vem na minha casa que e todo o final de semana e nos dias que ela nao vem so dela liga eu fico nervosa o meu dia acaba o que eu fasso eu nao que mas viver assim obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar