Saúde

Quais os principais sintomas da dislexia?

Você já deve ter ouvido falar sobre a dislexia em alguma rede social ou meio de comunicação. A dislexia é considerada um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica e é considerada uma alteração nas diferenças individuais associadas à aquisição do processo de leitura e escrita.

Segundo os manuais de Diagnóstico de Classificação Internacional Estatística de Doenças (CID 10) e o Manual Diagnóstico Estatístico de Transtornos Mentais (DSMV), responsáveis por classificar e categorizar as doenças, suas causas e sintomas; a dislexia é descrita da seguinte forma:

(…) dificuldade específica da linguagem, de origem constitucional, caracterizada por dificuldades na decodificação de palavras isoladas, normalmente refletindo insuficiência do processamento fonológico. Estas dificuldades são inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas e acadêmicas; não é o resultado do desenvolvimento generalizado de incapacidade ou deficiência sensorial. ”

É importante compreender que a dislexia se distingue:

  • De evolução ou desenvolvimento.
  • Congênita ou hereditária.
  • Dislexia adquirida causada por acidente vascular cerebral, isquemia ou tumor.

Sendo que a dislexia de evolução está associada à somatória de várias características e sintomas que podem apresentar graus diferenciados de leve, moderado a severo.

É interessante notar também que esse é um transtorno mais comum em meninos do que em meninas. Segundo as pesquisas a cada 7 meninos 3 meninas apresentam a dislexia

Saiba como identificar os sintomas da dislexia

Os principais sintomas da dislexia estão relacionados a dificuldades na aprendizagem e no uso das habilidades acadêmicas. Ou seja, a pessoa com o transtorno apresenta dificuldades no desenvolvimento da escrita e da leitura.

Leitura

Na leitura, é possível verificamos algumas alterações significativas. É comum que a pessoa com o transtorno confunda letras e palavras ao tentar ler, isso influencia diretamente na compreensão do texto.

Além disso, essa confusão também prejudica a fluência da leitura, o que dificulta que a criança saia da fase pré-silábica consiga ler de forma contínua e fluente.

Escrita

Já na escrita verificamos alterações na precisão da soletração, gramática, soletração e clareza e organização na expressão escrita.

Ou seja, apesar de reconhecer as letras, a pessoa tem dificuldade em diferenciá-las organizá-las de forma clara enquanto escreve.

É comum que esses sintomas passem a ser perceptíveis quando a criança entra na fase escolar e fica em contato tanto com outras crianças.

As dificuldades e desafios de aprendizagem nessa fase podem causar interferência significativa e substancial no âmbito escolar, baixa autoestima e dificuldades para se relacionar.

Dislexia significa falta de inteligência?

Não. Alguns cientistas estão buscando respostas neurais para a dislexia e a forma como ela age no cérebro humano.

As pesquisas realizadas com ressonância magnética funcional (fMRI) e PETSCAN – mapeamento de neurônios acoplado a ressonância cerebral magnética, pela emissão de pósitrons — identificaram alguns aspectos importantes que desmistificam algumas ideias sobre a dislexia:

  • A dislexia é um déficit múltiplo do neurodesenvolvimento estruturais;
  • O transtorno é uma dificuldade específica da leitura e da escrita e não há alteração da inteligência. Os genes associados à dislexia são vários e não apresentam anomalias cia.
  • A nossa habilidade da leitura e da escrita são aprendidas e, por isso, nosso cérebro precisa se adaptar a elas.

Onde buscar ajuda?

Ao perceber os sintomas que descrevemos aqui em alguém próximo ou até em você mesmo, é importante buscar ajuda de um profissional.

O tratamento da dislexia é feito por uma equipe multidisciplinar como fonoaudiólogo, neurologista, psicopedagogo e neuropsicologia para auxiliar nos processos de diagnóstico e intervenção.

O acompanhamento correto permite que a pessoa com dislexia desfrute de uma vida repleta de conquistas e superação. Consulte um de nossos psicólogos especializados nesse tipo de transtorno e receba ajuda na busca da melhor forma de encarar o problema.

Psicologia Viva

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Olá bom dia..gostei muito dessa informação..pois tenho um neto com 7 anos..e pelo que parece é dislexia.. infelizmente. ele está fazendo terapia com uma psicopedagoga…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar