Saúde

Quando eu preciso procurar um psicólogo?

Sempre alguém me pergunta: “Por que eu preciso fazer psicoterapia?” ou fala: “mas eu não sou doido, por que eu preciso fazer terapia? Se você é uma pessoa curiosa já teve dúvida sobre se precisar ou não fazer terapia, e esses 13 motivos para fazer psicoterapia com um psicólogo vão te ajudar a entender melhor quando fazer isso.

Vamos lá?

#1 – Dificuldade de ter relações sociais

Você sente dificuldade em conversar com as pessoas, prefere ficar no seu canto e não incomodar, tem dificuldade de falar em público ou pedir alguma coisa por medo do que vão pensar ou outros motivos? Então você pode ter fobia social, que é o medo de falar ou está em público.

As relações sociais são importantes e não temos como fugir disso pois somos animais sociais, se temos dificuldade ou não, precisamos ao menos lidar com o fato de que temos que nos relacionar com os outros para ter o mínimo de comunicação com pessoas. A terapia pode ajudar nisso.

#2 – Dificuldade em ter relações afetivas

Nesse caso você pode até se relacionar bem com as pessoas, não ter medo de conversar ou de falar em público, mas quando o outro quer algo mais sério, você começa a ignorar a pessoa, tratar mal ou foge dela.

A dificuldade de estabelecer relações afetivas podem vir até de coisas simples, como não conseguir demonstrar carinho ou até mesmo conseguir demonstrar, mas não realizar o próximo passo na relação, como namorar ou casar, por exemplo.

#3 – Dificuldade em ter relações sexuais

A pessoa pode ter uma dificuldade no ato de fazer sexo, seja não conseguindo gozar, sentir prazer, seja com ejaculação precoce ou apenas o não entendimento de como é a sua forma de viver a sexualidade. Por exemplo, algumas pessoas só conseguem ter relações sexuais se elas tiverem afeto pelo outro, o que na nomenclatura chamamos de Demissexuais.

Existem muitos tabus relacionados a essas dificuldades, tanto para o homem quanto para a mulher, mas em geral o homem recusa mais a procurar por ajuda.

Esses tabus geralmente existem por conta da forma como nossa sociedade via o sexo, como forma de reprodução, sem procurar satisfazer o desejo do outro ou apenas satisfazendo o desejo de um dos parceiros. É interessante procurar um especialista em sexualidade.

#4 – Dependência emocional

É o contrário de ter dificuldade em ter relações afetivas, porém tão ruim quanto. Nesse caso você não consegue viver sem afeto e, por privilegiar o emocional, fecha os olhos para as outras coisas que seu parceiro faz, o que deixa você vulnerável a relações abusivas ou suscetível a ser abusivo, que pode se manifestar em um ciúme exacerbado, constante crises sobre ser trocado ou traído, entre outras coisas, por conta da necessidade exagerada do outro.

Você pode perceber se possui carência emocional se você precisa constantemente do outro para fazer as coisas que você poderia fazer sozinho, como ir comprar pão, ir ao cinema, sair para qualquer lugar, entre muitos outras coisas.

#5 – Ansiedade

Ela começa com um pensamento do tipo: “e se…”. Você faz as coisas no seu dia a dia e ele continua lá: “e se isso, e se aquilo…”.

Pode ser um pensamento a respeito daquilo que você vai fazer no futuro, se pretende mudar de cidade ou até mesmo um medo de perder o emprego, seu corpo entra em estado de alerta constante, depois você começa a sentir as pálpebras tremerem, sua perna não para de balançar, seu coração acelera até que você não consegue lidar mais com a ansiedade, vai parar no hospital achando que está morrendo ou tem crises que parecem que o mundo vai acabar.

Esse é o processo clássico da ansiedade no nosso organismo, ela é um dos males de nosso tempo e é preciso estar atento e procurar ajuda.

#6 – Angústia

Você se sente triste constantemente e prefere se isolar mais do que o normal, mas isso não lhe impede de fazer as tarefas diárias como comer e interagir com as pessoas quase que normalmente?

A angústia faz parte de nossas vidas e é um sinal do nosso corpo de que não estamos bem, é nosso subconsciente falando para nós que necessitamos de uma mudança em algum aspecto de nossa vida. Ela pode vir como uma sensação de que alguma coisa está errada.

#7 – Depressão

Você não sente vontade de sair da cama, não sente vontade de comer, sair para trabalhar ou se divertir, fazer as coisas de que gostava de fazer, não pensa sobre o que quer para o futuro, tem o costume de se despedir das pessoas como se não fosse mais vê-las, tem ideias sobre morrer ou tirar a própria vida como: se eu morrer hoje ninguém vai notar a minha falta ou então se eu morrer vou livrar minha família de um problema, o que na realidade não é verdade.

É preciso estar atento a esses fatores e se você precisa de ajuda urgente ligue para o CVV: 188 e procure ajuda profissional.

#8 – Fobias e traumas

Você tem um medo incomum de gato, de atravessar a rua? Ou tem um medo bastante comum de altura, fogo ou de morrer afogado mas esse medo não é qualquer medo mas um que te paralisa, ou então a sua reação é extremamente abrupta e descontrolada.

Você pode ter uma fobia causada possivelmente por um trauma no seu passado. Um trauma é o resultado de um episódio que gerou um sofrimento que às vezes a gente nem lembra, mas pode gerar fobias, dificuldades sociais, afetivas e sexuais, entre outros.

#9 – Orientação profissional

Você está com dúvidas sobre o que fazer no futuro ou até mesmo está triste com a profissão que decidiu seguir e não consegue se encontrar? Talvez você precise de um psicólogo especialista em orientação profissional.

#10 – Transtornos e síndromes

Esses são tópicos conceituais para as áreas que estudam o ser humano no geral. Existem vários transtornos, os mais conhecidos são os de personalidade e os do espectro autista, e a síndrome mais conhecida é a de Down.

De certa forma todos os outros tópicos podem ser considerados transtornos a depender da área que você atue, o importante aqui é procurar ajuda especializada para que o cliente possa ter uma vida adaptada a sua condição.

A diferença entre síndrome e transtorno é que o primeiro é um conjunto de sintomas que pressupõe um estado clínico que condiciona problemas de saúde, já um transtorno é uma alteração na saúde do individuo que nem sempre é ligado a alguma doença, suas causas são psicológicas.

#11 – Problemas físicos e alergias

Você tem problemas físicos recorrentes que vêm e vão e mesmo você sempre indo ao médico fazendo exames eles não encontram nada? Esses problemas podem ser de origem nervosa provocado por ansiedade, estresses e muitos outros fatores. É preciso descartar a origem física primeiro.

Os problemas mais comuns podem ser dores de cabeça constantes, dores no geral, coceira, alergias, irritação na pele, manchas roxas, problemas com o sono.

#12 – Compulsão

Você vive comendo um docinho mesmo que seu médico diga que você não pode, você fuma no mínimo 10 cigarros por dia, bebe álcool todo santo dia, precisa estar constantemente fazendo sexo ou se masturbando, além também de coisas comuns e saudáveis como fazer exercícios exageradamente?

Compulsões são exageros nossos de cada dia, mas que são constantes e prejudicam em algum nível a sua saúde física e mental, toda compulsão pressupõe uma falta, uma necessidade de suprir algo que não temos mas psicologicamente precisamos, e aí colocamos toda a carga em uma coisa só.

#13 – Se você acredita que precisa

Mesmo que você não se encaixe em nenhum desses critérios acima, se você acredita que precisa é importante que você procure a psicoterapia para se conhecer e entender possíveis problemas.

Importante

É importante saber que esses termos podem se relacionar um com o outro e um pode ser a causa do outro. O objetivo aqui é que o leitor possa ver-se nesses tópicos e possa entender a necessidade de procurar ajuda profissional.

Se você se viu em algum desses tópicos ou acredita que precisa de terapia, fale comigo. Se conhece alguém que tem dúvidas sobre esse tema, compartilhe esse conteúdo com ela. O passo mais importante agora é a coragem para começar, vem conversar comigo e agende seu horário.

Referências

  1. Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID – 10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre: Artmed, 1993. Outro(s) Autor(es): CAETANO, Dorgival (trad.).
  2. BOCK. Ana. Psicologias: Uma Introdução ao estudo da Psicologia. Editora Saraiva. 1999.
  3. CORDIOLI. Aristildes. Cap.1 – O transtorno Obsessivo-compulsivo e as suas
  4. Manifestações. Do livro: “TOC” da Editora Artmed. Porto Alegre, 2014.
  5. DE LIMA, Maria. Depressão e ansiedade como expressões da angústia existencial: uma perspectiva fenomenológica do sofrimento psíquico na pós-modernidade. Universidade de Brasília. 2020.
  6. MADER, Julia. Sexualidade: quando nem tudo corre às mil maravilhas. GAPsi –Gabinete de Apoio Psicopedagógico, 2009.
  7. PINHO; Valéria. Orientação Profissional: Público-Alvo, Persoectivas de atuação e abordagens utilizadas. Psicologia Pt. 2013.
Lucas Ranyere Alves Costa
Últimos posts por Lucas Ranyere Alves Costa (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar