Saúde

Transtorno de personalidade narcisista: entenda tudo sobre o tema!

Apesar de muitas vezes ser comparado a uma simples vaidade, o transtorno de personalidade narcisista é uma condição bem mais complexa e um comportamento nocivo que afeta a vida de pessoas que sofrem desse distúrbio e de quem precisa conviver com elas.

Muito mais comum do que se imagina, ele causa problemas em muitas áreas da vida, como relacionamentos, trabalho, estudos, finanças etc.

Descubra neste post como identificar um indivíduo que sofre com esse tipo de condição mental. Acompanhe!

O que é transtorno de personalidade narcisista?

O transtorno de personalidade narcisista — ou simplesmente narcisismo — consiste em desvios extremos da maneira como a pessoa pensa, percebe, sente e se relaciona com os outros.

Em outras palavras, trata-se de uma grave perturbação do caráter e das tendências comportamentais do sujeito, afetando todas as áreas da sua personalidade, a maneira como vê o mundo, os outros e a si mesmo, o modo como expressa e gerencia suas emoções e o seu comportamento social.

Quais são as causas desse tipo de transtorno?

Embora as causas do transtorno de personalidade narcisista ainda não são sejam exatas, muitos profissionais da saúde mental acreditam que ele resulta da combinação de fatores que podem estar relacionados a:

  • genética — características hereditárias;
  • meio ambiente — desencontros nas relações com os cuidadores na infância (dedicação exagerada ou crítica excessiva);
  • neurobiologia — a conexão entre o pensamento e o comportamento que envolve o temperamento e a capacidade de gerir tensões.

Quais características ajudam a identificar o transtorno?

Pode ser difícil identificar uma pessoa com personalidade narcisista, mas vários estudos científicos apontam algumas das principais características apresentadas nesse tipo de transtorno. Confira algumas delas a seguir.

Irritação e nervosismo quando contrariados

Indivíduos narcisistas apresentam hipersensibilidade a crítica e insultos (reais ou imaginados) e não conseguem lidar bem com derrotas, frustrações e rejeições — logo não têm maturidade emocional. Dessa forma, quando contrariados, podem reagir com raiva, irritação e nervosismo. Por terem baixa autoestima, usam a agressividade para disfarçar sua insegurança.

Senso exagerado de superioridade e importância

Os que sofrem com distúrbio narcisista acreditam que suas prioridades, interesses e opiniões são mais importantes e têm mais valor do que as de qualquer outra pessoa. Sua percepção e discurso estão sempre voltados para valorizar exageradamente a sua “importância”. Uma visão presunçosa a seu próprio respeito é uma das principais formas pela qual um narcisista dá a si mesmo permissão para controlar e dominar os outros.

Crença de ser especial e único

A crença do narcisista de ser especial e único e , que somente pode ser compreendido por outras pessoas especiais , é uma ideia que faz parte de um mecanismo de sobrevivência que o ajuda a enfrentar o mundo. Costumam se definir em função do que consideram suas qualidades excepcionais — e tão logo os conhecemos, nos avisam acerca delas.

Ausência de empatia

O narcisista costuma não ter empatia, ou seja, é incapaz de se colocar no lugar dos outros e de manifestar compaixão em face do sofrimento alheio. Seus problemas, sua dor e seu ponto de vista dominam o universo. Nada mais reflete tanto o comportamento do indivíduo narcisista do que a incapacidade de compreender e se identificar com a experiência dos outros.

O que significa a expressão “mãe narcisista”?

Existem muitas mães que são verdadeiras narcisistas no que se refere ao relacionamento com os filhos e, principalmente, filhas. 

Geralmente, o filho ou a filha fazem de tudo para agradar a mãe, mas todo esse esforço não surte efeito algum. Nada está bom o suficiente para ela. Não há orgulho, não há empatia, não há compreensão.

Há, inclusive, grupos nas redes sociais para filhas de mães narcisistas, em que elas trocam informações, dão depoimentos e se apoiam mutuamente, você sabia? As filhas são as vítimas mais frequentes, mas os filhos também podem sofrer o mesmo mal. Inclusive, pais também podem ser narcisistas. Mas, de fato, o que predomina é mãe e filha.

Uma mãe narcisista costuma ser uma pessoa sufocante, que só se sente feliz com a infelicidade da filha ou do filho. Ela é amarga, cruel, não tem empatia, arrogante, rude, se faz de vítima e é hostil. O abuso psicológico e físico às vezes chega ao extremo e você não tem como se defender nem com quem falar.

Depois de tanta rejeição da pessoa que você mais ama na vida, você adquire traumas profundos em seu emocional. Baixa auto-estima, complexo de inferioridade, falta de confiança em si mesma e nos outros, ciúme exagerado, insegurança, autocrítica elevada, entre outras questões. Ansiedade generalizada, síndrome do pânico, depressão e transtorno do estresse pós-traumático também são algumas das patologias emocionais causadas por tudo que você vem passando.

Provavelmente esse filho que sofreu o abuso psicológico poderá se relacionar com parceiros inadequados, justamente pelo fato de se contentar com pouco e não se achar merecedor ou merecedora de algo melhor. Geralmente, filhas de mães narcisistas têm sentimentos e comportamentos autodestrutivos, recorrendo, por vezes, às drogas, bebidas e, em casos mais graves, ao suicídio.

Comportamentos e atitudes arrogantes e insolentes

Normalmente, narcisistas são arrogantes e não se constrangem em cometer atitudes esnobes e abusivas com pessoas que julgam não estar à altura de seu “altíssimo” padrão de inteligência, competência, valores, moral etc. Criticar, diminuir e acreditar que os outros são inferiores ajuda-os a reforçar e fortalecer a convicção que têm da própria superioridade. Não raro, são atitudes racistas, homofóbicas e preconceituosas de todo tipo — simplesmente porque se acham superiores.

Bem diferente da história mitológica de Narciso, indivíduos com transtorno de personalidade narcisista não têm um amor excessivo por si mesmos. Ao contrário, são pessoas com autoestima baixíssima, autoimagem distorcida, e emoções instáveis, além de um caráter duvidoso e brutal.

Tudo isso afeta diretamente sua vida profissional, social, afetiva e familiar. Em casos mais agressivos com maior comprometimento, ocasiona ansiedadedepressão e consumo de álcool e drogas. Por isso é muito importante buscar ajuda profissional para um acompanhamento psicológico.

Gostou deste post? Quer entender mais sobre esse e outros assuntos relacionados à psicologia? Então, acesse nosso site!


Referências:

de Santi, Pedro. “Consumo e desejo na cultura do narcisismo.” Comunicação Mídia e Consumo 2.5 (2008): 173-204.

Gobbi, Adriana Silveira. “O narcisismo na clínica contemporânea.” Contemporânea-Psicanálise e Transdisciplinaridade 6 (2008): 24-35.

GOMES, Maria Helena. “Narcisismo: questionamentos e reflexões sobre a sua dinâmica no funcionamento psíquico.” Jornada de Psicanálise do Círculo Psicanalítico: Rio Grande do Sul (2012).

Psicologia Viva
Etiquetas

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Sou Narcisista quero me tratar o que devo fazer para me livrar desse problema? que até agora só está me trazendo perdas, as coisas que mais foram importantes para mim eu perdi, a pessoa que mais me fez feliz eu fiz infeliz preciso de ajuda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar