Educação dos filhos: A importância de saber dizer não

Dizer “não” com frequência a seus filhos, pequenos ou não, pode ser o oposto de seus instintos parentais. Mas quando se refere à educação dos filhos, os pais podem estar prestando um tremendo desserviço com o excesso de permissividade.

A gente sabe que definir limites para crianças e adolescentes pode ser um grande desafio. Eles sabem, como ninguém, implorar, barganhar, chorar, acusar, chantagear ou exigir implacavelmente, de maneira que vão desgastando os pais.

E o caminho mais fácil acaba sendo ceder aos desejos dos filhos apenas para evitar mais estresse. Há ainda o sentimento de culpa (antiga conhecida dos pais) por decepcionar ou frustrar os filhos.

Esses sentimentos são absolutamente naturais, afinal, os pais querem que seus filhos sejam felizes. Às vezes, isso significa pensar no que é, de fato, melhor para eles, apesar de alguma hesitação de nossa parte.

Afinal, a felicidade proporcionada por bens materiais, por exemplo, tende a ser passageira, dando abertura para uma nova vontade em pouco tempo.

Abaixo, explicaremos melhor sobre o valor de resistir aos pedidos dos filhos.  

A importância de saber dizer não para a educação dos filhos

Os pais e mães nunca estiveram tão ocupados, gerando uma imensa sensação de culpa por não passar tanto tempo com os filhos. Um mal-estar pela ausência.

Assim, quando é possível estar junto deles, é natural querer que os filhos fiquem felizes, sintam-se realizados, construindo sentimentos e memórias positivas. É daí que surge a relutância em falar “não”.

No entanto, ao contrário do que se possa imaginar, não ceder a todas as vontades define um limite claro e, quando usado adequadamente, mostra que você se importa. Ou seja, é algo extremamente positivo.

E essa é uma importante responsabilidade dos pais. Os “nãos” ensinam às crianças lições importantes sobre a vida e o relacionamento com outras pessoas.

Isto é, dizer “não” causa uma “dor” momentânea, mas com enormes benefícios e ganhos a longo prazo.

Conforme dissemos na introdução deste artigo, seu filho pode ficar extremamente feliz ao ganhar o último brinquedo lançado, mas essa felicidade pode ir embora rapidamente assim que um novo brinquedo chegar às lojas.

Dessa forma, na mente dele, o brinquedo que ele tem se torna obsoleto muito rapidamente, tornando-se algo profundamente insatisfatório. E se o ciclo não for encerrado, a cada compra, o movimento irá se repetir.

Como resultado, o que era para ser algo feliz acaba se tornando um problema.

Por outro lado, com as negativas, as crianças aprendem a ter resiliência, construindo um senso de desenvoltura e determinação em seu filho.

Ou seja, uma decepção é capaz de contribuir diretamente para a formação da autoestima. O excesso de proteção evita o contato com a frustração, o que não é possível de ser perpetuado por toda a vida.

Assim, um “não” ensina sobre determinação e paciência, auxiliando para que as próximas frustrações não sejam determinantes para o bem-estar dele.

Mas como dizer “não” aos meus filhos?

Até aqui, você já viu que os filhos precisam de estrutura e limites para se tornarem adultos emocionalmente saudáveis e aptos para a vida em sociedade.

E a verdade é que não existe um jeito mágico para se relacionar e educar os filhos. É importante que, acima de qualquer coisa, você desenvolva o autoconhecimento para compreender melhor as suas próprias ações e reações.

No entanto, seguem algumas dicas para te ajudar no começo:

Algumas dicas úteis

Nesse contexto, é óbvio que seu filho não irá te agradecer por você se negar a dar ou fazer algo que ele deseja. Reações adversas poderão surgir e os pais precisam ser fortes e mostrar segurança para não ceder.

Procure dar uma resposta definitiva. Um “talvez” ou “vamos ver” que não se concretize pode ser muito mais frustrante que um “não” direto e objetivo. Seja firme para deixar claro que você está falando sério.

Quando possível, ofereça uma pequena explicação sobre a sua negativa para que a aceitação seja mais fácil.

E nunca se esqueça: o equilíbrio e o bom-senso devem sempre prevalecer. É importante compreender que saber dizer “não” fará com que seu filho cresça com limites saudáveis, proporcionando que ele consiga criar esses limites para si e para os outros.

Existe um famoso provérbio chinês que diz: “os pais que têm medo de colocar o pé no chão geralmente têm filhos que pisam na ponta dos seus pés”. Ou seja, crianças que não são ensinadas sobre limites desde cedo acabam não respeitando os seus próprios limites e os dos outros.

Portanto, não tenha medo de dizer “não” aos seus filhos – eles podem não perceber agora, mas querem e precisam ouvir de vez em quando!

E saiba que você não está só: conte com o auxílio de um psicólogo para te ajudar com as questões de parentalidade. Clique aqui para agendar uma consulta online sem precisar sair de casa.

Referências

  1. https://lumaensino.com.br/blog/educacao-dos-filhos/ |
  2. https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2021/04/07/saber-dizer-nao-e-importante-para-a-vida-mas-como-aprender-a-fazer-isso.htm
Psicologia Viva

Deixe seu comentário aqui

Assine nossa newsletter

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores conteúdos sobre bem-estar, saúde e qualidade de vida

Saúde mental, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

Através do nosso programa de saúde mental, as empresas reduzem perdas com afastamento do trabalho por demandas emocionais.

Fechar
Fechar