Família

Mães de quarentena: aprenda como não surtar

Não é de hoje que se fala na dificuldade das mães que ficam com os filhos em casa. Mas mesmo antes, algumas trabalhavam fora e mesmo as que trabalhavam somente em casa tinham alguns minutos de “folga”, quando as crianças iam para a escola, muitas usavam esse tempo para adiantar o máximo de afazeres domésticos antes das crianças voltarem e exigirem a sua atenção em tempo integral.

Com a pandemia que estamos vivenciando, as aulas foram suspensas e muitas mães estão afastadas do trabalho ou com o home office. As que continuam trabalhando em casa recorrem à ajuda de um terceiro para cuidar dos filhos enquanto “tenta” trabalhar – esse terceiro geralmente é o marido, o filho mais velho, a mãe ou a sogra, e algumas até recorrem ao cachorro da família.

Para as mães que não têm ninguém para ajudá-las fica ainda mais difícil trabalhar, muitas vezes até impossível, elas usam a criatividade e tentam de tudo para manter os filhos distraídos. Mas não importa o que elas façam, as crianças vão querer a atenção dela de tempo em tempo.

Tanto para a mãe que tem ajuda como para a que não tem, é muito difícil trabalhar, cuidar da casa, das crianças, dos animais de estimação e fazer diversas outras tarefas, nesse período de quarentena, onde todos têm que ficar o máximo possível dentro de casa, muitas estão esgotadas fisicamente e emocionalmente, esse esgotamento, junto com o medo, ansiedade, estresse e a incerteza do que vai acontecer, podem ocasionar um surto psicótico.

Quarentena x surto

A quarentena é uma medida de saúde pública que visa impedir que doenças como a Covid-19 se espelhe. Essa medida consiste em garantir que pessoas saudáveis que de alguma maneira pode ter sido exposto ao vírus, fiquem um tempo sem circular em áreas públicas no período máximo de incubação da doença, para evitar que contamine outras pessoas, se estiver doente.

Já o surtar se refere a entrar em crise psicótica, perder a noção da realidade ou não conseguir pensar com clareza, por consequência de problemas de ordem psíquica como: ansiedade, estresse e neurose. 

Sinais que indicam que você está perto de surtar  

Toda mãe alguma vez na vida já teve a sensação que iria surtar, que não iria aguentar o estresse de cuidar da casa, trabalhar e cuidar dos filhos. Agora com as crianças sem aulas, essa sensação aumentou e muitas mães estão com os nervos à flor da pele.

Mesmo as mães que estão mais tranquilas, em algum momento ela já deve ter perdido a paciência. Se você ultimamente está perdendo a paciência com mais frequência, coisas que não te incomodava antes está te incomodando agora, percebeu que está estressada o tempo todo e está sentindo dor de cabeça, no ombro e pescoço, fique atenta aos sinais de surto:

  • Cansaço físico e mental,
  • Insônia ou hipersonia,
  • Perda de memória,
  • Alteração do apetite,
  • Dor no corpo,
  • Falta de ar.

Dica para não surtar na quarentena

Antes desse período, quando uma pessoa estava preste a ter uma crise, o recomendado era para que ela se afastasse, saísse para caminhar, etc., e só voltasse quando estivesse se sentindo melhor.

Mas no atual cenário isso não é recomendado, e muitas mães não têm com quem deixar os filhos nem para ir ao mercado, quem diria para caminhar. Sendo assim, essa mãe terá que se acalmar dentro de casa, procurar um local calmo e avisar para as crianças que precisa se afastar um pouco.

Beba bastante água e respire profundamente por dois minutos, coloque uma música que te deixei relaxada, reflita sobre o que aconteceu e volte para perto das crianças quando estiver mais calma.

Quarentena mais leve com as crianças

O lado bom dessa “pausa obrigatória” é a oportunidade de passar mais tempo com as crianças, acompanhar de perto seu desenvolvimento e se encantar pela maneira que elas descobrem aos poucos o mundo. Além da vantagem de ter a oportunidade de ter seu filho a poucos passos de distância, o que permite abraça-lo sempre que tiver vontade, ver sua alegria em pequenas coisas e escutar sua risada por toda a casa.

Para que esses dias sejam mais leves e você possa aproveitar com as crianças, crie uma rotina com eles, faça um quadro de tarefas, determine o horário de estudo, de assistir coisas na internet, de usar o celular ou tablete, de brincar sozinho, e reserve um tempo para realizar algumas atividades junto com eles.

Dicas de atividades para fazer com as crianças na quarentena

  • Juntar brinquedos para doação. Converse com seu filho e explique a importância de doar os brinquedos que ele não brinca mais.
  • Fazer bolos e biscoitos. Crianças adoram colocar a mão na massa, aproveite esse período e faça receitas novas com as crianças, elas adoram!
  • Cinema em casa. Escolham um filme juntos, façam pipoca e curtam a companhia um do outro.
  • Pratique Ioga. Pesquise aulas de ioga online, faça junto com as crianças e descubra os inúmeros benefícios que essas aulas têm.
  • Cuidem e biquem com seu Pet. Se você tem um pet em casa, cuidem deles juntos, peça a ajuda das crianças para dar banho nele.
  • Brincar de videogame. Arrisque jogar o jogo favorito do seu filho, nem que seja só para rirem juntos.
  • Reserve uma hora para a leitura. Se seu filho já sabe ler, façam uma leitura compartilhada.
  • Brincadeira com massinha. Existe várias receitas de massinha caseira na internet, escolha uma e faça junto com as crianças.
  • Mímica de bichos. Descubra quantos animais seu filho conhece e se ele sabe quais os sons que eles fazem
  • Pote da calma. Pesquise na internet e façam juntos um pote que serve para tranquilizar seu filho.
  • Meditação. Existe diversas técnicas de meditação para crianças, pesquise e faça com seu filho para vocês terem um dia mais leve.

Como um psicólogo pode ajudar nessa quarentena

Os psicólogos são um grande aliado nesse momento! Não hesite em procurar um se as coisas estão muito difíceis para você nesse período.

A ajudar profissional é de extrema importância para te ajudar a lidar com o medo, pânico e as incertezas. Muitos profissionais se prepararam e estão atendendo online para que você não precise sair da segurança de sua casa.

Procurar um psicólogo não significa necessariamente que você precisa fazer tratamento, vocês vão conversar e o profissional vai avaliar se é necessário você fazer um acompanhamento ou se você só precisava desabafar.

Jessica Morales Maia
Últimos posts por Jessica Morales Maia (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar