Saúde

Novembro Azul: quebrando estigmas sobre o câncer de próstata

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum na população masculina, ficando atrás somente do câncer de pele. Em 2018, a estimativa pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) foi de 68.220 novos casos. 

Um número absurdamente grande e por isso muitas campanhas de conscientização e prevenção tem tido cada vez mais destaque, como o Novembro Azul.

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula que só os homens possuem, situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto, responsável por parte da produção de sêmen, líquido que contém os espermatozoides e é liberado durante o ato sexual.

A evolução do câncer de próstata é silenciosa e muitos pacientes não possuem nenhum sintoma no começo. É por essa razão que o exame preventivo se torna tão importante, porque embora se trate de uma doença grave, a porcentagem de cura é de 90% desde que diagnosticado precocemente.

Os Sintomas

Como dito acima, os sintomas aparecem em um estágio mais avançados da doença, os principais são:

  • Dificuldade para urinar;
  • Diminuição da urina;
  • Aumento na frequência urinária diurna ou noturna;
  • Sangue na urina.

Devemos ressaltar que tais sinais não são exclusivamente para diagnóstico de câncer já que fazem parte de uma série de quadros clínicos, mas é um alerta, devendo ser averiguados pelo médico.

O Diagnóstico

Para diagnosticar o câncer de próstata é necessário a realização do exame de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico) e o exame de toque. Apesar de serem métodos extremamente confiáveis, a biópsia (a retirada de amostra do tecido da glândula) é o único procedimento capaz de confirmar o tumor.

É recomendado que se busque anualmente um urologista para realizar os exames a partir dos 50 anos, ou a partir dos 45 se houver histórico da doença na família. Isso porque 75% dos casos no mundo acontecem após os 65 anos.

O Que Aumenta o Risco?

  • A idade, como visto anteriormente, é um fator de risco enorme, já que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos;
  • Pai e/ou irmãos com a doença antes dos 60 anos são um alerta significativo, podendo indicar tantos fatores genéticos (hereditários), quanto hábitos alimentares ou estilo de vida;
  • Excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de próstata avançado.
  • Produtos de petróleo, motor de escape de veículo, arsênio (usado como conservante de madeira e como agrotóxico), fuligem e dioxinas estão associadas ao câncer de próstata.

O Que Diminui o Risco?

  • Alimentação saudável, rica em cereais, verduras e vitaminas;
  • Realização de atividades físicas;
  • Evitar consumir gordura animal ou uma alimentação composta excessivamente de carne;
  • Evitar cigarros e ingestão de bebidas alcóolicas podem diminuir os riscos da doença.

O Tratamento

Existem diversos tratamentos dependendo em que nível se encontra o tumor. Para a doença localizada (que só está na próstata) a cirurgia e radioterapia são o tratamento mais comum. 

Para doença localmente avançada a radioterapia, cirurgia e tratamento hormonal têm sido utilizados. Quando a doença se encontra em metástase (quando se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento mais indicado é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento é definida entre o paciente e médico, onde serão informados os riscos e benefícios de cada procedimento.

Quebrando os Estigmas

O preconceito é a maior barreira na realização dos exames, principalmente a de toque. Isso porque os construtos sociais “ferem a masculinidade” de quem vai atrás. É preciso, portanto, desconstruir esse empecilho. Outro problema é a forma que é abordado esse tema, apesar de se tratar de um problema sério, existem muitas piadas, vídeos de humor sobre o exame de toque. 

Isso pode causar um sentimento de vergonha em buscar ajuda e medo de ser motivo de chacota, afinal ninguém quer ser alvo da piada que os outros contam. E essa questão tem refletido até mesmo nas campanhas de prevenção. Veja como exemplo o Outubro  Rosa, as campanhas de conscientização podem ser até divertidas e lúdicas, para tratar do assunto de forma mais leve, mas ninguém se utiliza do humor para falar sobre o câncer de mama.

É preciso ter em mente que não estamos falando com uma população jovem, não são para eles que se destina essas campanhas. São para homens mais velhos que talvez tenham pouco acesso à informação e à internet. 

É preciso, portanto, promover a compreensão e entendimento a respeito da importância da prevenção, de forma a aproximar as pessoas desse tema e quebrar essas barreiras que as impedem de realizar o exame. Mas trazer isso de forma engraçada pode não ser o caminho.

A Importância do Acompanhamento Psicológico

Após o diagnóstico do câncer de próstata é de extrema importância que o paciente tenha um acompanhamento com um psicólogo, isso porque a doença não só afeta só o corpo, mas também a mente, mexendo com a autoestima, sobre a ideia de masculinidade e sexualidade do indivíduo. 

O câncer tem grande impacto sobre a vida da pessoa e seus familiares, o acompanhamento psicológico pode auxiliar nessa fase difícil e que gera tanta angústia, medo e incerteza. Um profissional capaz de lidar com essas emoções pode fortalecer tanto o paciente, quanto a família.

O período de tratamento é marcado por mudanças corporais. Por essa razão o paciente precisa descobrir novamente o seu corpo e as limitações que a doença pode ocasionar. 

Sem esse acompanhamento, o tratamento se torna mais difícil e a cura se torna mais lenta. Além disso, esse cuidado previne quadros clínicos mais graves e evita doenças psicológicas, como a depressão.

Flávio Silveira de Carvalho

Já se foi o tempo em que se acreditava que a Psicologia eram para "loucos" ou "pessoas com problemas". Estamos no séc. XXI e a Psicoterapia se abre para novas perspectivas como um espaço de encontro onde pode se promover a qualidade de vida. Para isso, utilizo como base de meu trabalho a Abordagem Centrada na Pessoa, que possui como premissa a tendência natural do ser humano em buscar a felicidade, resolver seus problemas e conflitos, angustias e medos, promovendo assim, saúde mental e emocional. Além disso a psicoterapia traz diversos benefícios tais como: autoconhecimento; melhora na capacidade de comunicação; tolerar as frustrações e estresse do dia a dia; aumentar a autoestima; desenvolver as capacidades interpessoais (como família, amigos e trabalho); desenvolvimento pessoal; favorecer e facilitar na resolução de decisões; entre muitos outros. Tudo isso de forma segura e sigilosa, sempre levando em consideração o respeito, o cuidado e o bem-estar durante todo o processo de psicoterapia.
Flávio Silveira de Carvalho
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar