Saúde

Síndrome de Tourette: entenda o que é e como tratar esse transtorno

Síndrome de Tourette é um transtorno que se manifesta por tiques motores ou vocais. As pessoas que a apresentam relatam que esses tiques são inevitáveis e que sentem como se tivessem a necessidade de realizá-los.

Ela foi descoberta no século XIX, pelo francês Georges Gilles de La Tourette. Estima-se que 1 a cada 2000 pessoas seja afetada por ela, sendo na sua maioria, as do sexo masculino.

Os primeiros sinais podem aparecer na infância e quanto mais rápido o diagnóstico é realizado, mais eficaz pode ser a intervenção terapêutica. Acompanhe a leitura e entenda melhor essa síndrome, seus sintomas e tratamento!

Síndrome de Tourette: o que é, sintomas, causas e tratamento

É um distúrbio caracterizado por tiques, que são movimentos bruscos e que podem acontecer de forma motora ou vocal. As pessoas os relacionam como involuntários e sentem dificuldade imensa de ter controle sobre eles. Podem ser divididos em simples ou complexos. Os primeiros têm a duração mais rápida, enquanto os outros são mais demorados, podendo envolver uma sequência deles.

De acordo com o Manual DSM-V, ele se inicia antes dos 18 anos, sendo comum ocorrer por volta dos 4 aos 6 anos de idade e, por esse motivo, os professores da criança podem ser os primeiros a perceber. Para o diagnóstico, os tiques devem estar presentes por mais de 1 ano. Entretanto, podem ficar um tempo sem aparecer. Além disso, a síndrome não deve ser influência de efeitos fisiológicos de alguma substância, como a cocaína ou de outra condição médica.

Sintomas

É comum a presença de ansiedade, principalmente a do tipo social. Outros sintomas também podem estar presentes, como o transtorno obsessivo-compulsivo, distúrbios de aprendizagem, ou distúrbios de sono, carecendo de uma análise mais profissional. Alguns exemplos de tiques são:

  • piscada de olhos;
  • movimentos repentinos com a cabeça;
  • caretas;
  • balanço de ombros;
  • fungada;
  • tosse;
  • sons guturais;
  • gestos obscenos;
  • repetição involuntária de sílabas ou palavras.

Causas

As causas podem ser genéticas ou, ainda, neuroquímicas. Pode existir um desequilíbrio nos impulsos elétricos que controlam ou transmitem informações de um neurônio a outro. Contudo, ainda não há um consenso sobre o fator real que desencadeia a síndrome. De toda forma, é fato que os tiques costumam aumentar quando a pessoa está em situações de estresse emocional.

Tratamento

O tratamento depende da intensidade dos sintomas e de como eles afetam a vida do indivíduo. Alguns vão se dar bem com medicações controladas. Aplicações locais de toxina botulínica também podem ajudar a tratar o paciente.

Em alguns casos, será preciso lidar com a ansiedade e o estresse. Algumas estratégias, como a meditação, podem amenizar os sintomas. Entretanto, ainda que se siga com todas essas intervenções, o acompanhamento com um psicólogo é fundamental para a melhor eficácia do tratamento, o diagnóstico de outros sintomas e o aumento do bem-estar na vida do indivíduo.

A pessoa com a síndrome de Tourette pode levar uma vida normal, com grande diminuição dos tiques, se bons recursos forem aplicados. Dessa forma, não negligencie sua saúde mental.

Aqui, no Psicologia Viva, temos profissionais dispostos a ajudar você. Entre em contato conosco, para mais informações!


Referências:

Kutscher, Martin L. “Crianças com Síndromes Simultâneas: DDA/H, DAE, Síndrome de Asperger, Síndrome de Gilles de la Tourette, Doença Bipolar e outras–Um guia essencial para pais, professores e outros profissionais.” Porto: Porto Editora (2011).

Loureiro, Natália Isabel V., et al. “Tourette: por dentro da síndrome.” Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo) 32.4 (2005): 218-230.

Psicologia Viva
Últimos posts por Psicologia Viva (exibir todos)

Artigos relacionados

9 Comentários

  1. Tenho tiques nervosos desde a infância. Na verdade passei muito tempo sem apresenta-los porém há cerca de 40 anos venho apresentando-os com maior intensidade e com muito maior frequência. Esses tiques se manifestam na forma de caretas e nem consigo mais falar direito. Fico toda me mordendo na face interna da bochecha. Meu modo de comer é tão feio que não vou mais a festas pra não ter que comer na frente dos outros. Sou médica e estava estudando quando li algo sobre a síndrome de Tourette. Vi até que se usa Haldol como tratamento porém lendo os efeitos colaterais fiquei receosa de iniciar o tratamento

  2. a minha cantora preferida Billie Eilish ela tem isso ela faz vídeos que não são comuns no mundo mais pelo o que parece ela não faz tratamento e é uma doença orível pode atormentar muita gente como a atormenta mais mesmo assim vou ser a fã numero um dela

  3. Eu tenho tourette mas só descobri por que minha filha tbm tem.
    Sempre achei q eram tics que não conseguia controlar, mas quando vi minha filha na época com 4,5 anos apresentando os tics fui atrás e descobrimos a síndrome.
    Ela faz tratamento a 6 anos ,mas as vezes sinto que não é muito eficaz , e gostaria de poder ajudá-la melhor.

  4. Meu filho começou a piscar muito os olhos,levei ele no oftalmologista e ele falou que era só uma mania adquirida e que ia passar logo.Mas não acabou aí, ele começou a ter tiques nervosos no pescoço, ombros,ele fala que se ele não repetir uma série de 4 sequência,(por exemplo 4 goles de água),ele fica agoniado,não sei o que fazer se isso passa c9m o tempo ou não…

  5. Meu filho de 19 anos tem tiques desde os 6 anos. São leves. Aos 14 ele teve uma leve convulsão e aos 18 anos uma convulsão mais forte. Fez todos os exames (Ressonância, tomografia, eletroencefalograma, polissonografia ) e nada foi detectado. Essas ocorrências : tiques e convulsões são sintomas de algo em comum? São correlacionados? Ele tem vida ativa e normal. Mas gostaria de entender melhor como acompanhar a tratar se necessário.

  6. Tenho dois tiques de “morder” um lado do lábio da boca e morder a bochecha virando a boca pro lado com muita frequência e fazer “nó” em meu cabelo tenho isso desde os meus 6 anos e não consigo parar até hoje, que atualmente tenho 16 anos e sou meio inquieto e não me socializo com ninguém da escola ou fora dela quando fico em muntidão fico com nervosismo demais, fico só dentro de casa e nunca tive depressão graças a Deus e as vezes faço uma leve careta tipo bravo e viro a boca pro lado junto e quando fico irritado fico meio balançando pra frente e para trás esfregando o rosto e geralmente xingo muito por coisas bobas por exemplo bater o braço sem querer na parede já xingo palavrões pesados e tambem muito irresponsável pra fazer as coisas e mesmo ciente das consequências que podem vir não estou nem ligando, enfim não estou só desconfiado dessa síndrome como os outros 3 transtornos do tipo antisocial, humor, fobia social porque um deles eu tenho

  7. Olá
    Minha filha acabou de ser diagnóstica com tourette
    Mas ela tem 22 anos. Eu li que só acontece com crianças.. isso é possível? Ser tourette mesmo ?
    Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar