Desenvolvimento pessoal

Por que pensar na vida pessoal é bom para a vida profissional?

Você já parou para pensar sobre o quanto da nossa vida pessoal influencia na nossa profissão?

Veja bem: estamos conhecendo pessoas, vivenciando situações, aprendendo e nos frustrando desde crianças. A infância, por exemplo, é uma excelente escola na qual aprendemos a nos relacionar com os outros, a definir gostos e preferências e principalmente imaginar o futuro.

Se somos incentivados à criatividade, se são colocados os limites e absorvemos os valores necessários para o nosso desenvolvimento em uma cultura, aí temos uma boa base para a formação de um adulto saudável.

Sobre a vida pessoal

As situações que citamos são da nossa vida pessoal, mas podem ser muito bem aplicadas na nossa vida profissional.

Por exemplo, na escola passamos por situações de trabalho em grupo em que precisamos conviver com pessoas diferentes, ouvir outras opiniões, apontar as nossas qualidades para cumprir a tarefa e resolver conflitos caso eles apareçam.

As nossas preferências também são muito importantes porque por meio delas começamos a nos posicionar no mundo e a fazer escolhas. Dedicamos tempo e aprendizado em um projeto que pode acabar bem ou não.

De fato, quando falamos da vida pessoal, estamos de alguma maneira falando também do nosso jeito de lidar com a vida, o que envolve também o trabalho.

Sobre a vida profissional

Esta etapa da nossa vida pode se iniciar um pouco mais tarde e por conta disso podemos nos sentir no início com a sensação de incapacidade ou insegurança. 

Além do mais o seu início coincide normalmente quando estamos entrando no mundo da vida adulta, adquirindo responsabilidades e ressignificando muitos de nossos comportamentos da adolescência.

Por mais que seja um período bem movimentado, logo vemos que muitas das habilidades que são pedidas, nós já desenvolvemos ao longo de nossas vidas. A tarefa agora é lapidá-las, aprimorá-las e aplicá-las nos locais certos e podemos fazer de vários jeitos, como por exemplo, pelos hobbies.

Hobbies 

Pense em um hobby, no que você gosta de fazer em seu tempo livre. 

O hobbie é um hábito que te reconecta com você mesmo. Se eu te perguntar por que você gosta de caminhar ou de plantar, possivelmente você me dirá que esta é uma forma de ficar mais leve, de descontrair, de esquecer um pouco dos problemas e pensar em coisas boas. 

É também por meio deles que você aprende novas técnicas e pequenos comportamentos que podem ser incorporados em outras áreas de sua vida. Por exemplo, quem desenha aprende a ser paciente, a observar cada detalhe e a persistir nos erros.

Essas não são por um acaso competências tão exigidas no mercado de trabalho?

Pois então pense nisso na próxima vez que praticar um hobby em seu tempo livre: você não está apenas relaxando, mas se desenvolvendo!

Hard Skills e Soft Skills

Certamente você já ouviu falar destes termos.

As hard skills são as técnicas que precisamos desenvolver em nosso repertório para exercer uma determinada atividade. Pode ser um idioma, uma capacitação ou especialização em uma área ou uma certificação. Elas podem ser identificadas por meio da aplicação de instrumentos como testes ou provas.

As soft skills, por sua vez, estão mais ligadas ao comportamento, a forma como reagimos aos acontecimentos, ao posicionamento e decisão frente a problemas ou conflitos. Pode ser, por exemplo, resiliência, proatividade, segurança ou capacidade para lidar com emoções. Elas são mais difíceis de serem mensuradas.

A soma destas duas habilidades traz as informações necessárias para que um recrutador aprove (ou não) o candidato para a vaga. 

As skills são exemplos de como a vida profissional e pessoal estão profundamente atreladas.

Por que uma empresa deveria olhar para o lado pessoal?

Primeiro: observar o lado pessoal de um trabalhador mostra que você o enxerga como um humano e não como uma máquina que está sempre em prontidão para servir. 

Segundo: você já deve ter percebido que apesar de normalmente separarmos as duas áreas, elas estão muito próximas e por isso investir em uma é também investir na outra. Mas como você, líder pode usar estas informações a seu favor?

Aqui vão algumas sugestões que você pode seguir:

  • Promova conversas entre os funcionários de sua empresa e peça para que eles falem um pouco sobre si ou sobre o que gostam de fazer em seu tempo livre. 
  • Sugira que aqueles que apresentam um ponto comum criem grupos para trocar experiências e dicas sobre a atividade que praticam;
  • Incentive que cada um inicie uma nova atividade para conhecer coisas novas;
  • Se algum deles não se mostrar aberto, pontue sobre a importância de atividades de descontração e descanso para a saúde mental.

Esse compartilhamento de histórias e personalidades pode gerar frutos positivos, como a aproximação de pessoas de áreas diferentes, a troca de experiências e a maior união dos funcionários como uma equipe. 

A opinião de Jeff Bezos 

Jeff Bezos discorda do uso do termo “equilíbrio”. Em 2018, ele disse em um evento que a vida deveria ser entendida não como equilíbrio, e sim como um círculo. 

Ele explica que “equilíbrio” dá a impressão de que são lados opostos que nada se relacionam um com o outro e também que é como se você fosse uma pessoa em seu trabalho e outra na sua vida pessoal, e nós sabemos que não é assim que funciona. 

Por exemplo, se algum parente do colaborador estiver passando por alguma crise de saúde ou se ele estiver com questões em seu casamento, isso certamente influenciará o seu desempenho. 

Se por outro lado, ele está com as contas em dia e passa momentos de qualidade com a sua família, a tendência é que ele esteja mais relaxado e trabalhe de forma mais leve, com um melhor desempenho.

Tudo é questão de saber que investir na vida profissional é importante para evoluir, para somar, para criar inovações. Mas que também é preciso pensar na vida pessoal para descansar, se divertir e se encontrar.

Caso você precise de uma ajuda para chegar neste ponto de equilíbrio, ou para trilhar melhor o seu círculo, te convidamos para conhecer os nossos serviços de atendimento psicológico on-line para funcionários de empresas. 

Pense sobre o que conversamos aqui, afinal, falar da vida pessoal é também falar da vida profissional!

Referências

  1. https://exame.com/carreira/bezos-nao-acredita-em-balanco-entre-vida-pessoal-e-profissional/
  2. https://jc.ne10.uol.com.br/colunas/carreiras-e-mercado-de-trabalho/2021/07/12617511-work-life-balance-o-que-fazer-para-atingir-o-equilibrio-entre-o-profissional-e-o-pessoal.html
  3. https://blog.psicologiaviva.com.br/equilibrio-emocional/
  4. https://www.gupy.io/blog/hard-skills-e-soft-skills
  5. https://corporate.psicologiaviva.com.br/
Psicologia Viva
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar