Casamento aberto: quais as regras para o casal não sofrer?

casamento aberto o que é
Casamento aberto: quais as regras para o casal não sofrer?

O casamento aberto é uma forma alternativa de se relacionar que tem ganhado cada vez mais espaço na sociedade.

Nele, o casal combina a inclusão de novos parceiros na relação, sem que isso seja considerado como traição ou infidelidade.

No BBB 23, programa da Rede Globo, um dos participantes chamou a atenção do público por falar sobre o assunto abertamente. O médico Fred Nicácio é casado com Gabio Gelonese e, dentro do Big Brother Brasil, se envolveu com o ator Gabriel Santana.

Apesar do assunto estar em um dos maiores programas da TV brasileira, o assunto ainda é controverso e pouco compreendido.

Embora existam casais que optem por esse tipo de relacionamento, ainda há muita desinformação e estereótipos enraizados na sociedade brasileira.

Por isso, conversamos com Simone Gonçalves Corrêa, psicóloga da Psicologia Viva (Conexa), para entender melhor o assunto.

O que é casamento aberto?

Casamento aberto é uma forma de relacionamento conjugal em que o casal permite a inclusão de outros parceiros na relação, sejam eles afetivos ou sexuais.

Neste caso, a inclusão de outros parceiros não é considerado como traição ou infidelidade.

É fundamental que o casal tenha um diálogo aberto e estabeleça acordos e regras claras antes de abrir o relacionamento.

É importante, ainda,  lembrar que esse tipo de relacionamento não é adequado para todos os casais e pode exigir muito diálogo e confiança. A terapia de casal pode auxiliar no processo de desenvolvimento do autoconhecimento e na definição dos acordos e regras.

“A sociedade está percebendo novas formas de se relacionar,  além disso, várias relações que se pautam pela monogamia, acabam não seguindo de fato”, orienta a psicóloga.

Quais devem ser os acordos e as regras?

No casamento aberto, como dito anteriormente, os cônjuges geralmente concordam em permitir relações amorosas ou sexuais fora do casamento.

Os acordos e regras variam de casal para casal, mas algumas coisas que podem ser acordadas incluem:

  • Comunicação transparente;
  • Segurança sexual;
  • Limites claros e regras para encontros fora do casamento.

Além disso, é importante que os cônjuges discutam e cheguem a um acordo que funcione para ambos, pois o casamento aberto requer muita confiança, comunicação e comprometimento.

“Não existe um padrão fixo  Os acordos e as regras irão variar de acordo com cada casal, mas é importante definir regras equitativas que ambos irão seguir e conversar sobre inseguranças”, diz a profissional.

Dra. Simone ainda dá outras dicas para regras:

  • Podem ou não compartilhar as experiências individuais;
  • Definir quantas vezes por semana podem ter relação com outra pessoa;
  • Se irão dormir fora de casa;
  • Será apenas sexo ou os parceiros podem se permitir outros níveis de envolvimento?
  • Conversar sobre sexo sempre com proteção;
  • Os encontros não devem interferir na rotina do casal.

Cuidado com a dependência emocional

O casamento aberto pode ser uma experiência enriquecedora para algumas pessoas, mas também pode ser desafiador em termos de emoções e relacionamentos.

Uma das principais preocupações é a dependência emocional, que pode surgir quando as expectativas não são atendidas ou quando as emoções se tornam descontroladas.

“A dependência emocional se caracteriza por um quadro emocional ou comportamental que compreende a habilidade da pessoa de manter uma relação saudável e satisfatória . O indivíduo projeta no outro suas expectativas, porém, com o passar do tempo, a sensação de que ele depende desse alguém para a sentir feliz e amado se torna cada  vez mais forte. Ficando suscetível as escolhas dos outros”, afirma a profissional.

Casamento aberto: é para todo mundo?

Para a psicóloga, a resposta é não.

“Parceiros que tenham uma carga negativa de ciúmes, inveja,  insegurança e suspeitas de traição não se dariam bem ao modelo. Nem pessoas com baixa autoestima, pois pode gerar uma cobrança por atenção”.

Lembrando que a terapia de casal pode auxiliar no processo.

A terapia de casal é um processo terapêutico onde o casal trabalha juntamente com um terapeuta para resolver questões de relacionamento e melhorar a dinâmica de sua relação.

O objetivo é ajudar os parceiros a se comunicarem de maneira mais efetiva, superarem desentendimentos e fortalecerem seu vínculo.

Independente da forma do relação, é importante que os parceiros estejam dispostos a se comunicar, trabalhar juntos e ser honestos uns com os outros para alcançar um relacionamento feliz e saudável.

Veja como a Psicologia Viva pode te auxiliar clicando aqui: https://www.psicologiaviva.com.br/psicologo/

Fonte: Simone Gonçalves Correa é psicóloga da Psicologia Viva, com foco nos temas ansiedade, casamento, dependência química e em jogos, violência doméstica e outros assuntos.

Para marcar uma consulta com a profissional, clique aqui. 

Deixe seu comentário aqui
Assine nossa newsletter

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores conteúdos sobre bem-estar, saúde e qualidade de vida

Saúde mental, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

Através do nosso programa de saúde mental, as empresas reduzem perdas com afastamento do trabalho por demandas emocionais.

Fechar
Fechar