Tenho TDAH, e agora? Entenda como a terapia pode ajudar!

como tratar tdah
Tenho TDAH, e agora? Entenda como a terapia pode ajudar!

Dificuldade em prestar atenção em uma tarefa, problemas em se organizar e não “ouvir” quando conversam com você: esses são só alguns dos vários sintomas que envolvem o TDAH.

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade é um transtorno biológico com diagnóstico difícil, já que possui uma grande combinação de sintomas, porém, é mais comum do que você imagina.

Segundo a Associação Brasileira de Déficit de Atenção, a ABDA, o número de pessoas com o transtorno pode chegar a até 8% da população mundial. Um número muito alto para um transtorno que ainda é tabu.

Um dos motivos é a falta de informação; muitas pessoas não entendem exatamente o que significa a sigla e muito menos sabem como é feito o tratamento.

Por isso, conversamos com a psicóloga Cristielen Ribeiro, profissional da Psicologia Viva (Conexa), para explicar mais detalhes do TDAH.

Veja só!

Quais os principais sintomas do TDAH?

“TDAH É originalmente descrito como Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade, em que suas características estão centradas na impulsividade, desatenção, procrastinação, hiperatividade e dificuldades para iniciar e terminar tarefas, não conseguindo manter atenção nas atividades, deixando facilmente sem terminá-las”, explica a profissional.

A psicóloga ainda diz ser mais comum o diagnóstico ainda na infância, porém os adultos também pode descobrir que sofrem com o transtorno e procurar o tratamento ideal.

“Existem três sintomas especifico do TDAH, caracterizado como: desatenção, hiperatividade e impulsividade. E suas combinações sintomáticas podem divergir de indivíduo para indivíduo”, explica.

Entre as combinações, estão:

“Devemos ficar atentos quando existe a suspeita diagnostica em TDAH, é fundamental averiguar se esses sintomas se apresentam de forma sistemática, contínua e prolongada”, indica Dra. Cristielen.

 

Como é o tratamento?

Segundo a profissional, o tratamento é realizado por meio de intervenções multidisciplinares, envolvendo atuação psicossociais e até mesmo psicofarmacológicas.

Na infância e na adolescência, quando a família e escola não estão alinhadas, o paciente pode sofrer prejuízos e dificuldades em seu desenvolvimento. Dentre as principais consequências estão: baixo desempenho em suas tarefas escolares, prejuízos em seu convívio social, apresentando hiperatividade e impulsividade.

Já na fase adulta, o paciente sem tratamento adequado pode não ter sucesso profissional e problemas em seus relacionamentos interpessoais.

Lembrando que o TDAH não tem cura, mas existe tratamento.

“O TDAH precisa ser tratado por uma equipe que paute na multidisciplinaridade. A terapia faz parte, com ênfase na escuta e motivação do indivíduo, buscando estratégias de organização, conscientização, autoavaliação, autocontrole, visto que este transtorno acaba prejudicando algumas habilidades cognitivas como o autocontrole, domínio de atenção”, diz a profissional.

Orientação psicológica

Existem vários tipos de terapia, porém, com certeza uma delas será a ideal para o paciente com TDAH. Ela pode ser comportamental, cognitiva, cognitiva-comportamental ou psicoeducacional, por exemplo.

Com a terapia, o paciente aprende a controlar os impulsos e as emoções.

Além de orientação psicológica, o tratamento de pacientes com TDAH ainda pode envolver medicamentos próprios, orientados por um psiquiatra, e mudança de hábitos, inclusive na alimentação.

Para entender melhor, não deixe de pedir ajuda: nossa equipe da Psicologia Viva está à disposição para te ajudar!

Fonte: Cristielen Ribeiro, psicóloga da Psicologia Viva.

Deixe seu comentário aqui
Assine nossa newsletter

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter

Fique por dentro dos melhores conteúdos sobre bem-estar, saúde e qualidade de vida

Saúde mental, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

Através do nosso programa de saúde mental, as empresas reduzem perdas com afastamento do trabalho por demandas emocionais.

Fechar
Fechar